The Real L Word – s01e02

Whitney abriu um serviço de taxi para lésbicas recém chegadas em LA? Rose perdeu a voz de tanto gritar? Mikey se assumiu como trans e começou um tratamento hormonal? Nikki e Jill brigaram para escolher entre rosas brancas e lírios para o casamento? Tracy fez alguma coisa relevante no episódio além de ser bonita e fofa?

Aparentemente todo episódio vai começar com uma pergunta clichê sendo jogada para as participantes – nem sempre preparadas – responderem. A pergunta dessa semana é:

Que tipo de lésbica você é?

Nikki: “Eu sou rotulada como lipstick lesbian, embora eu possa ser butch também”. A-hã, FUTCH!

Elenco 0 x 0 Produtores

Whitney: “Eu sou uma hard femme, soft butch.”

Elenco 0 x 0 Produtores

Tracy: “Eu sou uma lésbica como qualquer uma. Eu gosto de mulheres.”

Elenco 1 x 0 Produtores

Jill: “Eu não acho que você pergunta pruma pessoa hetero que tipo de hetero ela é. Você ama quem você ama e a conversa não pode terminar aí?”

Elenco 3 x 0 Produtores

Mikey: “Eu sou uma Mikey lesbian. E deveria existir mais por aí.”

Elenco 3 x 4 Produtores

Rose: “Eu sou uma lésbica Renascença (?????). Sou um pouco de tudo.”

Elenco 3 x 15 Produtores

***Mikey***

A participação da Mikey nesse episódio é bem chata. Ela começa o episódio com uma conversa WTF que consegue ir  do “quando eu tinha 9 anos,  vi minha melhor amiga ser baleada e morta” ao “como é estar no mundo fashion” em poucos segundos. A edição não teve chances nem de colocar uma música de violino ao fundo a tempo. Então ela vai procurar um lugar para os desfiles do LA Fashion Week e o drama é que depois de algum tempo avisam que ela não vai poder usar o Stage 3 porque uma produtora de filmes decidiu que quer ele.

Infelizmente dessa vez ela não pode fazer umas ligações e gritar uns fuck. Aaaah…

Mas, em compensação, tivemos ótimas piadinhas e Mikey’s Moments quando ela foi num evento da Câmera de Comércio de Hollywood receber uma placa de nova membro (ou algo do tipo).

– Quando Mikey foi sentar numa mesa com a assistente e a estagiária, uma delas foi se sentar do lado da outra (por medo da Mikey, claro) e a Bo$$ manda ela se sentar do lado porque ela gosta de “ficar no meio das gatinhas”.

-Quando ela recebeu a bendita placa e foi se juntar com os caras que já tinham ganhado, ela começou a fazer piadinhas sobre o tamanho das placas.

“Eu queria dizer que a minha placa é maior que a sua, mas aparentemente são do mesmo tamanho. Nós podemos comparar depois.”

"Gata, se liga no tamanho da minha placa!"

-Quando a namorada-maquiadora-profissional finalmente chega no evento e comenta que todo mundo estava pensando que Mikey era menininho, ela responde:

“Deve ser pelo tamanho do meu pênis.”

"Deve ser pelo tamanho da minha placa, gata."

Sério, Freud deve ter se baseado na Mikey quando disse que mulheres sentem inveja do pênis.  E Mikey gera tanta vergonha alheia em mim que eu estou começando a simpatizar com ela. O mundo precisa de mais Mikey Lesbians! (ou não)

***Nikki & Jill***

Aparentemente não é só Mikey que trabalha nesse programa. Enquanto não decidem se o bolo de casamento será de nozes, creme ou nozes com creme, Nikki e Jill estão trabalhando numa adaptação do livro “Sexual Fluidity”. Só para ilustrar, a autora do livro:

Vejam, uma lésbica real e inteligente no show!

No meio da reunião, a conversa obviamente gira em torno da bissexualidade e Jill como boa-escritora-que-eu-não-sei-se-ela-é começa a complicar as coisas e a divagar.

E no meio dessa conversa toda sobre bissexualidade e Gray Area, Nikki dá um corte de serra elétrica enferrujada.

Então Nikki explica que não poderia namorar com um homem de novo. Ela diz que se sente confortável sendo gay, mas Jill se sente insegura sobre isso. E nós descobrimos que Jill já teve um caso com outra mulher antes de Nikki (estava me matando de curiosidade), mas ela não contou para os amigos ou família.

E Jill diz que se sente 100% confortável dizendo que está apaixonada por uma mulher e… 60% dizendo que é abertamente GAY. E provavelmente ela se sinta 20% confortável dizendo que é LÉSBICA.

Enfim… obviamente esse drama sobre a bissexualidade (?) da Jill não foi posto gratuitamente no show. Nikki e Jill foram buscar o melhor amigo da Jill no aeroporto (a Whitney estava ocupada demais) e a edição viu aí uma chance de colocar um pouco de drama na vida das duas.

Em depoimento Nikki diz:

“Quando eu comecei a namorar a Jill eu estava preocupada porque eu não posso competir com um homem. Então se ela quer isso não tem nada que eu possa fazer a respeito. Eu tenho que confiar nos sentimentos dela por mim.”

Achei bem interessante o que Nikki disse porque acho que exemplifica a insegurança que algumas lésbicas têm em relação a bissexuais. E também tem aquela questão famosa sobre quão preferível é ser trocada por uma mulher do que por um homem. Mas isso são assuntos para outros posts…

Nikki só voltou a sorrir um pouco quando Derek (nem sei porque decorei o nome dele) reparou no iceberg na mão de Jill:

E ela respondeu com uma frase que definitivamente entrou para o meu Top-Frases-Que-Eu-Quero-Usar-Algum-Dia:

Nikki realmente acha que não pode competir com um homem?

***Tracy***

Agenda de Tracy no programa:

-Brincar com os filhos da Stamie;

-Jogar basquete com Stamie;

-Ir no Abbey – onde a Whitney obviamente estava (igual uma stalker);

-Almoçar com amigo;

-Ajudar a cuidar dos filhos da Stamie;

Agora vamos logo ao Tracy of the Week: (clique pra ampliar)

(Ok, até teve algumas coisas relevantes no episódio: descobrimos que o filho mais velho da Stamie tem Síndrome de Williams (não me perguntem o que exatamente é) e que Stemie participa de um show de comédia – por isso o tanto de piadinhas).

***Whitney***

Whitney no final do primeiro episódio foi buscar no aeroporto uma garota. Essa garota só deve ter durado o suficiente para começarem a gravar um novo episódio graças ao fato de ela ser prima da companheira de quarto da Whitney e estar se mudando para a casa da Whitney. Ah, claro, preciso dizer que Whitney já pegou a garota antes?

Sim, elas estão indo morar juntas e Whitney nem começou a namorá-la. É um recorde lésbico mesmo! Daqui a pouco elas estarão adotando filhotes de cachorro e depois discutindo sobre o doador de esperma.

Alyssa por ser prima da Tor e conhecer bem a amiga, passa o episódio inteiro dando indiretas para Whitney, tirando o blush da Sara da cara dela, evitando que Tor escute DRs e aconselhando a amiga a largar dessa vida de heartbreaker.

"Ai de você se ferrar com minha priminha!"

Quando  Whitney foi pro Abbey stalkear a Tracy, “inesperadamente” Romi, a ex, brota das entranhas da Terra para começar uma DR no meio da festa. Como aparentemente ela vai ser a ex-problemática do programa (eu super simpatizei com a ex da Stamie), os produtores até colocaram ela para dar depoimento, como se fosse do elenco fixo.

Tentando resumir o drama (como se fosse possível resumir drama lésbico):

-Romi quer um compromisso com Whitney e, como ela sabe que não vai conseguir isso, está jogando a carta do “love me or leave me”. Mas como eu conheço minhas semelhantes, sei que no fundo ela está presa a Whitney e que por mais que ela saiba que seja bom cortar todos os contatos, no fundo ela gosta da Whitney indo atrás e falando coisas fofinhas pra ela.

-Whitney quer manter o sexo com Romi… e com mais uma dúzia de gurias. E ela tenta conseguir o sexo sem o compromisso, porém Romi está jogando a carta do “love me or leave me”. Whitney, apesar de ser galinha, se preocupa com o ego de suas presas e tenta ser simpática e amável com elas, mas isso acaba deixando-as com mais vontade de colocar Whintey no cabresto.

Oh God, não seria tão mais fácil se a Romi se desapegasse e aceitasse logo o cargo de fuck buddy?

***Rose***

Enquanto a taxista de aeroporto tem dramas com a ex, nossa (porque eu estou usando essa linguagem de narradora?) lésbica renascentista tem com a atual.

Rose e Natalie estão se arrumando para comemorar o aniversário de 7 meses de namoro. Então Rose faz uma pergunta deveras pertinente: “Por que nós comemoramos todo mês?”. Eu já responderia usando minha (não foi criada por mim, mas eu assino embaixo) teoria do Tempo Lésbico X Tempo Hetero, mas Natalie foi mais sucinta:

Depois desse trecho de conversa que não foi posto na edição à toa, elas discutem sobre gravidez no caminho para o jantar. Rose usa todo seu romantismo dizendo que se elas fossem um casal hetero, Natalie já estaria fazendo furos com alfinete na camisinha como uma psicotica. So romantic…

Já no restaurante, elas brindam aos 7 meses juntas e então chega um bouquet de flores para Natalie. Pela cara da Rose, não foi ela que mandou.

E eu achando que a produção queria a separação delas...

Em depoimento Natalie diz que Rose prometeu que aquele seria o última ano de festas dela. Isso me faz pensar que as vezes quando nos descobrimos lésbicas, começamos a nos preocupar com regras lésbicas e esquecemos completamente as heteros. E qual é uma das regras hetero mais básicas?

Você não pode esperar que um homem mude depois do casamento.

Ainda no jantar, mais um brinde memorável da lésbica renascentista:

Rose: -Um brinde ao amor.

Natalie: -Um brinde ao nosso amor.

Rose: -Um brinde ao meu amor. Você tem sorte de tê-lo.

Era para ser uma declaração romantica?

Apesar dos meus protestos sobre essa noite, não é difícil imaginar como ela acabou…

Depois desse dia, Rose recebeu a visita do pai só para ouvir que está na hora de sossegar o facho [/expressão da mamãe]. Obviamente esse momento também não foi posto na edição à toa.

Finalmente a festa que a edição estava louca para mostrar acontece. Rose chama um bando de amigas fanchas em casa para beber, jogar e beber mais ainda. Natalie como namorada boazinha tira fotos e fica jogada de escanteio.

"Digam XIIIIIIIIS"

Some-se a isso mais descaso, gozações (cof) e trilha sonora de suspense. Cada uma vai desabafar com sua ami… perdão, Rose vai desabafar com sua amiga e Natalie com outra amiga da Rose.

Obviamente depois seguiu-se uma DR báááásica. Natalie reclamava (com toda razão) que Rose é rude e disse “sinto muito que você pediu para eu me mudar.” Isso é a mesma coisa que pedir para alguém como a Rose te expulsar de casa, e foi o que ela fez.

Tenho que confessar que a cena final da Natalie com a música triste de fundo quebrou meu coração…

E a da Rose meu tímpano…

Compartilhe com a irmandade!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email
Esta entrada foi publicada em Mídia e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

9 respostas para The Real L Word – s01e02

  1. Lei de Gaga disse:

    Ri aaaaalto aqui!
    You save my day!

  2. Bel disse:

    Ri horrores… Rose me mata de orgulho!!! xD

    • analu disse:

      Essa e minha namorada…
      Apaixonada pela Rose (e eu m perguntando o q ela faz cmg)???
      O q tu acha madrinha??

      • Bel disse:

        Amorzinhooo eu sou apaixonada é por vc…

        E eskeceu q sou uma das ultimas boazinhas?? Nao faço nada, so tenho olhos pra vc meu anjo!!!

  3. Carol F. disse:

    Mto bom! Adoro o seu senso de humor 🙂

  4. >=P disse:

    Eu sempre to por aqui, quietinha, mas to.
    Agora jac… Onde vc consegui o torrent do ep02?? Tds os q eu tentei so vem o ep 01 de movo…

    Brigada

  5. Adoreeeeiiii! Ah a Tracy é mt linda né ahuahu!

  6. Bruna LiM disse:

    Simplesmente adorei esse blog.vou segui-lo e favoritar no meu..Amo esse seriado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *