Filmes Lésbicos

Sabe aquelas noites em que é difícil dormir? Quando os estresses desse mundo põem uma garota para baixo? E tudo o que ela encontra é esse tipo de necessidade enlouquecedora?

Black Swan

You know what I’m talkin’ about?

Mensalmente De tempos em tempos, eu entro em uma fase em que não consigo suportar as asneiras do meu chefe a minha falta de perspectiva de crescimento haters nos comentários uma sociedade cruelmente machista meu fraco comprometimento com estudos mais uma mudança de emprego alguns problemas do dia-a-dia com a mesma apatia e serenidade de sempre e fico mal, muito, muito mal.

Mas, para minha sorte, eu já descobri qual é o remédio que pode devolver o brilho aos meus olhos amendoados e o sorriso aos meus lábios carnudos. Eu me livro de todas as distrações do dia, deito no meu quarto escuro tarde da noite, ligo o computador (já estava ligado, na verdade) e coloco um vídeo para me animar.

The World Unseen - Lisa Ray

“E eu sei que você provavelmente também pratica a mesma terapia!”

Obviamente, não estou falando daqueles vídeos tenebrosos que homens gostam. Estou falando de vídeos com o mínimo de história possível, cenas de sexo implícito e, de preferência, muito drama até chegar a essas cenas.

Filmes lésbicos, assim como os seriados, são a melhor forma de alienação que eu disponho para quando preciso fugir da minha realidade. Claro que eu posso me distrair com outros tipos de filmes, mas nada consegue me deixar mais feliz do que ver duas mulheres se pegando descobrindo o amor uma com a outra.

Overly Attached Girlfriend Lesbica

Eu fico exatamente assim enquanto vejo um filme lésbico – principalmente com essa expressão facial.

(Ignorem o mau uso do meme)

Filmes lésbicos são extremamente repetitivos e com roteiros normalmente pobres. Quem aqui não consegue citar cinco filmes em que uma hetero encontra uma lésbica e as duas se apaixonam? Mas… who cares? Eu adoro essas histórias!

Há tão poucos filmes lésbicos que a gente ignora um errinho aqui, outro ali, o roteiro mais batido do que carteira em ônibus lotado, as protagonista nem sempre tão lindas, pelo prazer de poder se imaginar pegando a protagonista boazuda identificar com história.

Lesbian Movie

E, falar isso pode não passar uma boa imagem minha, mas eu pouco me importo com o roteiro de um filme lésbico. Tenho dois pesos e duas medidas, sim, para filmes lésbico e heteros.

Quando eu vejo um filme hetero, quero que ele me acrescente algo na história além de romance banal, por exemplo, como em A Origem. Mas já com filmes lésbico, basta ter uma história de fundo, as protagonistas se desejando apaixonando, terem um empecilho (tipo uma ser aluna da outra), tensão sexual pelo resto do filme e a pegação final.

Esquema Filme Lesbico

Esquema de como um filme lésbico tem que ser.

Claro, se nós não vemos filme lésbico pelo roteiro, vemos pelo lezploitaiton. Lezploitation é “a prática de tirar vantagem egoísta e injustamente de lésbicas e da lesbianidade, normalmente como forma de ganho” e “o uso ou desenvolvimento de uma falsa identidade lésbica para obter um ganho ou benefício”. Como esse é um termo relativamente pouco usado, logo pouco definido, eu acrescento ao termo o fan service desses filmes: cenas de pegação e sexo.

E aqui nós separamos o lezploitation bom e o ruim.

I Cant Think Straight

Exemplo de lezploitation bom. Muito, muito bom.

Lezploitation bom é aquele feito para nós, lésbicas. Como por exemplo, nos filme I Can’t Think Straight e Como Esquecer. Existe uma história que leva as protagonista a se pegarem, existe romance, atração ou seja lá o que for entre elas.

Já o lezploitation ruim é aquele feito claramente para homens, como em Vicky Cristina Barcelona. Ou como em Cisne Negro: o filme é perfeito, porém a cena de sexo lésbico i-ma-gi-na-da (porque, you know, ela não era lésbica meeeesmo) foi desnecessária. Mas como o filme foi vendido antes de sabermos que ele era bom?

Cisne Negro

Incrível como sempre “vaza”JUSTO a cena mais polêmica do filme!

(Mais exemplos de que ele foi vendido inicialmente pela cena de sexo lésbico? Aqui e aqui.)

É a mesma história da Kristen, nossa hetero pegadora mór, trair o Pattinson juuuuusto poucos meses antes de sair o último filme da franquia – que não está ganhando muita atenção da mídia. Just saying.

Outro exemplo de bad lezploitation é o filme Paraísos Artificiais. Pelo que eu li e pelo que eu perguntei para quem de fato assistiu, o filme tem aquele mesmo cuidado para representar relacionamentos lésbico que filmes pornôs lésbicos para heteros tem: duas garotas se divertindo, até chegar o macho alfa e pegar as duas. Mas claro, aí no meio da história tem drogas (u-hull, que hardcore) e algum drama barato estilo Malhação.

Paraisos Artificiais

ZZZZZZZ

Enfim, acho que deu para perceber que eu não gosto de filmes com bad lezploitation – sinto raiva in fact. Vendo-me fácil-fácil para filmes com relacionamentos lésbicos, mas não perdi completamente o senso crítico.

Cinema

“OMG! A lésbica morreu no final e a hetero se casou com um homem e teve filhos! Estou cho-ca-da com tamanha ousadia em um roteiro só!”

Mas o objetivo desse post é dar entrada ao meu tour de force cinematográfico. Há algum tempo organizei toda minha pasta de filmes lésbicos (que tem praticamente 200 filmes!) e recomecei a assistir todos do zero (só vou pular um que já havia assistido e não quero nunca mais ver na vida). O meu objetivo é fazer uma pequena resenha de todos esses filmes e virar uma lésbica sem vida social obcecada pela Lisa Ray especialista em cinema lésbico (mesmo porque não deve existir outra pessoa com tanta paciência para ver tantos filmes – minha namorada mal aguentou ver Elena Undone).

Serei capaz de contar em quantos filmes lésbicos ou com subtexto lésbico Piper Perabo apareceu!

(Okay, nem foram tantos assim…)

Com calma, vou postando as resenhas naquelas semanas em que não tenho tempo/paciência/inspiração/vontade para postar outra coisa. E, sim, é por causa inicialmente desse meu projeto que eu criei o Cine Lésbica: para evitar falar do filme e ninguém poder assistí-lo. Então quem quiser me acompanhar no tour de force, comece já assistindo The World Unseen, Yes or NoLua de FelWhen the Night is Falling!

Imagine Me and You

“Como assim Imagine Me and You não vai ser o primeiro?”

///\\\///\\\///\\\///\\\

///\\\///\\\///\\\///\\\

///\\\///\\\///\\\///\\\

Com relação ao 1º Encontro Nacional do Flexões Lésbicas: ele vai acontecer. O grupo está meio parado e o cronograma não está montado, mas nem que eu tenha que escolher os lugares sozinha com programa de índio + turista, a coisa vai acontecer! No próximo ano, quando as pessoas estiverem mais seguras, eu incluo no cronograma a luta no óleo. Inclusive quem quiser trazer seu HD externo para eu passar meus 200 filmes lésbicos (uns 100GB), pode trazer.

33 ideias sobre “Filmes Lésbicos

  1. Clap, clap, clap! Bravo!
    Nossa, me identifiquei muito com este post. Eu tava justamente desse jeito semana passada (crises existenciais+sinais ambíguos de uma ht) e assisti um filme lés (Kyss Mig – ótimo, recomendo) e deu uma aliviada. É meio estranho porque você tenta racionalizar os motivos de você estar numa fase down e, in fact, você sabe o porquê está daquele jeito, e mesmo assim não consegue deixar de estar (fez algum sentido?).
    Gostei tbm da sua definição de lezploitation, concordo em número e grau.
    Por fim, acho justo citar Fernando Pessoa, que escreveu “A arte é a confissão de que só a vida não basta”. Apesar de muitos filmes lés passarem longe de serem ‘arte’, devido aos pontos que você mesma elencou, eles cumprem a função de um breath of relief para nossas almas atordoadas.

  2. hahahaha ^_^ eu gostei do post… principalmente pelo fato de que ninguém mais poderia escrever sobre filmes lésbicos a não ser você, fonte de toda a paciência do mundo para tal.

    Como vc disse, mal suporto ver, me dá um tédio sem tamanho… mas confesso que há cenas & cenas. E acontece de a trama ser uma desgraça, mas a cena ser bonita. Não falo isso com muita propriedade, mas é o que notei no pouco que vi.

    Se ver os filmes lésbicos te faz mais feliz e bem-humorada, é o que importa.

    Beijos <3

  3. nossa no começo do post parece q eu estava lendo algo q eu escrevi… q bom q nao sou so eu q me sinto assim

  4. Não digo que tenha assistido um grande número de filmes lésbicos para tecer comentário mais apurado, mas infelizmente não podemos ter grandes expectativas em relação a filmes lésbicos, são em sua maioria trágicos (nos quais podemos incluir bons roteiros), e os poucos com final feliz, são roteiros essencialmente “água com açúcar”, mas eles nos trazem a sensação de normalidade, de que ser lésbica faz parte do senso comum. E claro que o ápice do filme, que é o amor e sexo, nos faz aliviar as tensões do dia a dia!
    São produções para um público restrito e os que têm a pretensão de atingir um público mais amplo, ou são apenas cenas relâmpagos (como “O Preço da Traição”) ou não conseguem patrocínio!
    Gostaríamos de ver filmes onde o tema não fosse sobre lésbicas e sim as lésbicas estarem inseridas em um roteiro independentemente de serem ou não lésbicas! Como isso está em um futuro distante para nossas gerações, temos que nos contentar com “Lezploitation bom” que o post sugeriu!

    Bjos

  5. Como assim o meme ter sido mal usado em “Será que a Eva Green vai pegar a aluna espanhola?” Eu gostei demais de Cracks (Sedução), e acho que mais por causa de minha fase na vida (minha situação de professora universitária frustrada, o fato de ela fantasiar com viagens que não fez e sofrer de síndrome de pânico) do que talvez pelo filme.
    É um filme sutil em muitas coisas, nisso de demonstrar a adoração que uma mulher imperfeita pode despertar sobre outras; no fato de uma mulher mais velha ficar fascinada com a rebeldia secreta de uma jovem que parecia contida; a própria condição de mulher doente (mentirosa compulsiva, doente de pânico, manipuladora) por não ter conseguido viver sua identidade… Eu assisti a esse filme em companhia de um homem que, aliás, sugerira o filme na esperança (vã) de que veria pornô entre mulheres hahaha… No final das contas, eu adorei o filme, acho que entendi muita coisa e ele não entendeu nada, só achou “sem graça” e dormiu no meio do filme, sinal bom de que o lezploitation era bom e não pra agradar p*nheta de marmanjo.
    Vou aguardar ansiosamente que você faça um comentário de Cracks e, se alguém tiver lido o livro, também gostaria que comentassem. Ah, quem não se vê uma Ms. G. às vezes?
    Uma hora dessas, Jac, você poderia transformar o Cine Lésbico em uma “Copa” Cine Lésbico: os filmes seriam criticados aos pares por pessoas que leem seu blog e cada crítica elegeria um melhor, que passaria pra fase seguinte. Ao final, escolheríamos o “vencedor”. É uma forma de fazer a galera interagir, mas é só uma dica despretensiosa.
    Abraços!

  6. O melhor filme lésbico que eu já vi foi ‘Tomates Verdes Fritos’. É sutil, divertido, blábláblá… Por mais que muita gente pense que as duas não eram mais do que boas amigas, pra mim sempre houve amor entre elas. O resto têm sempre aquela mesma historinha xarope..

  7. Que legal! uhua uhau! Nunca me diverti tanto em uma leitura espontânea e criativa! hahahah! Ainda sorrindo! Bom, tens aí o lado filosófico da questão sobre o filme lésbico. Imaginei em um tudo: o bad lezploitation ou o bom lezploitation, o pacote completo seria um tédio se fosse uniforme e sem área para podar. O senso crítico é a forma solitária ou não do entender. Aprecio a sua colocação, sua sensibilidade em identificar o ponto principal das narrativas. Mas creio que os roteiros pobres que há por esse mundo de produção cinematográfica lésbica é uma forma de preconceito. Produtores acham que só vale o rala e rola lésbico e não imagina que o expectador possui massa cinzenta e branca no cérebro. Bom tenho o mesmo comportamento que você, em geral assisto uma única vez e quase sem aguentar. heheh. Marco o título e jamais volto à assisti-lo, trato isso como questão de sobrevivência cultural. Obrigado pela dica desse espaço.

  8. Eu não sou boa “entendedora” de filmes com temática les. Até já assisti alguns que vc citou no post, mas tenho que confessar: não tenho a mínima paciência pra filmes assim. Primeiro, a escolha das atrizes geralmente deixa a desejar, com raras exceções. O roteiro, quase sempre a mesma lenga-lenga chata demais, e tudo como pretexto para as meninas “se pegarem” , vide Black Swan. Ok, a Mia me deixou com água na boca até mesmo nas cenas em que ela aparecia saboreando um sanduíche, mas isso só aconteceu pq eu sou mesmo tarada HA HA HA ! E o pior desses filmes é o final: ou a menina desaparece e vira freira, ou casa com um carinha e larga a outra debilóide a ver navios, ou ela morre de uma maneira tragicômica surreal como em Chloe. Enfim, filmes com temática les de fato tem um público muito restrito. Quem sabe no futuro isso melhora. É por essas e outras que até hj não fizeram um filme da Xena Princesa Guerreira por exemplo. Afinal, como mostrar e deixar claro pra o “grande público” que Xena e Gabrielle eram namoradas? A passos de tartaruga nós vamos seguindo…..

  9. Oi Jac, tudo bom?? Adorei seu post. Também faço isso, vejo filmes lésbicos quando estou sem sono ou muito stressada. Interessante mesmo!!!! rsrsrsrs

    Parabéns pelo site. Sou fã.

    Bjs,

  10. Assisti a muitos filmes lés… muitos são chatinhos (água-com-açúcar) mesmo. Gostei muito (e já vi umas 5 vezes) de “Desert Hearts”. Não sei explicar, tudo me atrai no filme: a trilha sonora, a personagem Cay, a transformação da professora Vivien… e, claro, a cena de sexo (a mais bonita que já vi).
    PS.: Tão bom quanto este filme seria se fizessem a adaptação (bem feita) do livro “Carol/Price of Salt” para o cinema…

  11. Eu já vi alguns filmes lésbicos e dormi em quase todos, e olha que eu gosto de filmes. O problema é que os filmes lésbicos parecem filmes da Meg Ryan com duas mulheres, e eu acho os filmes da Meg Ryan MUITO chatos :)

  12. Adorei o post!!! Disse tudo =)

    Mas avisa quando o filme tiver o bad lezploitaiton. Odeio filme assim aff. Tira toda minha felicidade.

  13. gurias vcs tem que assistir “um quarto em roma” perfeito/simples/bonito/sexy bah super recomendo!

    pesquisem no youtube ;) )

  14. Hello! “Paraísos artificiais”, definitivamente, não é um filme lésbico. Desci do meu pedestal homossexual e fui ao cinema assistir a esse filme sem esperar grandes cenas lésbicas. Então, fica a dica: o filme é muito bom sim, afinal são muitas histórias cruzadas e a gente sai do cinema com a cabeça explodindo, sem saber o que sentir nem por onde começar a pensar nos tantos assuntos que surgem. Além disso, em termos técnicos eu acho que o filme foi muito coerente. É um filme com muitas cores, contrastes e brincadeiras com foco e ângulo – artimanhas do cameraman e do editor.
    Tá, mas retomando o assunto do post: valeu Jac, eu realmente preciso de resenhas sobre filmes lésbicos. Não costumo assistir filme a menos que alguém tenha convidado ou indicado, e isso não garante que eu vá gostar do filme! Haha!
    Não pude participar do encontro, uma pena, fiquei sabendo em cima da hora. Mas no próximo eu quero estar presente! :)

  15. Adorei este post. Eu nem sou muito cinéfila mas quando tem temática lésbica eu acabo vendo por alguma identificação e talz mas eu fico muito furiosa com o bad lezploitation (que é a maioria) e já tô visitando o cine lésbica pra ver qual é!

    Flexões sempre arrasando \o/

  16. “(…)recomecei a assistir todos do zero (só vou pular um que já havia assistido e não quero nunca mais ver na vida).”

    Qual filme? #curiosa

  17. Gostei muito de Die Shönsten Jahre, filme alemão de 2005. Bem diferente. disponível no youtube, parcialmente legendado em inglês ou espanhol.

  18. Acabou de ganhar mais uma fã . Acabei de ler o Post acima, e confesso que foi divertido , inteligente e criativo. parabéns
    Vou passar outras vezes por aqui. bjs

  19. Primeiramente parabéns, vc tem um senso de humor otimo, e seu site é dez conheci por acaso mas já viciei. Bom sobre filmes queria dizer que já assisti a maioria e posso falar sem sombras de duvidas que a maioria deixa a desejar, mas tá valendo pois ainda encotramos alguns poucos de qualidade com os dois em que a Lisa Ray aparece, sou simplesmente apaixonada por ela, que mulher… mas já vi a lista dos filmes que vc falou até agora e imagino que está deixando os melhores pro final, como os dois dá Lisa, fingersmith, amado annabelle, imagine eu e você, Elena undone, livrado a cara, cidades dos sonhos e as delicias celatias de nina. Bom eu creio que esses sejám os melhores pelo menos para mim rsrsrs ;-) por não tem um final tragico e não ser com uma historia tão ruim. Enfim queria mesmo dá os parabens, sei que esses filmes vão está na sua lista só quero ver o seu humor. E queria sujeri algo não sei se vc é fan de animes mas acho legal aumenta os horizontes. Por que não cria tbm um post para falar dos animes, yuris que são voltados para nós lés. Acho que os animes na maioria das vezes supera os filmes que temos hoje pois são bem elaborados e ainda cheio de drama,além é claro, que é legal vê que temos lugar nas animações e na cultura Japonesa. Bom fica a dica espero que goste e não pense que estou exigindo nada pois não é minha interção, só acho que com seu humor e sua maneira de escrever todas nóis iremos amar vê mais posts com sua opinião. Continue o ótimo trabalho que está fazendo bjs ;)

    • É minha intenção, sim, um dia fazer um post sobre yuris. Mas estou adiando pra quando voltar a minimamente me envolver com esse universo ahahahhaha

  20. Legal… espero mesmo que divulgue mais sugestões de filmes (ri demais sobre a Piper Perabo e a definição de lezploitaiton). Tbm não ligo tanto para o enredo, mas adoro aquela tortura com muita tensão e drama, antes da cena mais esperada. Dica: Não pare de escreveeerr, vc escreve muito bem. Bjs :]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>