Tradição: Relacionamento a Distância – Parte 2

Você conheceu uma menina linda, inteligente, divertida, que gosta de MPB assim como você e que tem 5 gatos para se juntarem aos seus 3 gatos solitários. Mas espere… ela mora em outra cidade! E agora?

Eu não vou mentir para você. Relacionamento a distância não é o ideal da mesma forma que ser homossexual não é o ideal. Sua vida seria muito mais fácil se você conseguisse gostar de um homem como gosta de uma mulher, assim como gostar de alguém que more perto de você. Mas o mais fácil nem sempre é o que nos faz felizes.

Então em algum momento você pode se ver apaixonadíssima por aquela deusa itanhaense. Minha cara amiga, não lhe resta outra alternativa a não ser um relacionamento a distância.

Tipos de Relacionamento a Distância

Consegui separar os RAD em quatro tipos básicos, conforme a imagem acima (clique para ampliá-la, dã). Eles não incluem todos os casos (como, por exemplo, o casal só tempos depois do primeiro encontro vir a começar um RAD), mas creio que 85% dos RAD se encaixam nas descrições. Preferi desconsiderar términos, que podem vir em qualquer fase.

Considerações extras:

Tipo 1- Quando você conhece a pessoa via internet, é esse o modelo ideal. Antes de se envolver muito, ou começar com cobrança, sofrimento e drama, é preferível que haja um primeiro contato pessoal.

Tipo 2- É o modelo mais hetero. Duas pessoas começam a namorar e depois acabam se separando geográficamente.

Tipo 3- É o “preferido” de 9 entre cada 10 lésbicas. O tempo no mundo lésbico corre muito mais rápido e lésbicas precisam de drama como precisam de ar. Não tem como esperar meses para se conhecerem pessoalmente. Precisam começar com o drama e planos de morarem juntas logo.

Tipo Fuja, Bino- Esse é o único tipo ao qual eu sou totalmente contra. Não há previsão de se encontrarem e você ficam “perdendo” oportunidades e tempo. E se a guria te enrola pra te conhecer e vocês nunca se viram por webcam, tem coisa errada aí, migá.

“Oi gata, sou femme, ruiva, com tatuagem e tenho 1,80m. Só não tenho webcam.”

VANTAGENS

Que vantagem poderia se ter com um relacionamento a distância? Aparentemente nenhuma, mas há algumas, sim! Veja:

– Se sua namorada for uma stalker psicótica que é capaz de te seguir pelas ruas sem você estar ciente, você pode aproveitar um pouco de liberdade em outra cidade… ou estado, ou país.  Mas se lembre que a internerd e celulares foram criados justamente para a sua namorada impedir você de sair com sua ex namorada melhor amiga.

– Se sua namorada for uma ninfomaníaca e você uma pobre mortal comum, você pode evitar algumas dores, queimaduras e afins. Mas se lembre que quando vocês se encontrarem, ela vai descontar toda a energia sexual acumulada em você (espero que seja em você, né?). (Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência)

 

“A viagem foi longa, você deve estar cansada, baby. Venha para a cama que eu faço uma massagem.”

– Sua amável sogra homofóbica provavelmente está em outra cidade, longe de você! O que evita que o número de assassinatos na sua cidade aumente em um.

– Você pode salvar logs para jogar na cara da sua namorada as promessas de irem morar juntas em menos de um mês nas DRs que vocês obviamente vão ter!

-Se você não gosta de animais de estimação, você pode evitar entrar em contato com os 23 gatos da sua… Espere! Se você não gosta de animais de estimação você não é lésbica, saia já desse blog!

Uma lésbica que não gosta de gatos? No way.

DESVANTAGENS

– Você não pode bancar a stalker perigosa e caçar sua mulher pelas ruas. No máximo conferir os scraps e tweets de 10 em 10 minutos.

– Você não pode chocar velhinhos no ônibus junto com sua namorada se agarrando lascivamente.

– Espere sua mãe descobrir que, como se não bastasse você namorar um guria, ela está em outra cidade!

E as desvantagens óbvias, claro:

– Sem sexo, sem beijo, sem carinho, sem afago, sem abraço, sem cafuné, sem carícia, sem contato. Sem almoços juntas, sem filmes juntas, sem acordar de manhã e ver ela toda sonolenta com o cabelo bagunçado etc etc etc.

– Rios de dinheiro para viajar.

“Lamento, Srª, mas nossa empresa não possui preços promocionais para lésbicas em relacionamento a distância.”

MOMENTO EXPERIÊNCIA PESSOAL

Até hoje em dia eu mantenho contato com meu ex-RAD, mas nunca cheguei a encontrá-la pessoalmente. O namoro não havia durado o suficiente para haver o primeiro encontro: a data foi alterada algumas vezes. Talvez por essa experiência eu não enfrentaria um relacionamento-relacionamento-mesmo a distância de novo. Nem recomendo você a pular de cabeça num RAD.

Entretanto já soube de casais que sobreviveram e estão juntas até hoje. Se você está num RAD, as chances de dar certo são menores, mas elas existem.  [/momento tentando dar esperança para casais em RAD]

“Veja nosso caso. Ela mudou de time e saiu da Itália para São Paulo. Eu não aguentei e também voltei para o Brasil. Hoje somos um casal unido feliz e já temos nosso primeiro baby.”

Compartilhe com a irmandade!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email
Esta entrada foi publicada em Relacionamento, Tradições e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

32 respostas para Tradição: Relacionamento a Distância – Parte 2

  1. Bel disse:

    Eu odeio gatos, ou qualquer animal d estimação? Sera q to me iludindo? E iludindo minha namorada? rsrsrsrs

    Ótimo post miigá… Essa vida de RAD um dia ainda m mata…

  2. gskevorkian disse:

    beeem poraih mesmo ^^
    ótimo post!

  3. =X disse:

    Eu odeio gatos.
    Cachorros são os melhores animais q existem.

  4. Arilis disse:

    Ahh vou dar meu depoimento hihi

    Namorei a distância e deu certo mesmo! 🙂
    Eu de SP e ela de SC nos conhecemos no leskut, depois veio orkut, msn, webcam, telefonemas, msgens até não aguentarmos mais e nos vimos 😉
    Mudei para Santa Catarina (claro que isso tem que ser visto com responsa, pois encontrei um trabalho antes de vir para cá e ela achou um ap para alugarmos) e estamos juntas há mais de um ano.

    Isso vai muito da disposição das duas para acontecer ou não, então gurias se estiverem nessa posição de RAD coloque na balança o que realmente vale a pena.

    Caraaa, adoreeei seu blog, continue postando

  5. Daniela de Paula disse:

    Odeio gatos tambem! Prefiro os cachorros… Mesmo assim ainda não curto muito kkk
    não sou lesbica???? :O uhuahuahuaha

    enfim, adorei, minha experiencia não foi boa!!!! NÃO mesmo uhauahuahauha
    mas faria de novo!!!!

    Adoro esse blog *—*
    beeijão

  6. Isabella Cani disse:

    Bom, eu odeio gatos profundamente. E adoooooooooooooooooro de forma doentia mulheres. =)
    Bom, já conheci uma guria pessoalmente depois de poucas conversas pela net. Até porque a cidade dela não é tão longe da minha. Todavia, já me apaixonei por outra que nunca conheci pessoalmente. E até hoje ela está tentando me esquecer. Cruel.
    Mas não sugiro a nenhuma lésbica entrar em um RAD. Aliás, não existem lésbicas que nunca entraram em um RAD. Dãaaa.

  7. Erika K. disse:

    Cara, achei esse blog pesquisando algo sobre o R.Show- The real L word, e achei incrível e viciante os posts do blog*-* Adorei a forma que são escritos rs’
    Eu mantenho um relacionamento à distancia há praticamente 1 ano e 10 meses e apesar dos altos e baixos, a falta e tudo que nós passamos pra ficarmos juntas, sei que vale a pena correr atrás desse sonho da gente se encontrar e viver felizes juntas de verdade. Acho que vai da esperança e da força de vontade de cada uma que mantém este tipo de relacionamento. (:

    Parabéns pelo blog! (Vou adicionar aqui nos meus favoritos) ;P

    Bjus!

  8. lucinara disse:

    A cada post a jac se superar, rad realmente são uma tradição no mundo da purpurina!
    eu nao sou muito fã de gatos, acho que isso não diminui meu grau de sapatice né?!
    enfim a espera do novo post, sinto que ele promete , hihihhi ^^

  9. =X disse:

    Acho q depois desses comentários mais do q nunca esta validado um post de lésbicas x animais

  10. olorruama disse:

    Pode me acrescentar a lista de quem não gosta de gatos, mas sempre me envolvo com algm que adoro esses peludos, td bemco eu tenho a tal da alergia pra contribuir, mas amo dogs….isso não faz menos L….apenas cria o desafio de conviver com este mamífero preguiçoso para o bem da relação, mas superável…
    adoro ler seus posts…são criativos e reais para noss cotiadiano

  11. olorruama disse:

    ops…não é tb bemco…mas apenas tbm

  12. Aline disse:

    Também já estive em um RAD, foi tudo muito louco, eram 7 horas de distância, mas demos um jeito e nos encontramos em apenas 6 dias após o primeiro contato virtual o.O
    Ficamos alguns meses juntas até que acabou. Hoje eu vejo isso tudo como uma grande loucura, não teria outro RAD de maneira alguma, quer dizer, a menos que seja alguém que eu já esteja me relacionando pessoalmente e que por força do destino tivemos que morar em cidades diferentes.

  13. Lariiss disse:

    “lésbicas precisam de drama como precisam de ar” vai ser meu novo subnick. LOL
    Tambem sou uma dog person, gatos nao me inspiram confiança u_u

  14. juliane disse:

    sheilla e mari hehehe shari S2

  15. Adorei o post e o blog!!!
    Muitoooooooooo bacana mesmo…Então não é so o meu que apita com a Mari e a Sheila né?rsrsrs
    Bjus

  16. Nsgl disse:

    Olá!
    Muito inteligente a matéria, mas só pra constar…já que o povo brasileiro é beeemm criativo e algumas pessoas podem pensar e sair falando besteira….as duas pessoas que aparecem na última foto da matéria….não se pronunciaram sobre qualquer envolvimento mais afetivo além da AMIZADE.
    Peço desculpas pelo desconforto, mas é que na internet tem todo tipo de pessoas, inclusive as imaturas e fofoqueiras que adoram “causar” com um boato.
    Um grande abraço e parabéns pelo blog!

  17. Condessa X disse:

    Morta de rir. 😉

  18. Gabriela disse:

    Adorei o blog, temas, post´s.
    Precisamos desse tipo de informação, acessibilidade ao mundo lésbico.
    É todo um processo para se chegar a um relacionamento a distância.
    Conhecer alguém virtualmente e perceber que em poucos dias (ou meses) essa pessoa se tornou essencialmente presente é uma questão não-alternativa.
    Do primeiro encontro, já se comprometem e embora estejam animadas, encantadas, não fazem idéia do acordo que foi feito.
    Relacionamento a distância estando ambas no armário ou não, é complicado. Saudade, agonia, vontade, desespero, aperto. A grana pra se verem fica cada vez mais curta; os feriados ficam cada vez mais distantes e os planos de morarem juntas são interrompidos na pressão em fazer acontecer; em se fazer presente; dar e receber.
    Apesar dos pesares, vale a pena viver essa experiência.

    Poderia rolar um encontrão só para as leitoras desse blog, hein?

    • Jac disse:

      Até que é uma boa idéia, mas…
      1- nem tem taaaanta leitora assim (como tem um Leskut)
      2- cada uma morando em um canto do Brasil =/ Só se fosse um encontro virtual mesmo (uhmm…)

  19. bruna disse:

    amei os gatinhu
    eu jah tive algunas centanas
    todos se foram para o ceu em sua devidad idade
    se n posso ter um , me viro com o de pelucia
    amu minhaus
    ()@()
    =(^,^)=
    (,,,)(,,,)

  20. Ju disse:

    ahahahah comecei com o RAD e hj tô casada. Previsível né?
    Começamos a namorar antes de nos beijarmos, pq nos conhecemos antes, em 6 meses larguei tudo no Rio e me mudei pra cá. São 5 anos juntas, 1 ano morando juntas e todo o ódio que a sogra possa ter nesse mundo. =D

  21. Luisa disse:

    Nesse post só faltou uma enquete no final perguntando “Você já teve um RAD?”
    Certo que a % de sim ia ser alta.

  22. Helena disse:

    Nos conhecemos pessoalmente, mas hj por força do trabalho temos um relacionamento em crise a distância (chato, né?!), mas vamo levando, quero chegar ao estágio da Ju (comentário aí de cima) pq promessa de casamento e troca de aliança já tivemos muitas vezes rsrsrs

    Adorei esse espaço, como to no armário por causa da familia, aqui me senti livre e confiante…bjos!

  23. Luana disse:

    E conserteza Rad nao dao muito certo mais existem casos raros(finais felizes) adoro muito o seu blog parabens msm

  24. Claudia Jf disse:

    Olá,Adorei o blog! tambem encontrei meu amor na net,namoramos 5 meses escondidas,eu casada,hetero até entaõ!ela caçulinha da mãmãe e uma renca de irmãos,e pra completar ela e familia toda evangelica!é mole?ela morava na BHAIA eu estado de Sampa,Más o amor falou bem alto !ali´as ele gritou!larguei marido enfretei familha e ela tambem! deixou tudo lá e veio morar comigo, hoje quase um ano já! estamos felizes, fomos aceitas!,Vivemos muito bem!formamos uma familha!

  25. Titi disse:

    Oi meninas, amei esse blog começei a lê hj.. Mais bem sou bisexual to gostando de uma menina lésbica, mais ela foi embora e disse q gosta de mim, mais parece q ela tem namorada, e alem de tudo quando eu fiquei com ela eu estava bebâda. E ela nao me deu nem num de celular, nem twitter, nem face, nem um contato, to esperando ela volta. Mais sera q ela gosta de mim? ou so ficou cmigo p me iludir?

  26. Danie =D disse:

    Amei. Estou na minha segunda RaD..

  27. Titi disse:

    AH pow e foda.. a menina me trai direto e mora longe de mim..

  28. Daniela disse:

    Bom, aí vai um comentário que você vai achar mto, mas mto mimimi msmo, bom faz um ano que me descobri nesse mundo novo lésbico. Sim eu sou uma adolescente e sim foi se apaixonado pela melhor amiga. E tb sim acertou mais uma vez eu comecei achando que eu era Bi. Aí vi que minha metade que eu acreditava pertencer a heterolandia era inexistente. Digo eca! Pra lá eu não volto e não volto nunca mais. Até pq meninas são tão mais pftas *-* enfim, o que eu vim falar é sobre uma garota que eu conheci, ela é lésbica assim como eu e nos conhecemos através de um site. Eu acabei me apaixonando perdidamente por ela, e sim eu já vi coisas sobre porn lesbo e sei oq é ser ativa ou passiva etc… E nisso tudo tava perfeito ela era passiva eu ativa etc etc… So tinha um problema ela morava a quatro horas de mim. Até que por sorte do destino eu me mudei e agora moramos meia hora uma da outra, o único problema é que ainda não tivemos nosso primeiro encontro e teremos no fim deste mês. Digo eu posso dizer que eu me descobri lésbica mesmo no começo desse ano, então é ainda um mundo muito muito novo para mim, por isso vim acompanhar sites como esse. Afinal cm uma mãe que finge que eu n assumi e cm um pai ausente eu nunca tenho a quem recorrer e tenho que passar por esse período de turbulência sozinha. Então estou aqui lhe pedindo de joelhos para que me ajude cm esse encontro, eu estou muito nervosa e não sei o que fazer!

  29. julia disse:

    Eu namoro a distância a 4 meses eu moro no Pernambuco e ela no rio de janeiro não sei nem quando vo ver ela
    Ela ja fico com alguém la
    Eu não consigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *