Bloomington e Relacionamentos Professora/Aluna

De tempos em tempos eu encontro um filme lésbico que me empolgue. Foi assim com Bitch Slap, com Chloe e agora com Bloomington.

Quando soube que um novo filme sobre o relacionamento de uma professora com uma aluna seria lançado, eu fiquei mais ansiosa e mais empolgada do que fã de Crepúsculo em dia de estréia. Para mim o grande filme do ano não seria A Origem, nem A Rede Social (bleh), nem Black Swan (mesmo com a Mila Kunis ahn… you know). Nada poderia superar uma obra como essa:

Relacionamento professora/aluna é um plot extremamente sexy. E por extremamente sexy entenda-se duas vezes mais proibido: por terem uma relação profissional e por serem mulheres.

Jacqueline Kirk (sim, um nome tãããooo lindo com um sobrenome de referência trekkie tão tosco) é uma Miley Cyrus Vanessa Hudgens Britney Bitch Spears atriz que fez sucesso quando era criança/adolescente numa série de TV.  Uns anos depois da série terminar, ela decide fazer faculdade de Letras e Psicologia (olha essas faculdades e me diz se ela não é fancha mesmo) en el culo del mundo. Lá ela conhece a professora fetiche-sex-symbol-power-lesbian-de-tailleur Catherine.

"Quer apostar que eu te pego antes de 20min do filme?"

Oficialmente a personagem Jacqueline deve ter pouco mais de 20 anos, mas é difícil acreditar que ela passa dos 16. Não sei se foi uma jogada para acrescentarem “pedofilia” na lista de proibições do amor das duas sem ter que tratar disso na história ou só mera coincidência. Não que eu esteja reclamando de uma guria mais estilo menininha fofinha.

E isso só vem a acrescentar mais para a imagem de predadora que dão para a Catherine. Sério, chega a ser absurdo de irreal, mas fetiches (e não adianta negar que plot professora/aluna é fetichista) usam estereótipos. E se você tem um fetiche de professora-predadora, vai dar loop eterno nos primeiros minutos do filme.

Catherine e Jacqueline

Nesse aspecto Bloomington é o oposto de Loving Annabelle. Neste, é a aluna quem toma a iniciativa e parte pra cima de uma professora confusa e não-decidida o que eu acho de certa forma irreal.

You know, vai dizer que você já era uma lésbica predadora no seu ensino médio a ponto de caçar um professora descaradamente? Eu, por exemplo, mal conseguia dar uma indireta na minha melhor-amiga-paixão-platônica-hetero, quanto mais em uma professora.

"Deveria mandar uma cartinha anônima? Uma maçã bem vermelha? Uma maçã do amor lésbico?"

Catherine chega a ser tão predadora, mas tão predadora que tira a virgindade da protagonista em 15 minutos do filme! (E isso não é spoiler porque é óbvio que ia ter sexo num filme lésbico!!!) Que homem conseguiria isso (mesmo numa história de ficção)? Reparem no vídeo abaixo quanto tempo se passou desde a apresentação formal de catherine até ela beijar Jacqueline:

(Isso que ainda logo em seguida rola um convite “quer ir na minha casa?”)

[EDIT: Já que o lindo youtube tirou o vídeo, upei ele aqui]

E isso é ruim?

Veja bem, se isso fosse um filme hetero eu teria achado um lixo e já teria parado de ver logo no começo. Maaaas como é um filme lésbico, eu acabo relevendo esses meros detalhes de verossimilhança em favor do fetichismo. Fazer o que se eu tenho dois pesos e duas medidas para filmes?

E cá entre nós, não seria ótimo ter tido uma professora dessas? Quem em sã consciência não teria reprovado de ano para ter aula com um ser que tenha aquela mordida de lábio?

Bônus pra quem ainda prefere a mordida de lábia da Simone de Loving Annabelle:

É uma pena que depois de conquistar a presa, a professora dê uma acalmada. Não esperem por uma cena de sexo lá muito passional e fogoso.

3,78m de distância uma da outra.

Mas nem só de cenas de sexo vivem filmes lésbicos (exceto Room in Rome). As duas atrizes são lindas e a história é sobre uma professora e uma aluna e pra mim isso já é o suficiente. Claro que podia ter tido um roteiro mais consistente e menos participação masculina e mais cenas de sexo e mais exemplos práticos da teoria da reversão da autonegação e mais titilação e um final diferente, mas… OMG! E daí? É uma história professora/aluna!!!

Estranhamente, que eu sabia, existem pouquíssimos filmes com esse plot: Bloomington, Loving Annabelle e Mädchen in Uniform. E não é como se fosse algo raríssimo na realidade. Conheço gente que já levou professora pra motel [/alfinetada pessoal 1], gente que levou cantada de professora casada-com-filho [/alfinetada pessoal 2], fora os casos (1, 2, 3 – ok, o último não conta… muito) que volta e meia aparecem na mídia.

"Vem cá que eu te ensino a teoria da reversão da autonegação."

Então se você está cansada de ver Loving Ananbelle três vezes por mês por ser a única fonte de histórias professora/aluna, trate de alternar com Bloomington e seja feliz!

"Pelo menos eu tô felicíssima!"

Compartilhe com a irmandade!Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
Esta entrada foi publicada em Mídia e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

102 respostas para Bloomington e Relacionamentos Professora/Aluna

  1. Primeira Dama disse:

    Hmm! Verei o filme então o/ negócio é que relacionamento aluna-professora é complicado demais, ainda mais com as casadas. E ah. Casada não rola =x Deveria ser mais explorado em filmes, sim!
    Beijosss baby pisca*

  2. Elis disse:

    Hahahahah
    Ótimo, como sempre!
    Vivam os casos professora/aluna! o/ o/ o/
    Eu mesma tenho fantasias com professoras desde a 1ª série. (claaro que eu não sabia na época, mas depois de grande nós percebemos né…)

  3. lucinara disse:

    hauhuahuahuahua
    É indiscutivel ao meu ver o poder de persuação dessa mulher, quando vi o video pensei: Caramba, me ensina a ser assim ! Quando crescer quero ser igual a você!
    Além do que resister a essa mulher e quase um atentado aos bons modos lesbicos!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Gostei de Loving annabelle, mais o oscar goes to do meu coração vai pra catherine!

  4. Lariiss disse:

    Soh eu me pergunto como a Jac consegue essas fotos e gifs que se encaixam perfeitamente no texto?
    hauhauhauhauhauha me apaixonei pela guria oriental lá :b
    eu tenho uma queda por qualquer plot colegial, acho que eh o ambiente cheio de regras, seilah 😡

  5. Lariiss disse:

    o emoticon era pra ser ‘=x’ o/

  6. =X disse:

    Qual o torrent que vc pegou p baixar?

    Quanto ao aluna x prof… já diria a autora deste blog: “que atire o primeiro dildo aquela que nunca…”
    ai, vcs completam

    =X

  7. Gabi disse:

    e sabe qual é a melhor coisa desse filme? fora a cena da autonegação, lógico… a diretora é brasileira..fernanda cardoso hahaha
    não é na copa que eu tenho orgulho de ser brasileira….hahah brincadeirinha…ou não, enfim…

    • Fabi disse:

      Sem duvidas a melhor parte do filme é a hora do ensino a teoria da reversão da autonegação, Jac seu blog é trilegal.kkkkkkkkkk 🙂

  8. monicat disse:

    Pô, achei bem triste :~
    É uma história linda, mas triste… (mas bem que eu queria também uma professora dessas)

  9. Olá, acompanho o seu blog a algum tempo
    e acho muito interessante e original.
    tenho um blog chamado Stop Homofobia > http://stophomofobia27.blogspot.com/
    que está no começo , mas gostaria de chegar ao maior numero de internautas possivel
    e passar a mensagem contra homofobia
    se for do seu interesse fazer parceria com meu blog, ficaria honrado.

  10. Pagu Lutz disse:

    Ótimo post Jac, ri do início ao fim.
    Mesmo com muitos e se a aluna parecesse mais velha esteticamente, e se rolasse mais pegação, e se não houvesse tanto papo sobre naves e viagens espaciais (oi), e se…………… Adorei Bloomington e atualmente Allison McAtee é minha mais recente musa, sim estou feliz *-*

  11. Kety disse:

    Adorei o post … também fiquei fanática com esse filme a ponto de mandar email para diretora Brasuca elogiando o filme. Sexy demais 😀 ( no site do filme tem o email)

    Já assisti umas mil vez ..rsrsrsrs

    Eu quero uma professora dessa…
    ao contrario da jacks não deixarei !

  12. su disse:

    … entaum… fiquei passada com aquele caso deferido recentemente que condenou uma professorinha por ter um caso com sua aluna (dmenor). Por isso que já perguntei quantos anos tem minha aluna preferida (19 huhuhuhuhuhuh). OMG!!!!!!! jamais teria coragem, posto que “onde se ganha o pão, não se come a carme”… inda mais quando a carne é heteronoivadeummala!

    Vi Loving Ananbell recentemente… considero fraquinho, porém excitante por ser lésbico. Vivas à causa!

  13. kamila disse:

    #Uma professoras dessas não leciona na minha faculdade 🙁

    Quem resiste a essa Catherine ?
    Muito boa….. quero dizer, muito bom o filme .hehe

  14. juliana disse:

    como e o nome desse filme?

  15. alecky disse:

    Estou doida pra baixar este filme, ja vi o trailer e axei maravilhoso, espero que o final seja diferente de Loving anabelle.

    http://meumundo-alecky.blogspot.com

  16. Caroline disse:

    Ai, essa professora…(6)

  17. lu disse:

    Você escreve muito o mal, e esse site é uma merda, o roteiro do filme é igual seu site.
    beijos

    • Ju disse:

      Opa, e sua educação é tão boa qto o site não é mesmo?
      Eu pro explo não estava interessada no roteiro, até pq né? não queria ver roteiro digno de Oscar e sim a gostosa da professora. ahahahahahahahahahahahah
      bjos pra você que é um docinho de pessoa e com uma educação exmplar. Será que vc foi pra Bloomington e tomou um fora de uma professora gostosa dessas? ahahahahahah

    • Val disse:

      Penso que deva ter lido bastante, matado sua curiosidade se deliciado e só depois surgiu a falsa moral. Se entrou no site descobriu que é uma merda é pq teve bastante tempo olhando tudo. Não se engane minha cara não se revolte com vc e seus sentimentos, não brigue com eles, não resista. VIVA E DEIXE VIVER!letra de musica. sucesso na sua aceitação, pq vc já descobriu do q gosta só falta aceitar. bj

  18. Kamila C. disse:

    Eu já dei em cima da minha professora várias vezes, levei mil foras e um milhão de cortes e tals… Ok! Não obtive sucesso, mas ela, hoje em dia, é amiga da minha “ex” (que nunca estudou com ela, mas estudou com a “suposta” ex mulher dela – que por sinal é professora de biologia). Quando me encontrou disse: “Já fez 18?” . *————* Eu ri. Disse que só próximo ano, aí ela: “Ah, assim não da pra gente marcar e sair”. Não sei se ela estava trollando com a minha cara, mas passei o dia todo flutuando. Detalhe: Sou apaixonada por ela desde a 8ª série. Hoje ela não é minha professora, apesar de ensinar na mesma escola que eu estudo, eu não a vejo com frequência. Mas ainda tenho a impressão de que ela vai me dá bola um dia… D’:

    PS.: Foi a primeira mulher feminina que chamou minha atenção (muita atenção). Claro, tirando a Megan Fox, Lindsay Lohan, Emma Watson, Ana Paula Arósio, Angelina… (enfim, mulheres da mídia e etc).

  19. L. disse:

    Não é exatamente a mesma coisa, mas… Sou médica em um colégio e viajei com os alunos a trabalho para uns jogos. Uma aluna linda da equipe de futsal me deixou doida com suas encaradas e esbarradas “acidentais”. Tive que repetir pra mim mesma várias vezes: “onde se ganha o pão, não se come a carme”. Que semana longa… rs

    • S. disse:

      Na internet sempre vejo alunas apaixonadas e provocando suas professoras, mas quase nunca vejo comentários como esses. Acho que: ou as alunas que comentam são sempre muito novinhas e imaturas, e ficam imaginando coisas onde não existe nada, ou então as professoras são bem reservadas e bem resolvidas, não saem em blogs lésbicos ou coisas do tipo comentando sobre como uma aluna específica faz o auto controle delas ir para o espaço… Mas é legal ver que isso acontece as vezes, me dá mais esperanças com o drama que eu estou metida, rs.

  20. Lucila disse:

    Adorei o tópico, achei muito divertido… sabe que comigo foi o contrário; na época eu lecionava inglês em um curso, e certo dia (com uma de minhas salas) marcamos para ir ao cinema assistir um filme de terror. Observação pertinente: claro que eu já tinha notado as indiretas de uma de minhas alunas para mim durante todo curso. Bem, neste dia do cinema ela falou como quem não quer nada: “Ai professora se eu assustar vou me segurar em vc!” Dito e feito, aliás, não só segurou como pegou na minha mão e ficou fazendo carinho (Ai, meu Pai!!!) tive que lutar com todas as forças e repetir exaustivamente um mantra na minha cabeça; “não, não, não, não…”
    Foi mega difícil, (grau de dificuldade: +10) e explico o pq: Na época eu estava com 23 anos (atualmente tenho 29) e ela com 16; ela era muito fofa, um amor para se resistir; sem contar que era muito bonita tbm.
    Mas enfim, são situações que acontecem na vida rs
    Abraços à todas!

  21. S disse:

    Eu não entendi porque ela não quis ficar com a professora, é ajudou tanto ela , era tão compreensiva, e vou dizer esse é um sonho de tantas alunas, eu mesma não consegui entender a minha professora, parecia que ela dava umas olhadas diferentes pra mm, e agora parece q ela tenta evitar e fica meio nervosam é até engraçado, eu não disse quase nada com ela, mas quando eu dei um presente p ela em seu aniversário e ela me abraçou, sério, eu tive q ficar parada uns minutinhos, pq ela deixou minhas pernas bambas e eu não conseguia sair do lugar, e ja fazem quase dois anos q e tenho esse sentimento por ela, e parece q ele não irá passar enquanto eu não disser alguma coisa, e além do mais ela é uma pessoa de mente aberta sem preconceito.
    Eu não sei o que fazer, alguma ajuda ae? Será q eu devo dizer alguma coisa, ela parece ser séria mas as vezes sei lá, tbm signo de gemeos, né, rsrsrrs, brincadeirinha.
    Ah, muito legal esse site, o filme é muito bom.

    • 2girls1cat disse:

      Olha eu tenho certo receio com professoras. Pq se acontecer algo e isso vazar, vai dar merda.
      Meu conselho seria, deixa a professora pra lá, procure as alunas, vai ser mais fácil.

  22. S disse:

    Vlw pelo conselho, tava precisando, mas essa professora é tão misteriosa e interessante, já fui até na clinica de terapia dela, e algumas amigas da facu ficam enchendo o saco e dizem, olha lá sua amiga, e eu falei aonde, e elas dizem a professora, ja q ela soh lembrou seu nome quando fomos fazer um trabalho sobre a clinica dela, eu acho q é pq ela faltou um dia na aula e eu mandei e-mail perguntando sse ela estava bem, e ela cabou me respondendo q ñ estava, sei q é soh abobrinhas ou até mesmo inveja delas, por terem raiva da professora, mas ela tem olhar q chega a penetrar na alma, e eu nunca tinha me sentido assim, sabe aquela sensação de q vc tem ao menos beija-la p saber se é isso tudo mesmo, e p mim parece ser mais facil, ja q brincando eu ja a chamei p comer pizza se o corinthians ganhasse, ja q ela tbm é, e ela disse sim, mas o corinthians perdeu, e eu fiquei sem graça de chama-la mesmo assim, ñ sei o q aconteceria se eu a chamasse p conversar fora da facu, sei lá ela me parece ser tão sozinha mesmo estando rodiada de pessoas, sei lah talvez seja melhor ficar soh admirando-a de longe.
    Detalhe: Soh me interesso por mulheres mais maduras e soh se for professoras, talvez seja algum tipo de fetiche, rsrsrsrsrs, mas essa professora eh diferente, para q p confirmar o q sinto, gostando mesmo dela ou ñ, precisaria mesmo beija-la.
    Mas eu acho q vou seguir seu conselho parece q ela tem um espirito muito forte, p mim aguentar mesmo, parecendo q carrega um grande peso nos ombro.
    Agradecida 2girls1cat pela ajuda.

  23. S disse:

    Ah eu tbm ñ disse, mas eu nunca fiquei com nenhuma mulher, bom uma ja me agarrou e me beijou a força, mas eu ñ senti nada e nem liguei, primeiro por eu não gosto de ser forçada, mas com essa professora parece q a aquele necessidade de descobrir se esse friozinho na barriga, a procura dela por todos os lados na hora do intervalo , soh vejo a minha cabeça p la e p cá, é soh admiração pelo conhecimento que ela detém ou outra coisa. E parece q ela provoca algo q ela n fazia era cumprimentar as pessoas com abraços ou beijo no rosto, e nem parecia conversar com os alunos na hora do intervalo, agora ela ja faz isso, bem quando eu estou passando, ou para beber agua no bebedouro e fica de costas p mim, doido né. Mas parece q soh ela mexe comigo dessa maneira, é engraçado, e quando ela cortou o cabelo e entrou na sala e eu vi, por que eu estava perto da porta eh claro, eu disse em voz alta uau, olhando ela entrando na sala, acho eu q ela ñ ouviu, e nesse mesmo dia, uma moça da minha sala falou q se ela tinha mudado o visual por causa do namorada, ela disse, claro q ñ, sim pelo meu aniversário, mas q ela ficou muita mais bonita ficou, meu, subiu um calor, e toda vez q ela tava explicando a materia, parecia q ela ficava mais p o meu lado, e nossa era dificik resistir ao calor, soh dava eu pegando uma folha e me abanando, muito engraçado, e sabe quando vc percebe por mais q os professores olham os alunas soh ficam no maximo 3 a 4 segundos olhando os alunos, pq eles olham geral, mas ela por mais q estivesse de pé na minha frente vinha aquele sentimento de q ela estava soh me olhando, e quem diz na mesma frase sobre morango e chantili, e vinho acompanhado com queijo e passa o olhar p vc por um tempinho a mais, com a aparencia de um sorrisinho meio duvidoso.

  24. amandinha disse:

    Peraê a sua prof é lesbica ou eu li e entendi errado .Se for ,ela ta afim de repetir um Bloomington ( seja la o q essa palavra qr dizer) .
    Se ñ for , cuidado ,vc pode passar por lesbica iludida,paranoica .

  25. tami disse:

    MInha primeira ( e única) relação lésbica foi com minha professora do médio. ela tb nunca tinha ficado com garotas antes. na verdade, nós duas nunca tínhamos ficado com ngm, mulher ou homem. eu tinha 16 e ela 26 quando me apaixonei. e precisei de um ano e meio pra saber que era amor e chegar nas vias de fato. no dia do aniversário dela, dois anos depois que nos conhecemos, nós começamos a namorar. foi o beijo mais lindo e mais apaixonante da minha vida. nós aprendemos tudo juntas. só um mês depois do primeiro beijo nós tivemos a primeira relação sexual. e desde então, meu coração é só dela. da minha professorinha linda e inteligente.

  26. Li disse:

    Que história hein!?

  27. Carol disse:

    Adorei a história… algo que já vivi! Durante a faculdade, me apaixonei por uma professora, mas acho que não consegui disfarçar e sempre achei que ela meio que correspondia, mas tudo era novidade pra mim e eu não sabia interpretar os olhares e as “ações dela”. Além de tudo, sou tímida, ferra tudo. Nunca tive uma amizade de ficar conversando com professores, e em um dia, em uma determinada palestra com várias pessoas, ela escolheu sentar do meu lado (e tinha outros profs e alunos no auditório) e eu não consegui disfarçar o nervosismo. Minha respiração estava pesada, coração disparado, tentei me aproximar (de leve) durante um filme que passaram mas nada além disso, enfim, me formei e ainda penso nela, pq ficou a sensação do quase entendem… (que triste né) e tenho ela no msn ainda. Penso comigo, se ela nao quisesse ou quisesse me ignorar, ela iria me tirar do msn, não? Hoje tenho praticamente zero contato com ela, tirando facebook e msn, mas não puxo conversa, não tenho coragem (aff). Estou pensando em mandar um email pra ela com este trailer, e meio que deixar subentendido que alguma aluna ainda pensa nela, mas sem assinar ainda… entendem? o que acham? por email é uma boa opção pra se “declarar”?

    • Jac disse:

      Olha, se você não tem coragem de se declarar assinando seu nome e a dúvida está te corroendo, acho válido tentar fazer umas declarações anonimas. Mas se você ver que ela te responder ou alguma coisa, você precisa uma hora assumir que é você!

  28. Isabelle Couto disse:

    Ótimo filme!! Adorei.. .
    Quando eu cursava o 3 ano, conheci minha atual namorada.. .
    Ela foi minha professora de historia.. .
    Estamos juntas a 5 anos, em meio a muitas turbulências.. .
    A nossa felicidade prevalesse sempre!
    Só gostaria de compartilha q amores assim tbm acontecem na vida real.. .
    Bjoss!!

  29. Reh disse:

    Olha eu ja tive um caso com uma professora, não deu muito certo pq ela era casada, ate tudo bem agora ela podia mas eu nao, entendem, tipo ela ficava cmg e com ele e eu so podia ficar com ela, mas comecei a trabalhar e me apaixonei pela minha chefe e terminei com minha professora, a je e minha chefe ela e um pouco mais velha do que eu e namora a 4 anos ela me fala umas coisas na brincadeira mas ela n sabe de mim, ai tenho vontade de contar mas tenho medo, por causa da amizade, mas ela tao delicada, tão fofa, ai nao sei o que eu faço, o que vcs acham que eu deveria fazer?

    • Letícia disse:

      Vamos manter contato. Estou numa situação parecida com a sua. leticiacarla26@yahoo.com.br

    • Wendy disse:

      Depende! Seu trabalho é formal? Quantos anos ela é mais velha do que vc?

      • Reh disse:

        Eu sai do trabalho agora, estou so estudando, ela e um ano so mais velha que eu, eu tenho 19 e ela 20, ela namora a 4 anos, mas não quero casar com ela sabe?! so quero um beijo, ficar com ela, nossa ela tão querida, tão carinhosa, e é estranho quando o imbecil do namorado dela ta junto, ela tenta ficar longe de mim, sei la ele nao gosta de mim, o pq eu nao sei, so sei que ele nao faz diferença, mas ainda vou falar para ela, so preciso de coragem (risos)…

  30. Amanda disse:

    O filme é otimo tirando a parte que geralmente nao acontece num relacionamento de verdade… Eu adorei o fetish de professora e aluna..

  31. Nicolli disse:

    Queria saber se alguém aí sabe onde encontrar a legenda em portugues pois baixei no torrent e parece que a legenda em portugues nao existe, que merda. Alguem pode me ajudar ?

  32. Carol disse:

    A um mês atrás eu comentei sobre minha ex professora da faculdade. No fim de tudo, eu tive coragem, mas preferi puxar papo com ela primeiro antes de me declarar, pois trocamos algumas palavras no face sobre montar um time (desculpa né gente haha) de ex alunas pra jogar voltei, futsal… e ela iria tentar fazer isso já que ela gosta de esportes tb e tals. Enfim, fui perguntar se tinha dado certo o time (puxar assunto), deixei mensagem em offline no bate papo do face mas ela me deixou no vacuo, nem respondeu. E pra mim, isso foi um ponto final… definitivamente, se ela tivesse algum interesse minino que fosse, me responderia, não? Pior que penso nela, nada me tira a idéia que ela seja lésbica, nadinha… mas fazer o que…. Nunca tive experiencia com mulheres, mas tenho muita vontade, chego a sonhar com isso… aff hahaha

  33. Reh disse:

    Oi gente, pois é sobre a minha história vim contar para vcs o que deu, então saimos juntas, e quando fomos nos despedir eu dei um beijo perto da boca dela, ela me olhou assustada, eu não falei nada, e cheguei perto dela novamente, dai sim beijei ela, ela não se desviou, na verdade ela me beijou tbm, e a gente ficou, agora estamos juntas, e estou muito mal na aula, pq minha professora soube dela, e nem fala mais comigo, estou com nota baixa com ela, fazer o que ne. Mas é isso so pra falar p vcs o que aconteceu, abraços a todas.

  34. Bela disse:

    Bom, nem sei por onde começar… Eu tenho 17 anos mas não é o que dizem que pareço ter.. pareço mais com tipo Mulherão mesmo, não tenho jeito menininha, Apesar de ser feminina ao extremo, muito mesmo, sou tão feminina que acho que é por isso que ninguém nunca sonhara que me apaixonei por mulher.. Então, vamos a questão né… Tenho namorado(2 anos ) amo ele mais que tudo, serio, ele é minha vida, não sonho em troca-lo por nada… Ele é tudo, tenho atração desejo e muito mais por ele… só tenho atração por homens principalmente homens fortes e sarados (omg)… Mas vem o ponto “X” que me deixa muito confusa… muito mesmo… Minha professora!.nunca senti nada por mulheres e já faz 1 ano que a conheço e continuo não sentindo nenhuma atração por outras mulheres, isto que me intriga, pois não sinto nada por mulheres NADA mesmo, mas ela é a EXCEÇÃO NA MINHA VIDA! Ela me olha de demais ela me elogia muito, me faz carinhos, e tudo na aula dela sou eu, vou a casa dela, enfim nos aproximamos, e as pessoas ja desconfiam… Ela é super apegada a mim, e o pior disto tudo é que eu gosto, ultimamente vou a escola pensando nela, a roupa que uso é pensando ela, tudo que faço tenho pensado nela… ela entrou nos meus pensamentos e eu comecei a imaginar como seria nós (muito estranho… sei la… ) mas apesar disto tenho vontade de experimentar, ela me encanta de mais… Mas é 3 erros ficar com ela.
    1: Ela é minha professora, tem o dobro da minha idade
    2: Eu tenho namorado, e ela é casada
    3: Sou evangélica, e não concordo com tal pratica… mas não nego pra mim mesma que tenho vontade…

    Enfim, quero tira-la da minha cabeça e me afastar dela (mesmo não querendo, so de escrever já sofro..) Mas então, eu quero esquece-la.. não quero atrapalhar a vida dela e nem a minha.
    Algum conselho de como farei isto?

    • Bela disse:

      Ja quase rolou, mas não tive coragem… neguei. o pior é que nada tira ela da minha cabeça quando eu a vejo que frio na barriga, eu não entendo… Ela é Linda, Loira olhos azuis, charmosa, ela tbm é feminina… eu sou a morena dela, hahaha, mas enfim eu preciso esquece-la.

    • Jac disse:

      Você está no site errado porque aqui a gente ajuda as pessoas a se aceitarem e irem atrás dos seus desejos. Mas se você quer esquecê-la, boa sorte (y)

      Ps. Vir num site lésbico e falar que não “concorda com tal prática” é, no mínimo, uma ofensa à minha pessoa.

  35. Bela disse:

    Sério, então desculpe, mas não escrevi com a intenção de ofender, é só uma coisa que eu sinto, que aprendi durante a minha vida, é só uma opinião minha, não levei isto como uma forma ofensa em lugar nenhum. Pelo contrário admiro seu blog e sua coragem de escolha, e você pode talvez não acreditar mas eu respeito muito, Mas tudo bem né
    Sabe, correr atras dos meus desejos talvez não é a melhor escolha… tem a minha vida em jogo, a vida do filho dela, a vida profissional dela… Não é simplesmente ela querer e eu aceitar e nos ficarmos juntas, é muito complicado, bem mais do que este filme retrata… Olha o irmão dela é padre. São muitos os pontos que nos dificulta, por isto acho às vezes que o melhor a fazer e deixar este desejo… e ser só amiga. Não é fácil olhar pra ela como se não houvesse nada entre agente, mas infelizmente acho que tem que ser assim… Só escrevi com a intenção de saber outras opiniões, nem todo mundo que vem aqui quer assumir logo de cara entendeu, eu nem sei se é isto que eu gosto mesmo, como não ficar reprimida e com medo ? entendeu….

    • Jac disse:

      Do que adianta ouvir opiniões se você está com a idéia definida de acatar decisões sociais ao invés de ir atrás do que você quer?

      Bem, de qualquer forma, minha opinião é que você deveria escutar menos um homem que se julga a voz de deus na Terra e mais o seu coração.

    • Reh disse:

      Eu concordo com ela, eu fico com mulheres, mas nunca vou assumir, não gosto de homens, realmente fico so com mulheres, mas não quer dizer que eu queira que os outros saibam de mim, faz menos de 3 anos q decidi ficar so com meninas, minha ex ate era assumida, mas nao quero que minha mãe descubra de mim, na verdade ninguem da minha familia, desculpa, mas se esse blog é so para as pessoas assumirim, muita gente não deveria estar escrevendo aqui, e ela simplesmente queria saber uma segunda opinião por isso veio no seu blog, pq para quem que ela vai contar se ela não é assumida, acho errado o que vc faz, vc quer que as pessoas respeitem a tua opinião mas e nem um momento vc respeita a do próximo, talvez vc nao vai aceitar esse recado por causa disso, pq vc é muito radical em relação o que vc acha certo, pensava que aqui era uma forma de vc ser quem vc é mesmo, poder contar tudo, suas aflições, seus segredos, suas emoções, suas intimidades, enfim, estava errada,
      P.S desculpe os erros de português e que estou atrasada para minha aula, e quiz so deixar minha opinião aqui.

      • Jac disse:

        Quem falou aqui em assumir? Não é questão de assumir ou não para pais ou levantar a bandeira. Nunca dei um pio sobre isso e nem cobro que as pessoas assumam pra ninguem. O que eu não gosto é de gente que vem pedir opinião no meu blog sendo que ela acha ser que ser lésbica é errado. Logo, EU estou errada por ser lésbica. Eu, você, todas as leitoras. É como ir num blog negro e perguntar se ela devia namorar um negro ou não porque negros são, sei lá, mal-cheirosos/feios/criminosos ou whatever.

      • Liane disse:

        Mas eu entendi o que a Jac quis dizer sobre a história da Bella.
        Ela veio aqui já com o pensamento em desistir dessa relação por ser parecer prejudicial à ela,sua religião,etc;
        Ué…se ela acha que vai ser ruim então desista!
        Querer conselhos de como não ir em frente em relação aos seus sentimentos fica meio sem lógica nesse blog.
        Se não quer correr riscos então deixa do jeito que está.
        Simples assim!

  36. Reh disse:

    Sim concordo com você nisso também, em relação à religião dela ela falou que não concorda talvez ela não devesse ter dito, mas em nenhum momento ela lhe ofendeu, simples assim ela só deu sua opinião, entende o que quero lhe explicar? Quando decidi ficar com minha ex, tinha várias dúvidas como ela, e também achava errado, porque vamos ser sinceras e nenhuma família tradicional você é criada como se homossexualidade fosse normal, eu pensava o quão seria difícil continuar com esses pensamentos e essas vontades, mas eu decidi ficar com ela, sim agora vejo que isso é normal, e que não deixo de ser eu porque beijo outra mulher, mas a sociedade em si acha isso, que é uma doença, enfim, pois esses assuntos ainda são muito complexos. Não estou te julgando em relação o que você acha, até porque como dizem sou uma pirralha, tenho apenas 20 anos, não vivi e nem tive muitas experiências, mas eu não esquento quando as pessoas tem preconceito, até porque um dia já fui uma delas, penso eu que elas devem descobrir o quão é antigo esse pensamento, porque não adianta as pessoas são ignorantes, mas um dia elas aprendem, quando isso vai acontecer?! Talvez o dia que nos mostrarmos que as opiniões deles não fazem nenhuma diferença nas nossas vidas, enquanto isso não acontece eu continuo como disse antes a mesma pessoa de sempre, e você deveria fazer o mesmo. Abraços e não fica brava comigo. (Risos)

  37. Ana disse:

    Preciso de ajuda!

    Comecei a assistir “Bloomington” online e não consegui assisti-lo todo. Não acho em nenhum site para baixar. Alguém pode me ajudar?

    Obrigada!

    • Reh disse:

      Olha eu baixei do ares, so coloquei la ”Bloomington” legendado, e baixou normal, a imagem é perfeita e o filme está completo. Beijos ;*

  38. Aryane Mello disse:

    Achei a guria bem madura pra idade, mas ela indo embora quando a relação tava incrível, pqp… Eu largaria família, profissão, religião… TUDO, por um grande amor, ainda mais uma professora dessas.
    Minha história é longa…
    Tive a mesma professora de história desde o ensino fundamental ao médio. Ela foi meu primeiro amor, por causa dela eu me descobri gay… Mas nunca aconteceu nada. Como eu sempre fui fofa, simpática, educada e divertida, acabei me tornando a preferida dela e isso era até visível. Mas não passou disso. Morro de saudade dela, as vezes ligo lá, conversamos…Ela me pediu para visitá-la, pra conversarmos…Mas o fato do “nunca” me mata.
    =(

  39. Arthur disse:

    Eu acredito que lesbica, hetero, bi, seja qual for a nomenclatura, são só rótulos. Pessoas gostam de pessoas. A terminologia usada pra determinar o que se prefere em termos sexuais é mero detalhe. Existem coisas na vida das quais nós gostamos; coisas das quais nós gostamos um pouco; e coisas das quais não gostamos. Ser bi não é gostar dos dois, nem ter preferencia por um, é apenas um rótulo. Nós gostamos daquilo que conhecemos, e mais do que o órgão sexual em si, nós gostamos de pessoas. Não de uma parte delas, mas sim de um todo. Pra que rotular? E eu não acredito que o que nós chamamos de ‘bisexualismo’ seja uma fase transitória para nada. Se for pra pensar assim, tudo na vida é transitório. Rótulos mudam. Sentimentos não. A nomenclatura pode mudar, mas os significados da palavras permanecem os mesmos. Depois de um tempo uma pessoa não ‘descobre’ que prefere se relacionar com homens, ela descobre que prefere se relacionar com um homem especifico. Quem me garante que anos depois ela não vá se apaixonar por uma mulher? Repito, nós nos apaixonamos por pessoas. Opção sexual não é preferencia, é um desejo relacionado com diversos outros fatores. Um rótulo é apenas um nome, mal serve para contabilizar. Se for p/ rótular, o que torna um mulher é lésbica é simplesmente fato dela gostar de uma vagina. Eu prefiro acreditar que alguém goste de mim por muito mais do que isso…. Não existe lesbianismo, bissexualismo… etc, existe pessoas que se apaixonam por pessoas diferentes… e qualquer um esta sujeito a isso, seja uma mulher hétero que algum dia vai se deparar apaixonada por outra mulher, ou por uma lésbica que um dia pode se ver apaixonada por um homem…. é tudo mt relativo… pessoas se apaixonam por pessoas e não pelo seu órgão sexual… nao se rotule…. apenas vivaaa.!!!

  40. R. disse:

    Estou doida para assistir a esse filme. Estou na faculdade e tenho um namorado lindo em todos os sentidos, mas não nego que sinto uma forte atração por uma professora que é casada. Se isso fosse um dia possível, acho que largaria tudo pra ficar com ela(mas sei que é sonho).

  41. Andressa disse:

    Esse Filme é indiscutivelmente (quase) perfeito!
    Como alguem disse, poderia ter falado menos sobre naves espaciais, mas WHO CARES?
    E a Allison eh minha nova musa tambem *—-*

  42. S disse:

    Reh, concordo com vc, as vezes é facil para alguem q ja é assumido q chutou o pau da barraca e teve a coragem dizer para outros fazerem o mesmo, mas as pessoas esquecem q nem todos são iguais e q muitos ñ aguentam tanta pressão, e tbm em relação a religião acho q eu entendi o q ela quis dizer em achar que tal pratica ñ deve ser acita foi pq ela aprendeu dessa maneira na religão dela, foi ensinado a ela que a mulher foi feita para o homem ter q ser submissa a ela pq ter q servi-lo deve ser isso q eles acham rsrsrs brincadeirinha, muitas mulheres q ñ se assumem que seja por falta de coragem, pelas proprias pessoas q estam em volta q acabam criando uma certa imagem de nós e acham q devemos seguir assim até o fim de nossas vidas ñ entenderiam tal situação, por isso q muitos homossexuais ñ se assumem pq a sociedade ñ entende e nós vivemos nela tentando nos adaptar, por isso parece ser tão constrangedor se assumir, eu por exemplo ñ sei se conseguiria sair de mãos dadas com uma mulher pela rua, ñ por ser uma mulher do meu mas pelo meu lado timido e pelas pessoas me olhando e o q elas pensariam de mim, nem quando eu namorava um rapaz eu ñ queria dar a mão para ele e nem beija-lo na frente dos outros, sou muito timida rsrsrrs, então é complicado vc dizer q ela ñ pode pedir uma opinião no seu blog, mas cada um tem a sua opinião e acho la no fundinho todo mundo tem um pouquinho de constrangimento sobre alguma coisa, e se ela quiser minha opinião, se so por essa professora q ela sente isso, e se parece q a professora tende a corresponde-la de alguma forma mesmo sendo sutil, vc deveria chegar nela a sos em particular e dizer o q sente e se ela ñ sentir o mesmo pedi desculpas pelo aincomodo e segui em frente, se ela mudar com vc então ja sabe né, mas é melhor vc descobrir e aliviar o q vc ta sentindo pq parece q esse sentimento vai te corroendo e te destruindo aos poucos, sei pq isso esta acontecendo comigo e ñ nada legal, então mesmo vc recebendo um não aquele nó na garganta vai se desfazendo mesmo q devagar, ja q só por ela vc sente essa atração. Espero ter ajudado e desculpe qualquer coisa.

  43. GP disse:

    eu meio que vivo um dilema desses.Minha teacher é mto linda,cheia de cultura e eu sou ” a preferida ” em literatura!!!!kkk
    Mas o filme é muito bom mesmo!!E realmente é muito difícil resistir À uma Catherine!!!!Ah,e eu também queria uma aula particular de ”autonegação”!!!!!

  44. Tayline disse:

    Jac, como se baixa por torrent? eu abri o link que mandaste, mas não sei o que fazer posteriormente.

  45. Kamylla disse:

    Olá, prazer kamylla.
    Gostei muito do site e do texto. Me apaixonei,gostei,senti algo muito estranho, como disse um ai escritor,” quando a gente ama alguém de verdade a gente não sabe explicar o que sente, pois aquele que sabe não ama” rsrs por uma professora, quando tinha 17 anos de lingua portuguêsa , hoje tenho 20.Mandei uma carta anonima, ela descobriu que fui eu, conversamos assim, eu nao falei nada so sabia fica gaga kkkkk. Não tive mt esperança, consegui o que eu queria atenção pra mim.Resumindo, pq se eu digitar aqui da um livro.Nunca consegui esqueçe lá, mais me conformo =(.Fico tão feliz ,quando vejo histórias que derão certo.
    Estou doidinha pra assisti esse filme, pois não consegui ver pelo links que eu vi. Alguém que tenha ele no pc, será que podia me manda lo por email? ficaria mt grata mesmo.e Kamylla_direito@yahoo.com.br.Obrigada mesmo um beijo a todas.

  46. JuliaMendes disse:

    Ola, meu nome é Julia e por acaso encontrei seu site e adoreeeeiiiii, sou muito fã do filme, ja assisti varias vezes por que cada vez que assisto vejo algo diferente.
    Sou bissexual e acho que ate agora não teve um filme que mostrasse de maneira mais rica em detalhes como um romance homossexual pode ser atraente sem ser apelativo, quem nunca se viu olhando de maneira diferente pra professora bonita? e essa nem precisa de comentarios, acho que o filme só ficou suave por causa da escolha das atrizes a Sarah Stouffer parece uma menininha ingenua, meiga e a Allison McAtee com sua firmeza consegui passar a mais doce e atraente das mulheres com um sorriso e olhar daquele uma nem hetereo resiste.
    Parabens pelo conteudo dos posts e espero que outros filmes venham nos encantar como esse…bjos

  47. Dani disse:

    Rs!!! E os risos são sobre mim… Fiquei tão ofendida com o post “Preconceito de lésbicas contra bissexuais”, mas voltei a ler o blog… A ofensa se deu porque, permita-me ser sincera, você considera mais legítimo o que você sente pela sua namorada do que eu sinto pela minha… Poxa, o fato de eu me sentir atraída por homens (ASSIM COMO CERTAMENTE VOCÊ SE SENTE POR OUTRAS MULHERES QUE NÃO SUA NAMORADA), não quer dizer que o tal “super ego” não vai frustrar esse e outros desejos…, uma vez que outras mulheres também me atraem… O fato é que eu tenho o compromisso (com minha namorada, mas ainda mais COMIGO) de ser monogâmica, principalmente para não fazê-la sofrer…
    MAS ENTÃO…, como sou novata na leitura do blog, não aguentei… voltei a ler… e encontrei numa das respostas uma interlocutora sua chamada, por assim dizer,” Lo”…, você pode me passar o contato dela??? Sou mãe…, e ela parece ter algumas indicações de leitura para crianças e educadores sobre a temática da homofobia… Queria poder “trocar umas figurinhas” com ela…
    AGORA PORQUE ESTOU ESCREVENDO SOBRE ISSO NESTE ESPAÇO: sou namorada de uma ex-aluna do Ensino Médio…, nossa relação já dura alguns anos… Se estiver interessada em detalhes…, mesmo sendo de uma “bissexual” (olha o drama…), escreva para mim…

    • Jac disse:

      Excuse me!? Onde foi mesmo que eu falei que o sentimento de lésbicas é mais legítimo do que de bissexuais? Você leu o título do post e já assumiu uma postura 8-ou-80 em que não existe meio-termo, não existe nuances. Leu meu post e achou que “ficar com um pé atrás até conhecer a pessoa melhor num caso AMOROSO” é a mesma coisa que “apedrejar qualquer bissexual que ouse aparecer na minha frente”. Você, assim como quase todas as comentaristas, só enxergaram em P&B e por isso mesmo, não sei se você reparou, eu parei de responder lá já que ninguém estava disposto a ouvir o que eu falava e, sim, o que na cabeça dela era possível (8-ou-80).

      QUANTO AOS LIVROS… Eu não posso te passar o contato dela por questão de príncipios/segurança/privacidade (você põe o seu e-mail aqui, só eu vejo), mas se quiser responda o comentário dela aqui [1] e deixe um contato seu, que o que eu posso fazer é enviar um email para o email que ela deixou (que pode não ser original) avisando que você quer entrar em contato com ela.

      [1]http://45.55.241.106/2011/10/25/we-want-you/#comment-3154

      • Dani disse:

        Oi…, eu gosto muito do olhar P&B (de todas as nuances fotográficas, p.e.)…, mas parece que não foi um elogio quando você se expressou dessa maneira… Talvez (eu disse TALVEZ) eu tenha me posicionado de um modo bastante passional (assim como você)… Resquícios do movimento feminista… Aparentemente eu e você somos bastante extremistas… Pior para mim…, porque já sou bastante mais velha…, você pode se tornar mais flexível com o passar do tempo… ou não (o que também não é, necessariamente, um problema…), mas naquela noite -que eu li o post- revivi muitas das minhas dores…, dos preconceitos vividos…, por ser mulher, não-heterossexual, não-rica… E foi f***!!!
        De qualquer maneira, obrigada pelo cuidado de ter respondido meu comentário… Não consegui, através do link, responder a “Lo”, mas fui até o post… Tomara que ela possa/queira “falar” comigo…, pode ser que me ajude…

    • Eloisa disse:

      Você é professora e namora com uma ex aluna??? Conte sua história….

  48. Dani disse:

    Não quero ser grosseira nem invasiva…, por isso se achar melhor não publicar meu comentário (eu acho até desnecessário), OK.

  49. Gabrielle disse:

    Eu to adorando ler as historias, quem puder então postar sua historia, fico agradecida 😀
    Adoro esse site… s2

  50. Rosa Santos disse:

    Cara, isso aqui tá mais pra divã de psicanalista que discussão de filme!!!!!!!!!! KKKKKKKK!
    Pelo jeito este filme tocou fundo na mente de vocês… instintos básicos, desejos reprimidos… KKK
    Jac, desculpe a brincadeira… ADOREI o seu site!!!! Seu senso de humor é um reflesh à mesmice que se vê por ai…
    Agora, falando pelo outro lado (de professora), menina… me tem uns tipos viciadas em pó-de- giz que não pode ver uma professora passar… um caso sério. Dei aula em ensino fundamental e médio um tempo, mas tenho alergia e ogeriza a “aborrecente”, Vixe-Maria-cruz-credo! …ainda bem que foi pouco tempo… só um trampo pra acabar o mestrado… entrei pra dar aula em universidade bem novinha e ai, já viu! O bicho pegou! O que tinha de garota disporocada… ou você traçava uma linha ética bem definida, rígida e segura ou você vira a maior predadora do pedaço!!!!!!!!!!!
    Uma coisa eu lhe garanto: resistir a tentação é muuuuuuiiiito difícil!!!

    Um abração pra você e toda a turma do pedaço!

    Valeu, gente!

  51. Dani disse:

    Vc sabe qual a idade das duas atrizes do filme?

  52. D disse:

    Filme muito bom, seu blog me fez dar boas risadas agora! obrigada. =)

  53. Fer disse:

    Olá meninas… eu estou muito curiosa para assistir o filme… e tentei baixar de tds as formas mais não consegui… então se alguma de vc tiver salvo no pc e quizer compartilhar mandando no meu e-mail… (nandinha_cba20@hotmail.com) fico grata.
    Quero de + assistir o filme… Boa noite

  54. Leona disse:

    Oi Jac, não estou conseguindo fazer o download do filme. O link ainda está ativo? Obrigada.

  55. Leona disse:

    ah, Jac, por fim consegui baixar pelo link que você postou. Mas, não é o filme completo! Não tem nenhum link para download com o filme completo?

    • Jac disse:

      Leona, pelo que eu me lembro o .torrent tinha um pequeno vídeo com um trecho e mais um monte de arquivos .rar que eram a divisão do filme real. Baixe todo o torrent e depois extraia um dos rar que o filme sai okay.

  56. S. disse:

    Bem, vou contar o meu drama (mesmo) para vocês, acredito que vai interessar muitas sapas por aqui…

    Palavras chaves: Professora/aluna – Diferença de cultura – Diferença de idade – Religião.

    Desenvolvimento: Estava eu, caloura de psicologia (é, eu sei, eu sei, muitas lésbicas ao meu redor, eu tinha que querer logo essa ?) e tive a primeira aula com uma mulher que (para tudo) de costas já fez o meu gaydar emitir alerta máximo (e nessa época eu nem sabia o que era gaydar e muito menos que eu tinha um). Ela é magra, tipo muuuito magra, 1,65m, loira natural de olhos extremamente azuis (descendência alemã, uma graçinha que veio do Sul). Aí começam as características sapatônicas: Cabelos curtos com as pontas meio bagunçadas/espetadas, estilo de vestir tipo enrustida (mistura de roupas formais com acessórios hipsters, e as vezes umas coisinhas estilo “sou princesinha – oi?”). O que mais pega no jeito sapa dela é o jeito de falar/se relacionar com as pessoas + feminismo escancarado, mesmo não tendo a ver com a matéria dela. Dando aula ela é uma maravilha, encara todos os alunos e prende o olhar por mais de 3 segundos em cada um, ela deixa mesmo o olhar pousar nos olhos das pessoas e prender a atenção, todos os alunos reparam isso e falam bem dela por causa disso. Ela tem liguagem corporal bem marcante, bem firme ao falar e gesticular, sem deixar de ser feminina e muito, muito sexy. Enfim, já está mais do que explicado porque é que eu me encantei por aquela coisinha tão delicio… Ooops, delicada né ? hahaha !

    Detalhes contra: Ela é pastora (OQUE? COMO ASSIM? MAS PUTA QUE PARIU, COOOOOOOMO ASSIM ??? O GOOGLE TÁ MENTINDO !) Sim, essa foi minha reação ao saber. Mas no final das contas isso não interfere muito, porque ela é realmente mente aberta, feminista e já até publicou um livro e alguns trabalhos sobre como a homosexualidade pode ser bem vinda na religião, etc, etc…

    Detalhe contra2: Ela é casada (com um homem, pastor também, só para completar o drama). Mas isso (para mim) não atrapalha. Para ela eu já não sei como é a questão da traição na cabeça dela, a culpa, etc. É claro que casamento dificulta as coisas e também eu me sinto uma péssima pessoa por desejar que ela traia o marido, eu olho para o espelho e falo “Sua egocentrica, egoísta, pensa só em você, e o cara não tem nada a ver com isso, parece ser uma boa pessoa, o que você vai fazer com a vida dele ? E com a vida dela ? Deixa ela em paz, assim ela não perde nem o casamento, e nem compromete o emprego dela na universidade, nem a “carreira” (?) religiosa dela.” Mas não está adiantando eu repetir isso, percebe-se, né.

    Detalhe a favor: Parece que ela está tocada por minha causa. Não sei se ela já se envolveu com mulheres antes, me parece que não, mas nunca se sabe, né, porque jeito de sapa ela tem e todos os meus colegas gays concordam com isso. Ela ser ou não ser não é o problema, porque se ela não era antes, tenho 95% de certeza que eu a estou fazendo estremecer de uns tempos para cá. (modéstia à parte, eu não fico muito atrás dela no quesito sensualidade, não). A grande questão é que ela vai fugir até não poder mais, porque ela é extremamente formal, profissional, séria e não mantem relações de amizade nem camaradagem superficial com alunos (eu acho que eu chego perto de ser uma excessão. Para vocês terem uma ideia, todos os alunos do meu turno já foram alunos dela, e quando ela anda pelos corredores, eu sou uma das poucas (única ?) pessoas que ela cumprimenta, tirando os outros professores, é claro. Resumindo: ela mantém relações com alunos enquanto estão no semestre que ela dá aula, depois disso: é nada, zero, super impessoal.

    A grande questão: Eu já dei a entender que estou interessada nela, já fiz perguntas do tipo “Você cortou o cabelo ?” e esperei a reação dela. Ela respondeu rapidamente que não e não fez cara de espanto, nem mudou a expressão, nada que pudesse me dizer que estava invadindo a privacidade dela. Aí eu continuei a conversa e respondi “Mas mudou alguma coisa, antes as pontas eram mais claras, eu gostava, achava muito original…” Daí ela olhou para o chão, acho que para pensar ou para esconder um sorriso, eu não sei, e levantou o olhar, sustentou meu olhar com uma expressão normal (nem séria, nem feliz demais), acho que parecida com a minha expressão, porque eu procuro sempre manter o meio termo em relação às caras e bocas que faço perto dela. Nesse momento alguém interrompeu a gente e perguntou algo a ela, aí veio mais gente para conversar comigo também e nos perdemos. Detalhe que um dia antes disso acontecer eu tinha a ignorando completamente durante a tarde toda na faculdade, eu passei perto dela e eu sei que ela parou para falar oi comigo, mas eu nem dei uma olhadinha sequer, quando ela falava eu desviava a atenção, olhava pra qualquer lugar, menos pra ela, e quando outra pessoa falava eu prestava atenção. Teve um momento que nossos olhares até se encontraram, mas eu desviei rapidamente, e ficou por isso mesmo. No dia que eu elogiei o cabelo dela, momentos antes do elogio a gente se esbarrou (culpa minha) e ela me veio com essa “oi, eu te vi ontem, mas não tive a oportunidade de te abraçar…” (eu fiquei parada, não me movi nenhum centímetro) e ela veio para abraçar, aí eu fui né. E depois fiquei pensando, não sou só eu que sou cara de pau, porque ela sabia que eu fugi dela e mesmo assim veio falar que “não teve oportunidade”. Deve ter sido só para me provocar mesmo, não sei.
    Depois disso eu já a encarei diversas vezes, ela nunca desviou sem falar “oi, tudo joia ?” comigo, ela nunca se mostrou assustada, nem tímida durante essas encaradas, e teve até uma vez que eu belisquei a cintura dela para ela olhar pra trás, foi um beliscão bem forte até. Ela falou oi comigo e eu nem rendi assunto, não queria render, só andar ao lado dela em silêncio. Ela foi para o estacionamento e eu para a portaria, me culpando por ter feito aquilo, mas ela não mudou o comportamento comigo, não fez nada, nem me pediu para parar. Eu já a questionei sobre um imail que ela deixou de responder, e ela ficou muito sem graça, se justificando e praticamente pediu desculpas, e também não mudou o comportamento comigo, nem me disse que eu estava sendo inconveniente, não me cortou até hoje.
    Outro dia fui tirar uma dúvida com ela, e eu estava bem bonita, maquiada e pronta pra sair depois da aula naquele dia, acho que isso deixou ela bem desconcertada, porque enquanto ela falava a mão dela vou para o colar dela e do colar para o cabelo, e vai cabelo pra cá, e vai cabelo pra lá, e de repente ela aquietou a mão, colocando no bolso. E não é nenhum pouco a cara dela ficar sem graça/nervosa enquanto conversa com alguém.
    A ultima encarada foi por conta dela, vira e mexe ela dá as manotas dela e eu percebo um olhar ou outro pelos corredores. Mas da última vez não teve como eu ficar em dúvida, eu estava dedilhando um violão e meu amigo me ensinando algumas notas, então ela passou por nós, provavelmente achando que eu não ia reparar que ela estava me olhando, mas eu peguei bem no flagra. Foi bem rápido, mas não tem como negar que eu peguei o olhar dela em mim.
    Mas eu tenho reparado que nas ultimas vezes que eu a vi, contando com uma vez antes dessa encarada no dia que eu estava com o violão, que ela passa perto de mim de cabeça baixa, olhando para o chão, e isso não condiz nenhum pouco com quem ela é, sempre muito altiva e dominante. Me faz pensar que é por minha causa, que ela está confusa, tentando fugir disso, blablablá. Não sei dizer exatamente se é bom ou ruim. Que ela tenta fugir, isso eu sei, mas não sei até que ponto eu posso dar jeito nisso, faze-la parar fugir ou se devo esquece-la, deixar isso pra lá e não complicar as coisas para ninguém…
    Penso em colocá-la na parede e dizer que venho notado que ela anda olhando para o chão ultimamente, e que se ela tinha alguma coisa para me dizer, ou se precisasse de ajuda, era o momento certo para falar, e depois, dependendo da reação dela, completar dizendo que ela tinha um rosto muito bonito para andar assim, que ela sempre foi uma pessoa elegante e altiva e me entristece vê-la assim. Daí poderia abraça-la, ou sei lá, tocá-la de alguma forma.
    Isso seria inadequado demais ???

    Escrevi minha história porque vejo sempre (e essas histórias sempre se repetem) alunas apaixonadas pelas suas professoras. Aqui vai um exemplo que não está dando muito certo, embora eu me sinta em parte correspondida, mas sei que ela tenta não corresponder o máximo que pode… Felizmente, ou infelizmente, ela não consegue manter o controle sempre. Só que eu não sei onde isso vai parar… Se eu vou tê-la ou não…

    • Gabriela disse:

      Tem uma passagem de um livro. Por favor, pense na idéia e não na palavra “pecado” e no contexto hetero da fala, não são essas coisas que estão em questão. Pense na IDÉIA.

      “…existe apenas um pecado, um só. E esse pecado é
      roubar. Qualquer outro é simples mente uma variação do roubo. Entende o que estou dizendo? Quando você mata um homem, está roubando uma vida — disse baba. — Está
      roubando da esposa o direito de ter um marido, roubando dos filhos um pai. Quando mente, está roubando de alguém o direito de saber a verdade. Quando trapaceia, está
      roubando o direito à justiça. Entende?”

      Sem mais…

      • S. disse:

        O caçador de pipas, não é ? Pois é, eu entendi o sentido da palavra pecado aí, então eu sei que estarei pecando em mentir, pecando em tirar o direito de o marido dela ter uma esposa fiel, etc…

        Eu realmente me sinto estranha/mal quando penso nisso, o meu problema não é ela ser professora, ou ser pastora, ou nada disso. O problema é o casamento, a traição… Vejo que é melhor ir deixando pra lá, até me esquecer por completo, mesmo sentindo que ela me corresponde. Ai ai, que coisa mais louca que eu me meti, nunca pensei que estaria nesse dilema…

        • Letícia disse:

          S., li o seu relato. É um dilema cruel. Vivo algo parecido. Mas já me declarei para ela. Mas não nos metemos nisso, acontece e quando percebemos já estamos envolvidas. Se quiser me add no msn para conversarmos melhor. leticiacarla26@hotmail.com

  57. Enia disse:

    Ah.. eu vejo toda esta gente desabafar e penso também no meu caso. Infelizmente nunca tive uma amiga para desabafar.. As minhas amigas nunca fizeram cara feia nem nada quando souberam da minha história, mas tambem sei que nunca gostaram muito de saber… A única amiga com quem eu desabafava acabou traindo a nossa amizade e hoje ainda penso no que me aconteceu e pior é que não tenho alguém com quem falar… Mas este site é quase como um desabafo para muita gente e vejo que há muito mais raparigas/adolescentes apaixonadas por professoras do que alguma vez imaginei.

  58. Clara disse:

    Gente… eu tenho/tive uma “professora” e “psicologa” assim…
    E infelizmente… nosso final foi o mesmo… Estou mudando de país… e ela vai ficar… :/ Nao podemos continuar… muito menos sermos vistas juntas… :/
    Amo esse filme tb… tão eu…
    😉

  59. Roberta disse:

    Eu não ia pedir opiniões, mas to tão confusa que não sei mais o q pensar.
    estou com mil teorias sobre o comportamento de minha profe de facul e não sei no q acredito.

    Acontece que sempre gostei muito dela como pessoa (nunca a vi de outro modo), mas sempre demonstrei meu carinho filial a ela, q aceitava, agradecia, mas nunca me deu entrada. Nunca conversou comigo, me convidou pra o projeto de pesquisa dela, mas sempre me manteve somente como orientanda.

    Mas o tempo foi passando e notei q ela gostava de mim, achei que como filha. Só que mesmo assim, ela tão carinhosa nos olhares, nos sorrisos, não se aproximava de mim, sempre aquela formalidade.

    Aí deixei um livro pra ela sobre professor e aluno, mas o livro era sobre um professor que transformou positivamente a vida do aluno, nao era nada romântico. E o estranho é q ela estava com problemas e o livro a ajudou muito. A partir desse dia começamos a conversar mais por e-mail, tentei ajudá-la de meu jeito, e dizia q ela não se preocupasse que eu não iria falar com isso pessoalmente.
    mas ela disse q eu seria sempre bem-vinda, inclusive pessoalmente, mas não aceitou sair pra conversar, tomar café.

    Só q sempre sorria pra mim nos corredores, me olhava carinhosamente e sempre pensei q me visse como filha, mas não entendia o distanciamento dela.

    O que me fez pensar muito foi q soube q ela conversou de modo não acadêmico com minha colega q tb é orientanda dela, e elas parecem ser bem amigas. Ai a profe deixou até recado pra ela no face so dia do amigo.

    Me senti muito magoada, me senti não valorizada.
    aí numa aula vi q ela me olhou como se me analisasse, e depois me ignorou a aula toda.
    mas no final, acho q esqueceu q tava me ignorando e me olhou, vi naquele olhar muito carinho.

    No dia seguinte, passou por mim muito triste, parece q me cumprimentou somente por educação, e depois qndo passou novamente por mim fez que não me viu e falou com um aluno: posso falar contigo em particular?
    senti como se ela estivesse me provocando..
    aí fiquei parada olhando pra ela, pois ela viajaria num evento e queria desejar boa viagem, mas ela fingiu q não me viu, mesmo eu estando perto da porta de saída, como quem dá tchau.. e vi q ela percebeu q eu tava olhando pra ela e ela esboçou um sorrisinho parece q gostou de minha reação, mas nao me olhou.

    E tivemos uma festinha pra uma outra profe, e qndo os colegas comentaram sobre meu presente pra ela, essa profe q falo ficou estranha, como se sentisse ciumes.. em varios momentos ela parecia incomodada que eu tava demonstrando carinho pela outra.

    O que pode ser?
    será q ela não gosta de mim a ponto de querer ser amiga ou me ter como filha?
    será q gosta muito de mim como filha a ponto de não conseguir se aproximar?

    ou será q se interessa “romanticamente” por mim, daí esses gestos, esse medo de se aproximar, mas ao mesmo tempo as provocações?

    to tão confusa, não sei o que pensar ou fazer…

  60. Eva disse:

    Adorei o filme, algo muito real.Alguém sabe onde encontro a trilha sonora completa ?

  61. g disse:

    Haha, preciso ver esse filme pq vejo loving annabelle quase tds os dias e AMO esse filme! Mudar de filme seria uma boa!

  62. Anabela disse:

    iNunca tive uma relação gay, tenho 23 anos e estou no 3° semestre do curso de letras-LP. Tenho me pegado olhando de uma forma diferente para minha professora. Não sei o que fazer, nunca senti isso por mulher, nunca mesmo. A profa. é muito charmosa, bonita, e culta. Não sei se ela é lésbica, o que me dói é esta dúvida. O que posso fazer para saber? Detalhe dessa semana: ela tem se arrumado mais para ir dar aulas, trm sorrido mais nas aulas, e além do mais ela me chamou para entrar no grupo de pesquisa dela, quando diss e que não aceitaria mais ninguém, anda agitada nas aulas, olha para todos os cantos da sala, mas quase nunca para onde eu estou e quando olha, não pousa o olhar em mim por mais de 4 segundos. O olhar é forte,

  63. Unicórnio disse:

    Alguém tem o site pra assistir legendado? *—*

  64. o.O disse:

    Acabei de assistir o filme pela 4 vez, o.O e sim assim como muitas aqui tenho uma platonice por uma ex professora, wells, vejo tantos relatos aqui que ufaaaa, me sinto aliviada por não ser a unica heheheh, creio q já se passaram 2 anos já, mas ainda não consigo deixar de pensar nela.
    nunca tivemos muito contato, ela me desprezava legal, não esbouçava nenhuma reação ou seja era super profissional, psicologa então logo saberia controlar bem suas linguagem não falada ,ou seja um verdadeiro aquário onde não se expressa nada . Certamente euzinha aqui abobalhada não soube de forma alguma esconder o que sentia/ sinto ( até hj não sei q raios é isso, só sei q ainda prevalece). De inicio lutei contra pois nossa, era minha professora ao menos oq poderia oferecer a ela era respeito, mas infelizmente não deu e esse sentimento ou sei la oq é isso foi brotando, de uma tal forma surreal, pois em nenhum momento se quer existiu algo que fosse reciproco, ou seja uma coisa totalmente platônica, acho q ela nem sabe de minha existência, nunca houve um sorriso em minha direção, nunca houve se quer essas coisas que acontecem em paqueras, mas ela me observava muito ,eu sentia alguem me olhando e qnd via era ela ai eu a olhava ela olhava para outro lugar, ate ai tudo bem pois devido a minha transparência em termos de não saber esconder oq se senti ( uma merda isso), talvez ela tenha sei la tido uma minuscula curiosidade sobre essa loucura a qual eu tava sentindo, e fora que qnd ela podia ser rude comigo ela era, e adorava me deixar no vacuo, nunca respondia aos meus comprimentos, qnd eu a olhava, eu segurava meu olhar e ela olhava fixamente tmb , porem não existia nenhuma expressão, tmb nunca soube interpretar essa coisa, mais era nitido a cara de aquario sem nenhum movimento.
    E-mails nunca foram respondidos, normal nunca esperei que houve-se uma resposta msm.
    Tmb nunca tentei nada,nenhuma aproximação de fato, pois minha razão sabe q isso nunca aconteceria,acredito ser uma pessoa sensata e e isso tudo começou por uma simples confusão, eu na época vivia de balada, mais faltava na facul do que ia, principalmente nas aulas dela, pois as baladinha mais punk sempre aconteciam um dia antes da aula dela, eu qnd ia estava de ressaca, só o pó me arrastando pelas ruas e sinceramente querendo estar na cama dormindo, nesse dia estava só o pó e ela estava dando aula, eu queria deitar ali na carteira msm e dormi, mas pensei comigo q isso seria um desrespeito muito grande pela professora ali presente, neh ai pensei vou apoiar minha cabeça e sorrir, pelo menos assim estou no meio termo, mais tava tão ausente psicologicamente, q fiquei ali olhando pra ela, sorrindo com as duas mãos apoiando a cabeça, e entendendo bulhufas q ela estava falando, ai nisso percebi q ela viu aquilo e achou estranho, pela primeira vez na vida e uma das poucas percebi alguma expressão na bela professora , ai minha ficha caiu, e pensei putz que q eu fiz o.O, ai depois disso q começou minha curiosidade por ela, ai eu a olhava, ai começei a admirar, ai qnd dei por mim ela estava em minha mente, ai depois comecei a sonhar com ela ( poxa até nos meus sonhos ela era e é formal uahuahuha), ai qnd percebi tava tendo sensações de paixonites, ai começou a minha eterna loucura, e deste então estamos ai… mas uma coisa é fato meu deus oq é isso q ate hj não consigo entender? como e porque? , não sei se um dia isso ira passar, mais só sei q certamente terei sempre muito carinho por essa professora e certamente me lembrarei dela, pois pense numa professora q marcou e sem saber ao menos me fez um bem pra vida. Hj em dia sigo meus dias, nunca mais á vi. mas ainda me recordo do primeiro dia em q a percebi até o ultimo dia em q a vi em meio a multidão com aquele belo sorriso que só ela tem , virando a cara como se não tive-se me visto uma vez mais. um dia ainda escrevo um livro uhauaha quem sabe na minha ficção a historia tenha uma rumo diferente uahuahhaha . tem q ri pra não chora…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *