Tradição: Relacionamento a Distância – Parte 2

Leia a primeira parte aqui.

Você conheceu uma menina linda, inteligente, divertida, que gosta de MPB assim como você e que tem 5 gatos para se juntarem aos seus 3 gatos solitários. Mas espere… ela mora em outra cidade! E agora?

Eu não vou mentir para você. Relacionamento a distância não é o ideal da mesma forma que ser homossexual não é o ideal. Sua vida seria muito mais fácil se você conseguisse gostar de um homem como gosta de uma mulher, assim como gostar de alguém que more perto de você. Mas o mais fácil nem sempre é o que nos faz felizes.

Então em algum momento você pode se ver apaixonadíssima por aquela deusa itanhaense. Minha cara amiga, não lhe resta outra alternativa a não ser um relacionamento a distância.

Itanhaem - Sao Paulo

Tipos de Relacionamento a Distância

Consegui separar os RAD em quatro tipos básicos, conforme a imagem acima (clique para ampliá-la, dã). Eles não incluem todos os casos (como, por exemplo, o casal só tempos depois do primeiro encontro vir a começar um RAD), mas creio que 85% dos RAD se encaixam nas descrições. Preferi desconsiderar términos, que podem vir em qualquer fase.

Considerações extras:

Tipo 1- Quando você conhece a pessoa via internet, é esse o modelo ideal. Antes de se envolver muito, ou começar com cobrança, sofrimento e drama, é preferível que haja um primeiro contato pessoal.

Tipo 2- É o modelo mais hetero. Duas pessoas começam a namorar e depois acabam se separando geográficamente.

Tipo 3- É o “preferido” de 9 entre cada 10 lésbicas. O tempo no mundo lésbico corre muito mais rápido e lésbicas precisam de drama como precisam de ar. Não tem como esperar meses para se conhecerem pessoalmente. Precisam começar com o drama e planos de morarem juntas logo.

Tipo Fuja, Bino- Esse é o único tipo ao qual eu sou totalmente contra. Não há previsão de se encontrarem e você ficam “perdendo” oportunidades e tempo. E se a guria te enrola pra te conhecer e vocês nunca se viram por webcam, tem coisa errada aí, migá.

“Oi gata, sou femme, ruiva, com tatuagem e tenho 1,80m. Só não tenho webcam.”

VANTAGENS

Que vantagem poderia se ter com um relacionamento a distância? Aparentemente nenhuma, mas há algumas, sim! Veja:

– Se sua namorada for uma stalker psicótica que é capaz de te seguir pelas ruas sem você estar ciente, você pode aproveitar um pouco de liberdade em outra cidade… ou estado, ou país.  Mas se lembre que a internerd e celulares foram criados justamente para a sua namorada impedir você de sair com sua ex namorada melhor amiga.

– Se sua namorada for uma ninfomaníaca e você uma pobre mortal comum, você pode evitar algumas dores, queimaduras e afins. Mas se lembre que quando vocês se encontrarem, ela vai descontar toda a energia sexual acumulada em você (espero que seja em você, né?). (Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência)

“A viagem foi longa, você deve estar cansada, baby. Venha para a cama que eu faço uma massagem.”

– Sua amável sogra homofóbica provavelmente está em outra cidade, longe de você! O que evita que o número de assassinatos na sua cidade aumente em um.

– Você pode salvar logs para jogar na cara da sua namorada as promessas de irem morar juntas em menos de um mês nas DRs que vocês obviamente vão ter!

-Se você não gosta de animais de estimação, você pode evitar entrar em contato com os 23 gatos da sua… Espere! Se você não gosta de animais de estimação você não é lésbica, saia já desse blog!

Uma lésbica que não gosta de gatos? No way.

DESVANTAGENS

– Você não pode bancar a stalker perigosa e caçar sua mulher pelas ruas. No máximo conferir os scraps e tweets de 10 em 10 minutos.

– Você não pode chocar velhinhos no ônibus junto com sua namorada se agarrando lascivamente.

– Espere sua mãe descobrir que, como se não bastasse você namorar um guria, ela está em outra cidade!

E as desvantagens óbvias, claro:

– Sem sexo, sem beijo, sem carinho, sem afago, sem abraço, sem cafuné, sem carícia, sem contato. Sem almoços juntas, sem filmes juntas, sem acordar de manhã e ver ela toda sonolenta com o cabelo bagunçado etc etc etc.

– Rios de dinheiro para viajar.

“Lamento, Srª, mas nossa empresa não possui preços promocionais para lésbicas em relacionamento a distância.”

MOMENTO EXPERIÊNCIA PESSOAL

Até hoje em dia eu mantenho contato com meu ex-RAD, mas nunca cheguei a encontrá-la pessoalmente. O namoro não havia durado o suficiente para haver o primeiro encontro: a data foi alterada algumas vezes. Talvez por essa experiência eu não enfrentaria um relacionamento-relacionamento-mesmo a distância de novo. Nem recomendo você a pular de cabeça num RAD.

Entretanto já soube de casais que sobreviveram e estão juntas até hoje. Se você está num RAD, as chances de dar certo são menores, mas elas existem.  [/momento tentando dar esperança para casais em RAD]

“Veja nosso caso. Ela mudou de time e saiu da Itália para São Paulo. Eu não aguentei e também voltei para o Brasil. Hoje somos um casal unido feliz e já temos nosso primeiro baby.”


FacebookGrupo do Flexões no FaceTwitterInstagram


Lista de Posts do Blog

Obrigada por compartilhar e comentar! É o que me incentiva a continuar postando =)
error

33 respostas para “Tradição: Relacionamento a Distância – Parte 2”

  1. Eu odeio gatos, ou qualquer animal d estimação? Sera q to me iludindo? E iludindo minha namorada? rsrsrsrs

    Ótimo post miigá… Essa vida de RAD um dia ainda m mata…

  2. Ahh vou dar meu depoimento hihi

    Namorei a distância e deu certo mesmo! 🙂
    Eu de SP e ela de SC nos conhecemos no leskut, depois veio orkut, msn, webcam, telefonemas, msgens até não aguentarmos mais e nos vimos 😉
    Mudei para Santa Catarina (claro que isso tem que ser visto com responsa, pois encontrei um trabalho antes de vir para cá e ela achou um ap para alugarmos) e estamos juntas há mais de um ano.

    Isso vai muito da disposição das duas para acontecer ou não, então gurias se estiverem nessa posição de RAD coloque na balança o que realmente vale a pena.

    Caraaa, adoreeei seu blog, continue postando

  3. Odeio gatos tambem! Prefiro os cachorros… Mesmo assim ainda não curto muito kkk
    não sou lesbica???? :O uhuahuahuaha

    enfim, adorei, minha experiencia não foi boa!!!! NÃO mesmo uhauahuahauha
    mas faria de novo!!!!

    Adoro esse blog *—*
    beeijão

  4. Bom, eu odeio gatos profundamente. E adoooooooooooooooooro de forma doentia mulheres. =)
    Bom, já conheci uma guria pessoalmente depois de poucas conversas pela net. Até porque a cidade dela não é tão longe da minha. Todavia, já me apaixonei por outra que nunca conheci pessoalmente. E até hoje ela está tentando me esquecer. Cruel.
    Mas não sugiro a nenhuma lésbica entrar em um RAD. Aliás, não existem lésbicas que nunca entraram em um RAD. Dãaaa.

  5. Cara, achei esse blog pesquisando algo sobre o R.Show- The real L word, e achei incrível e viciante os posts do blog*-* Adorei a forma que são escritos rs’
    Eu mantenho um relacionamento à distancia há praticamente 1 ano e 10 meses e apesar dos altos e baixos, a falta e tudo que nós passamos pra ficarmos juntas, sei que vale a pena correr atrás desse sonho da gente se encontrar e viver felizes juntas de verdade. Acho que vai da esperança e da força de vontade de cada uma que mantém este tipo de relacionamento. (:

    Parabéns pelo blog! (Vou adicionar aqui nos meus favoritos) ;P

    Bjus!

  6. A cada post a jac se superar, rad realmente são uma tradição no mundo da purpurina!
    eu nao sou muito fã de gatos, acho que isso não diminui meu grau de sapatice né?!
    enfim a espera do novo post, sinto que ele promete , hihihhi ^^

  7. Pode me acrescentar a lista de quem não gosta de gatos, mas sempre me envolvo com algm que adoro esses peludos, td bemco eu tenho a tal da alergia pra contribuir, mas amo dogs….isso não faz menos L….apenas cria o desafio de conviver com este mamífero preguiçoso para o bem da relação, mas superável…
    adoro ler seus posts…são criativos e reais para noss cotiadiano

  8. Também já estive em um RAD, foi tudo muito louco, eram 7 horas de distância, mas demos um jeito e nos encontramos em apenas 6 dias após o primeiro contato virtual o.O
    Ficamos alguns meses juntas até que acabou. Hoje eu vejo isso tudo como uma grande loucura, não teria outro RAD de maneira alguma, quer dizer, a menos que seja alguém que eu já esteja me relacionando pessoalmente e que por força do destino tivemos que morar em cidades diferentes.

  9. “lésbicas precisam de drama como precisam de ar” vai ser meu novo subnick. LOL
    Tambem sou uma dog person, gatos nao me inspiram confiança u_u

  10. Olá!
    Muito inteligente a matéria, mas só pra constar…já que o povo brasileiro é beeemm criativo e algumas pessoas podem pensar e sair falando besteira….as duas pessoas que aparecem na última foto da matéria….não se pronunciaram sobre qualquer envolvimento mais afetivo além da AMIZADE.
    Peço desculpas pelo desconforto, mas é que na internet tem todo tipo de pessoas, inclusive as imaturas e fofoqueiras que adoram “causar” com um boato.
    Um grande abraço e parabéns pelo blog!

  11. Adorei o blog, temas, post´s.
    Precisamos desse tipo de informação, acessibilidade ao mundo lésbico.
    É todo um processo para se chegar a um relacionamento a distância.
    Conhecer alguém virtualmente e perceber que em poucos dias (ou meses) essa pessoa se tornou essencialmente presente é uma questão não-alternativa.
    Do primeiro encontro, já se comprometem e embora estejam animadas, encantadas, não fazem idéia do acordo que foi feito.
    Relacionamento a distância estando ambas no armário ou não, é complicado. Saudade, agonia, vontade, desespero, aperto. A grana pra se verem fica cada vez mais curta; os feriados ficam cada vez mais distantes e os planos de morarem juntas são interrompidos na pressão em fazer acontecer; em se fazer presente; dar e receber.
    Apesar dos pesares, vale a pena viver essa experiência.

    Poderia rolar um encontrão só para as leitoras desse blog, hein?

    1. Até que é uma boa idéia, mas…
      1- nem tem taaaanta leitora assim (como tem um Leskut)
      2- cada uma morando em um canto do Brasil =/ Só se fosse um encontro virtual mesmo (uhmm…)

  12. amei os gatinhu
    eu jah tive algunas centanas
    todos se foram para o ceu em sua devidad idade
    se n posso ter um , me viro com o de pelucia
    amu minhaus
    ()@()
    =(^,^)=
    (,,,)(,,,)

  13. ahahahah comecei com o RAD e hj tô casada. Previsível né?
    Começamos a namorar antes de nos beijarmos, pq nos conhecemos antes, em 6 meses larguei tudo no Rio e me mudei pra cá. São 5 anos juntas, 1 ano morando juntas e todo o ódio que a sogra possa ter nesse mundo. =D

  14. Nesse post só faltou uma enquete no final perguntando “Você já teve um RAD?”
    Certo que a % de sim ia ser alta.

  15. Nos conhecemos pessoalmente, mas hj por força do trabalho temos um relacionamento em crise a distância (chato, né?!), mas vamo levando, quero chegar ao estágio da Ju (comentário aí de cima) pq promessa de casamento e troca de aliança já tivemos muitas vezes rsrsrs

    Adorei esse espaço, como to no armário por causa da familia, aqui me senti livre e confiante…bjos!

  16. Olá,Adorei o blog! tambem encontrei meu amor na net,namoramos 5 meses escondidas,eu casada,hetero até entaõ!ela caçulinha da mãmãe e uma renca de irmãos,e pra completar ela e familia toda evangelica!é mole?ela morava na BHAIA eu estado de Sampa,Más o amor falou bem alto !ali´as ele gritou!larguei marido enfretei familha e ela tambem! deixou tudo lá e veio morar comigo, hoje quase um ano já! estamos felizes, fomos aceitas!,Vivemos muito bem!formamos uma familha!

  17. Oi meninas, amei esse blog começei a lê hj.. Mais bem sou bisexual to gostando de uma menina lésbica, mais ela foi embora e disse q gosta de mim, mais parece q ela tem namorada, e alem de tudo quando eu fiquei com ela eu estava bebâda. E ela nao me deu nem num de celular, nem twitter, nem face, nem um contato, to esperando ela volta. Mais sera q ela gosta de mim? ou so ficou cmigo p me iludir?

  18. Bom, aí vai um comentário que você vai achar mto, mas mto mimimi msmo, bom faz um ano que me descobri nesse mundo novo lésbico. Sim eu sou uma adolescente e sim foi se apaixonado pela melhor amiga. E tb sim acertou mais uma vez eu comecei achando que eu era Bi. Aí vi que minha metade que eu acreditava pertencer a heterolandia era inexistente. Digo eca! Pra lá eu não volto e não volto nunca mais. Até pq meninas são tão mais pftas *-* enfim, o que eu vim falar é sobre uma garota que eu conheci, ela é lésbica assim como eu e nos conhecemos através de um site. Eu acabei me apaixonando perdidamente por ela, e sim eu já vi coisas sobre porn lesbo e sei oq é ser ativa ou passiva etc… E nisso tudo tava perfeito ela era passiva eu ativa etc etc… So tinha um problema ela morava a quatro horas de mim. Até que por sorte do destino eu me mudei e agora moramos meia hora uma da outra, o único problema é que ainda não tivemos nosso primeiro encontro e teremos no fim deste mês. Digo eu posso dizer que eu me descobri lésbica mesmo no começo desse ano, então é ainda um mundo muito muito novo para mim, por isso vim acompanhar sites como esse. Afinal cm uma mãe que finge que eu n assumi e cm um pai ausente eu nunca tenho a quem recorrer e tenho que passar por esse período de turbulência sozinha. Então estou aqui lhe pedindo de joelhos para que me ajude cm esse encontro, eu estou muito nervosa e não sei o que fazer!

  19. Eu namoro a distância a 4 meses eu moro no Pernambuco e ela no rio de janeiro não sei nem quando vo ver ela
    Ela ja fico com alguém la
    Eu não consigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *