Tradição: Relacionamento a Distância – Parte 1

Que atire o primeiro dildo a lésbica que nunca teve um relacionamento a distância!!!

Ultimamente ando envolvida com relacionamentos a distância. Duas BFFs minhas [/momento puxa saco] estão namorando uma em cada canto do país e logo vão se ver pessoalmente pela segunda vez. Meu BFF hetero (só podia ser meu amigo mesmo) está num RAD. Eu já estive. Conheço lésbicas que estiveram também.

Definitivamente relacionamento a distância (RAD para simplificar minha vida) é uma questão-chave para entender o mundo lésbico. Mas, primeiramente, preciso explicar por que relacionamento a distânica é uma tradição lésbica e não algo comum no mundo hetero/gay.

“Oh, cruel destino, onde estará minha tchutchuquinha nesse exato momento?”

RAD Lésbico X RAD Hetero

Heterossexuais estão em todas as partes: ônibus, parques, filas de mercado, faculdades que não sejam Letras ou Moda, bares, baladas. Você não precisa perder tempo pensando “Uhm, será que ele é hetero?”, você simplesmente pode assumir que a pessoa é hetero que raras vezes vai estar enganada. Há muitas opções para conhecer alguém, se paixonar, namorar, etc na heterolândia.

“O que uma gatinha como você faz perdida aqui nos Alpes Suiços?”

Eu acredito que não exista uma única alma gêmea no mundo para cada pessoa. Prefiro imaginar um conceito de compatibilidade amorosa. Você tem potencial para se apaixonar por várias pessoas (não estou dizendo ao mesmo tempo).

E por ter tantas opções, heteros acabam encontrando pessoas com compatibilidade amorosa que moram perto de si com mais facilidade.

Quando acontecem casos de RAD no mundo hetero, geralmente o casal já estava formado antes da separação geográfica. É o caso do meu bff hetero.

RAD Lésbico X RAD Gay

Sendo sincera, muitos homens gays não estão nem um pouco interessados em relacionamentos sérios. Os que querem, provavelmente não querem esperar semanas, ou meses, para ter sexo com os companheiros. Há pouca incidência de casos de relacionamento a distância entre gays, fato. [Aberto aqui para opinião de homens gays]

“Sempre haverá uma Montanha das Costas Quebradas para nós dois.”

RAD Lésbico

Mulher, lésbica ou não, é por natureza um bicho que gosta de relacionamento. Se juntar duas mulheres, é o dobro de vontade de estar em um. Que sejam rápidos, mas que sejam relacionamentos!

Conhecer lésbicas pode ser uma tarefa árdua, como já comentei. Eu mesma conheço poucas na minha cidade e mantenho contato/amizade com menos ainda.

Vamos supor que você tenha sorte e conheça 4 lésbicas na sua cidade com quem você fala constantemente. Para uma delas ser sua princesa encantada, ela precisa ser linda, inteligente, divertida, não-cafajeste, solteira (de preferência… ou não) e ainda tem que ter compatibilidade amorosa contigo.

“…Ah! E ela precisa gostar de todos os meus 12 gatos também!!!”

(Nota: se você conhece uma lésbica linda, inteligente, divertida, não-cafajeste e solteira (de preferência), mande e-mail para flexoeslesbicas@gmail.com com o perfil)

As chances de você conhecer uma lésbica com essas características são muito maiores em qualquer outra cidade que não seja a sua.

Por isso temos a seguinte equação:

E, se você prefere acreditar em almas gêmeas ao invés da minha teoria de compatibilidade amorosa, quem te garante que sua alma gêmea não esteja nesse instante dançando frevo em Olinda? Ou tomando chimarrão no Rio Grande do Sul? Ou não-trabalhando na Bahia? Ou presa no trânsito em São Paulo? Ou fugindo de bala perdida no Rio de Janeiro? Ou fugindo de guepardos na África? Ou trabalhando em regime de semi-escravidão na China?

Sua alma gêmea está ali. A de rosa.

Ok, parei.

(Continua…)

Compartilhe com a irmandade!Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
Esta entrada foi publicada em Hetero X Lésbico, Relacionamento, Tradições e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

28 respostas para Tradição: Relacionamento a Distância – Parte 1

  1. Ludmila disse:

    Genial. Aliás, sempre genial!

    hahahaha

    Parabéns!

    E faz todo o sentido, eu já tive 2 RAD.

  2. gskevorkian disse:

    Hm! Eu gostei deste post pq ele provoca uma discussão. E achei que vc falou tudo: “heteros acabam encontrando pessoas com compatibilidade amorosa que moram perto de si com mais facilidade”. É o que se vê mesmo. Isso faz parte da exigência lésbica tbm, acho. Fato é que ou vc tem um super grupo lésbico (como supracitado) ou então, pra encontrar pessoas que pelo menos tenham um perfil agradável, compatível, recorre a outros lugares (maior parte das vezes). Ainda há as amigas amadas, que moram longe. Não sei pq é assim… acho que com o tempo, a gente percebe isso tudo e começa a fugir de coisa à distância, evita, tenta solucionar logo, no mínimo.
    =]
    beijo!

  3. @LNsakaguchi disse:

    Arrasando como sempre! Adorei!

  4. Carolynna disse:

    Muito bom o post. E é a mais pura verdade, as lésbicas tendem a querer um relacionamento mais sentimental e com as que conhecemos pessoalmente, vemos que não daria certo.

    Obrigada pelo post.
    Beijos.

  5. Yasmin disse:

    Verídico e hilário, rsrs, além do mais tem aquela questão de que você pode conhecer poucas lésbicas, e com certeza uma delas é sua ex, outra é sua amiga, outra ex da sua amiga, é sempre aquele ciclo básico. Dizem por ai que a população lésbica é de 10%, pelo menos aqui no Rio (vi uma pesquisa que media o índice de população gay nas capitais), ai você elimina a parte comprometida, a parte “não-interessante” (relativo demais, né!?) e a parte que está inclusa naquela cadeia lésbica básica e o que resta? Eu! ;* Brincadeira! rs
    Ah, e eu não vivo por aí correndo de balas perdidas, sacanagem!rs

  6. Nats disse:

    Demais! adoro seu blog.. todo dia do uma passada pra ve se tem algo novo!

  7. Daniela disse:

    Ja tive um RAD que valeu por varios… 😡

    Adorei, aliais adoro SEMPRE! *-*

  8. Bel disse:

    Ain…

    Vo ve meu amor daki uma semana!!!

    Migá otimo post, e adorei a sessao puxa saco!

    xD

  9. Dani disse:

    Adorei seu blog,tava de bobe na internet e encontrei ,
    muito bom,divertido!

  10. Nanda Lima disse:

    Ri horrores com esse post. Suuuper criativo, como sempre!
    Já tive três RADS. Uma delas conheci pessoalmente – o que não valeu a pena. Oh vida cruel!
    Quanto à parte que diz “(Nota: se você conhece uma lésbica linda, inteligente, divertida, não-cafageste e solteira (de preferência), mande e-mail para flexoeslesbicas@gmail.com com o perfil)”, muito simples: euzinha. =) Tô falando sério, sô!

  11. Ninha disse:

    Otímo post como sempre, este em particular por falar de RAD, que é oque estou tendo no momento, até digo que encontrei a minha alma gêmea rsrsrsrsrrs…

  12. Isabella Cani disse:

    Mas se pensarmos bem, RAD é a maior ilusão amorosa que existe! Chega a ser ridículo, em certas situações.

    • Ludmila disse:

      RAD é a ilusão no seu ponto máximo, né? Você idealiza o sujeito ao máximo e coisa & tal. O negócio é se as coisas se sustentam depois do primeiro encontro, né?

  13. Condessa X disse:

    Amei o blog. Morta de rir. Este post é 5 estrelas, subscrevo cada linha.
    Abraço português,

    Condessa X

  14. bruna disse:

    a minha tava ha 40 km de mim, inventou de ficar mais uns dois mil, ai vim atras, agora o mais longe são 10 cm
    kkk

  15. Alecia. disse:

    É, uma verdade inquestionável. rsrsrsrs. Só não gostei do comentário: ” Bala perdida no Rio de Janeiro. ” Não, aqui não tem dessas coisas! rsrsrsrs;

  16. Alecia. disse:

    Meu primeiro RAD foi com uma menina de São Paulo ( Eu, Rio de Janeiro ). Aaahhh, eu a amei tanto. Acho que ela era minha alma gêmea! ahaha.

  17. Valéria disse:

    mto interessante este post.
    meninas me add no msn valeria_itap2010@hotmail.com
    sou do interior do RJ ;D

  18. Gisele disse:

    Lendo postagens antigas e atirando o primeiro dildo pois, nunca tive um relacionamento a distância…

  19. Bruna C. disse:

    Lendo TODOS os posts antigos.. Relacionamento à distância…

    Vale a pena galera…Pq não tentar.

  20. Íris disse:

    Bom dia meninas!
    Preciso muito da ajuda de vcs, primeiramente, sou casada (em processo de separação) e tenho uma filha, acontece que eu sempre gostei de mulheres (EVER). Sei que muitas vão dizer: – Pq se casou e teve um filho então?
    Sempre tive medo da reação das pessoas, principalmente por ter uma família conservadora e homofóbica. Filho (amo demais), aconteceu (sei que vacilei, não teria tido um filho pelo menos não agora, mas aconteceu, por falha minha e de meu futuro ex-marido) NÃO POSSO DE FORMA ALGUMA tomar qualquer tipo de medicamento (a não ser os usados no tratamento), pois tenho um problema grave de saúde. Bom mas agora resolvi dar um fim nessa situação, pois viver me escondendo, viver reprimindo o meu verdadeiro eu, só me fez mal a vida toda e o meu problema de saúde se deve justamente a isto, pois é uma doença de caráter emocional.
    Bom, mas vamos aos fatos (afinal é por isso que estou aqui, rsrsrs). Conheci uma mulher através do facebook e estou vivendo um dilema, pois como se já não bastasse ter esses problemas, eu precisava dificultar ainda mais a minha vida, (But you know! … Lesbians honey) rsrsrs.
    Eu a conheci, pois pretendo ir aos USA ano que vem e preciso aprimorar meu inglês, então a adicionei no intuito de praticar a língua. Conversamos muito todos os dias, muitas das vezes altas horas da madrugada!
    Problema nº 1 – Ela é norte-americana;
    Problema nº 2 – Como toda boa norte americana ela não tem o calor (sem é que me entende, rsrsrs) que nós brasileiras temos (mas eu gosto assim)
    Problema nº 3 – Estou perdidamente apaixonada por ela! (OMG)
    Conforme foi passando o tempo, eu comecei a paquerá-la (afinal ela é linda, engraçada, divertida, sexy, voz mais sexy ainda, loira de olhos verdes… ai ai, melhor parar por aqui, rsrsrs), e ela sempre aceitou muito bem todos as minhas investidas, certo dia ela disse que gostava do que eu dizia pra ela, mas isso era ruim. Com o passar do tempo, as conversas foram ficando mais quentes e um dia ficou PRETTY HOT, mas do nada ela disse: – PARE! Eu vou parar e vc tb! Eu quero que vc seja MINHA, e isso é ruim, muito ruim, é errado, vc é casada, tem um filho, e eu querer ter vc é errado!
    Me falou sobre uma namorada que até então eu desconhecia, disse que havia contado a ela sobre nós e que elas tinham terminado, que ela a amava, mas que agora erão apenas amigas!
    Disse que pensa muito em mim, mas que devemos ser apenas amigas.
    Que se eu realmente for para os EUA, vamos tomar um sorvete ou um café. (em palavras dela) – Iremos tomar uma sorvete ou um café em um lugar PÚBLICO, sem beijos, sem toque e sem sexo! Ela disse que eu minto pra ela (ela não acredita que estou me separando e que vou para lá).
    Não sei o que eu faço, eu sou louca por essa mulher, ela tira meu sono, eu quero ela pra mim, quero ser aquela pessoa que faça carinho no rosto dela, que a abraçe, quero estar com ela qdo ela estiver triste, qro cuidar dela, quero amá-la… Não sei mais o que fazer!
    Por favor me ajudem!

    • Jac disse:

      A única forma de vc provar para ela que vc não está mentindo, é se separando e indo pros EUA. Não tem outra opção!

      Imagine quão ruim pra ela é se apaixonar por uma mulher casada-com-filho de outro país? É muita chance de ela dar com os burros n’água, então é você que tem que PROVAR que quer ela.

      • Íris disse:

        Obrigada Jac,
        Eu vou para os EUA (a não ser que meu visto seja negado, ai vai ser difícil eu tentar entrar clandestina né, rsrsrs). Mas a minha preocupação agora é! Será que ela me quer mesmo? fiquei em dúvida depois que ela falou da namorada e disse que qria ser apenas minha amiga… I’m very, very sad! I Love her!!! :/
        O que você acha? Please tell me!!

        • Dani disse:

          Uai, desculpa mas não tô enxergando o problema… vocês duas começaram a gostar uma da outra… só que ela nunca teve planos de vir morar aqui no Brasil… então o namoro de vocês duas só iria depender de você… ela, que provavelmente está apaixonada também, deve estar um pouco desesperada porque deve se sentir impotente em relação ao que sente… então, enquanto não tiver certeza absoluta que você estará lá, vai ficar tentando afogar qualquer sentimento… se eu fosse você, mandaria uma carta… pq aí vc conseguiria se tornar mais “real” do que por e-mail, msn, face etc… e se você for pra lá mesmo, boa sorte e sucesso!

          • Íris disse:

            Bom, meu caso não é tão simples assim, e esta cada vez se complicando mais. O fato é que ela não é qualquer mulher (e não estou brincando quando digo isso, só não posso dizer porque). Bom, o problema se agravou pq eu dei uma de louca desenfreada e disse que ia abandonar tudo pra ficar com ela e as conversas quentes voltaram, porém ela se sentiu culpada novamente e eu mais deseperada ainda comecei a pressioná-la pq eu estou muito apaixonada por ela, eu de fato a amo. Mas ela não é assumidamente lésbica diz apenas que simpatiza com a causa (o que eu pode comprovar que é uma tremenda mentira, mas isso não é da minha conta). O fato é que a melhor “amiga” dela se intrometeu e a minha ex-melhor amiga também (a biscate (desculpe a palavra) instalou um espião no meu computador e a ameaçou)) agora ela me excluiu do facebook, disse que não quer falar comigo e que esta muito desapontada (por algo que eu não fiz). Não sei o que fazer, tem o outro face dela, mas não add ainda pq sei que ela vai negar o convite.
            Eu não como, não durmo, estou a base de remédios… eu não sei mais o que fazer. Ela é tudo pra mim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *