Projeto Filmes Lésbicos – 002

Como não estou com tempo, nem vontade para fazer outro tipo de post, segue aqui o meu relato de como me apaixonei por Jill Bennett.

Jill Bennett - In Her Line Of Fire

Ehm… Não exatamente nessa cena…

Filme: And Then Came Lola

And Then Came Lola

Gênero: Até-Que-A-História-Não-É-Clichê; Comédia;

Sinopse by Jac: Lésbica precisa correr para chegar a uma reunião antes que uma Italian Stallion pegue sua namorada.

Opinião: Todas as lésbicas deveriam assistir esse filme. A proposta é seguir o modelo de 3 repetições de Corra, Lola, Corra. Mas com lésbicas. Lésbicas por todas as partes. Até figurantes transeuntes na rua são lésbicas nesse filme!

And Then Came Lola - Lesbian Attack

Bem-vindas ao Paraíso!!!

Até onde eu contei, foram 5 homens que apareceram no filme inteiro – incluindo dois gays e dois desenhos. Fucking amazing! E o filme consegue cumprir bem seu papel de “meio comédia”, o que eu, particularmente, acho algo raro num filme lésbico. Destaque para a guarda-de-trânsito (lésbica, claro) hilária e para a butch-mas-nem-tanto do cachorro.

And Then Came Lola - Ashleigh Sumner

Filme muito legal e tudo mais, mas o mais interessante não está no filme em si. Eu assisti And Then Came Lola em uma noite em que eu estava muito sem paciência para nada e cada vez que a Casey aparecia na tela minha noite ficava mais ensolarada! Ela é tão parecida com a Ana Paula Arósio… Claro que eu fui procurar o nome da atriz que a fazia era Jill Bennett – uma atriz out and proud. Tão proud que até tinha um vlog no After Ellen.

Jill Bennett

Heteros, podem ficar com a Angelina Jolie, não me importo mais… Nós temos Jill Bennett!

Aí como boa lésbica stalker que sou, descobri que além da Jill Bennett, as outras duas protagonistas são lésbicas out and proud. Cathy DeBuono (a garanhona italiana) é esposa da Jill, inclusive. E Ashleigh Sumner deu uma entrevista sobre o filme super fofa e comentando sobre ser uma lésbica assumida. Única decepção: somando-se todos esses fatos com a história do filme, o cartaz dele fica realmente parecendo pura lezploitation.

And Then Came Lola - Poster

Jill está abraçando Cathy por trás, sendo esposa dela na vida real, mas não no filme em que ela foge da Cathy. Cathy está toda sorridente e sexy com Ashleigh, sendo que as duas estão competindo no filme pela Jill. Ashleigh está com a mão na bunda da esposa do par romântico dela no filme. A protagonista não está no centro do cartaz. Nem a mulher que é disputada pelas duas outras está no centro. What the fuck?

Final: Não importa. O filme tem Jill Bennett no elenco, não precisa de mais nada.

Nota do Filme: 9
Nota do Romance Lésbico: 6 (não é exatamente o mais interessante do filme)
Nota da Lezploitation: 7 (tem bastante pegação, mas não chegou a me interessar)

///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\

Filme: In Her Line of Fire

in-her-line-of-fire

Gênero: Você-Só-Assiste-Por-Ser-Lésbico; Até-Que-A-História-Não-É-Clichê;

Sinopse by Jac: Um babaca importante americano é sequestrado em uma ilha aleatória e sobra para a butch do exército salvar com a ajuda da Jill Bennett.

Opinião: Fui assistir o filme com uma vontade louca de ver a Jill Bennett sendo lésbica (em um filme, já que ela é lésbica IRL), mas, infelizmente, o filme começou péssimo: cenários pobres, direção amadora, uma macharada que não acabava mais e pouquíssimas aparições da Ana Paula Arósio americana.

In Her Line Of Fire - Jill Bennett

Mas pelo menos no começo ela estava de roupa limpa e maquiagem bem-feita.

Mas, à medida que eu fui me desapegando das expectativas de ver 90min de Jill Bennett linda e arrumada se pegando loucamente com a loira butch (que é bem pegável per si), até que o filme não ficou tãããão maçante e passou a ser mais engraçado.

Eu, particularmente, teria cortado toda aquela baboseira de salvar vice-presidente dos EUA e teria escrito alguma história num escritório ou num tribunal para justificar mais pegação e roupas sociais all the time.

Final: A melhor parte. Não que o final da história foi grandes coisa ou novidade, mas o beijo que a Jill Bennett deu… Oh, God! Quase compensou os 90min da minha preciosa vida que perdi assistindo ao filme.

In Her Line Of Fire - Jill Bennett Kiss

(Lembrou o jeito que minha namorada beija, just saying)

Nota do Filme: 4
Nota do Romance Lésbico: 2
Nota da Lezploitation: 3

///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\

Filme: Thelma & Louise

thelma-louise

Sinopse by Jac: Duas amigas vão fazer uma viagem e acabam se envolvendo em um crime.

Gênero: Contém-cenas-lésbicas-mas-não-é-filme-lésbico; Antigo; Até-Que-Não-É-Tão-Underground;

Opinião: Um cláááassico do cinema que, na verdade, se encaixa muito mais como feminista do que como lésbico. Afinal, só porque Ridley Scott Callie Khouri (a roteirista) incluiu ali um selinho no final, não justifica classificá-lo como lésbico.

Eu particularmente amei Louise, toda a sua racionalidade não-esteriotipada e até mesmo seu relacionamento com o Mr. White (Cães de Aluguel, nunca vou esquecer) – e olha que eu sou geneticamente programada para torcer por um casal lésbico. Já a falta de noção de Thelma é muito irritante no começo do filme, mas é totalmente perdoável quando vemos a personagem amadurecer.

Thelma and Louise

De qualquer forma, vale muito a pena assistir a esse filme que já em 1991 trazia muito do discurso que hoje vemos na Marcha das Vadias.

E vale ressaltar também, quão curiosa é a relação que os irmãos Scott têm com lésbicas. Enquanto Ridley dirigiu Thelma & Louise e Alien (cuja protagonista é a super fancha Ripley), Tony dirigiu The Hunger. Susan Saradon está tanto em The Hunger (Tony), quanto em Thelma & Louise (Ridley) – para mim isso já a torna uma “diva lésbica”. E em Top Gun, Tony dirigiu Kelly McGillis – que se assumiu lésbica nos últimos anos. Isso tudo porque eu mal conheço a filmografia dos dois.

Thelma and Louise - Car

Okay, sempre sinto vontade de chorar vendo essa cena…

Final: Raríssimas vezes um filme consegue me passar a morte dos seus protagonistas como uma libertação. E Thelma & Louise, na sua cena mais icônica, consegue essa façanha.

Nota do Filme: 10
Nota do Romance Lésbico: 2
Nota da Lezploitation: 1

///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\

Filme: Affäre zu Dritt

Affare zu Dritt

Gênero: Straight-Meets-Lesbian; Lésbica-Psicótica-Atormentando-Hetero-Ingênua; Lésbica-Destruindo-Casal-Hetero;

Sinopse by Jac: Mulher que perde o marido e vai trabalhar junto com outro homem cuja mulher se apaixona por ela.

Opinião: A história de Affäre zu Dritt me pareceu bem interessante à primeira vista. Não dá pra deduzir o final, certo? Como, no momento em que vi o filme, queria ver algo com pegação, dei umas bisbilhotas e vi uma cena de sexo lésbico.

Affare Zu Dritt - Sex

Opa! Já passou pelos critérios!

Começamos o filme sem grandes enrolações. A policial que perdeu o marido entra em contato logo com a esposa do policial, já rola química rápida, logo já dão o primeiro beijo e beleza. Mas, como eu sou macaco velho, percebi que a história delas se desenvolveu rápido demais, o que só me deixou mais curiosa com os rumos da história. Será que as duas iam acabar juntas? Será que a Siska só tinha a intenção de destruir a vida da Katrin? Siska só estava tentando esquecer a morte do marido?

Affare zu Dritt - Siska

E olha que não é qualquer filme lésbico que não me deixa deduzir o final antecipadamente!

Enfim, as duas mulheres são lindas (mas eu só consigo diferenciá-las pela altura e cor dos olhos) e há de fato cenas de sexo lésbico no filme. O problema é que as cenas são terrivelmente falsas. Belíssimas, mas falsas. Tudo muito delicado, muito pastel, muito nhenhenhe, mal encostando a boca na outra. Faltou um toque mais selvagem. Faltou desejo.

Affare Zu Dritt

Essa foi a maior pegada do filme.

Final: Revoltante. Depois do final de semana de “amorzinho” lésbico da esposa, o babaca do marido da Katrin leva um tiro na cabeça. Então Katrin percebe que o verdadeiro amor da vida dela é o marido ninja, que obviamente sobreviveu. E fechamos o filme igualzinho, igualzinho a Chloe: um pequeno objeto lembrando a história lésbica da protagonista em algum canto da tela e a cena final mostrando como a família hetero conseguiu sobreviver ao ataque terrorista lésbico.

Nota do Filme: 6
Nota do Romance Lésbico: 4
Nota da Lezploitation: 4

///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\

Download: Thelma & Louise, In Her Line of Fire, And Then Came Lola (leia o post e os comentários antes de reclamar que não há link!) e Affäre zu Dritt.
Próximos filmes: Surpresa! Apenas digo que são os filmes da minha fase “lésbica da depressão”.

Compartilhe com a irmandade!Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
Esta entrada foi publicada em Mídia e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

25 respostas para Projeto Filmes Lésbicos – 002

  1. luísa disse:

    kkkkkkkk, que tanto de filme ruim em um único post. E essa atriz é muito baranguinha jack, tem cara de cavalo. Chloe foi uma aberração (se bem que a pegação e os peitão da Amanda Seyfried já da uma compensadinha). A verdade que filme lésbico da uma preguiça do cão, pq as sinopse nunca ajuda você a ter coragem de assistir o filme.

    • Jac disse:

      O objetivo é assistir a “todos” os filmes lésbicos e comentar sobre eles, independentemente se forem bons ou ruins. E eu considerei And Then Came Lola e Thelma e Louise como bons. A não ser que seu conceito de “bom” seja “com muita pegação boa” – aí realmente os filmes ali estão fracos ahahahahahaha

    • Priscila disse:

      Hum, então filme lésbico com enredo bom está em falta… Por isso que estou assistindo Marlene e Rebecca (verbotene liebe, uma novela de váaarios meses e muito drama pras duas estarem juntas atualmente) xD

    • Nani disse:

      Pode parecer babaca engraçado , mas Clhoe (O preço da Traição ) e Paris ( a perfect ending ) e tudo que uma mulher casada carente precisa .
      Mas elas são ficção, tais como essas aí não existem .

  2. kleoh disse:

    ” Quase compensou os 90min da minha preciosa vida que perdi assistindo ao filme.”

    Você me ganha com essas frases UASHUAHAUHSUAHSUHASUAHS’

    Parabéns, seu blog é sensacional e seu humor é essencial xD

  3. mi disse:

    … adoro ler seus posts jac, adoro msm, amo o flexões! vc é de mais gata..

  4. Lei de gaga disse:

    Adoro estes reviews! Ah, não sei se você já assistiu Cracks (2009). Eu achei uma mistura de pseudo lezplotation + escola só pra meninas + psycho stalker. Tem 0 de pegação, mas com certeza vale assistir pela belíssima fotografia e pelo papel principal da Eva Green, linda!
    Mas eu estou comentando dele porque os produtores executivos são Ridley e Tony Scott e foi dirigido por Jordan Scott, que é filha do Ridley. Acho que rola uma identificação com a temática lésbica mesmo, como você pontuou.
    http://www.youtube.com/watch?v=tU2xyM_2jIE

  5. Gabriela disse:

    Dos filmes aí, só assisti contigo o Telma e Louise. Só me dava nos nervos a tal da Telma… ô senhor, mulher mais sem rumo na vida. Mas apesar disso, achei bom o filme e o final, com aquela coisa da “libertação”.
    Assistiremos mais alguns filmes assim que der, bem como jogar X-box e etc etc que já tô com saudade.
    Beijos meu amô ^^

    OBS: é, tô sabendo que minha namorada é linda hehehe

  6. iasmin disse:

    Imagine me and you pfvr *-*

  7. Kenzy disse:

    ataque terrorista lésbico kkkkkk

  8. Amo seu blog… suas opiniões sobre os filmes e seu jeito engraçado de escrever!.. mal posso esperar pelo seu próximo post!

  9. Batting disse:

    Uma dica de um filme lésbico não muito conhecido, pois é sueco: Fucking Åmål. Apesar de nenhuma pegação boa, vale a pena ver pela tensão do filme, e o final é meio imprevisível. E também porque a guria loira é muito lindinha…

  10. Ju disse:

    “Como não estou com tempo, nem vontade para fazer outro tipo de post, segue aqui o meu relato de como me apaixonei por Jill Bennett.”

    Tenta arranjar um tempinho, Jac. Seus posts são muito divertidos e esclarecedores, além de ter muita utilidade para “iniciantes”, como eu.

    Não sei se você lembra, mandei meu caso (a “hetero” – eu – envolvida com a amiga) por comentário num desses posts “recentes”, até entrei no grupo do Flexões (mas excluí o fb faz um tempinho), e tudo isso me ajudou bastante a tomar a decisão de assumir esse relacionamento e enfrentar as dificuldades que vão surgir – e já estão surgindo – até já assumi para minhas amigas heteros (elas levaram numa boa, disseram que já esperavam isso por eu ser desmiolada e adoraram minha namorada). Portanto, você, indiretamente, teve uma parcela de colaboração para o surgimento de mais um casal lésbico haha

    Beijos!

  11. suh love disse:

    Concordo com seus comentários sobre os filmes,tudo que vc falou eu assino em baixo,os filmes podia ter uma história melhor,sim eu assisto os filmes para compara-los,obg pelo seu post ta de+,eu ainda nao assistir And Then Came Lola,to vendo se acho pra baixar,mais vo assistir com certeza,bjs gata,se cuida ^.^ 🙂

  12. Thais disse:

    Elena Undone. História de uma lésbica que ataca sem escrúpulo algum uma moça hétero, cujo marido é pastor. Quer mais “porques” pra ir pro inferno?

    • Jac disse:

      1- Você nem sabe se o inferno existe, só está confiando na palavra de pessoas auto-proclamadas representandes de deus.
      2- Você nem sabe quais são os critérios para ser mandado para o suposto inferno, só está confiando num livro escrito 2.000 anos atrás e na interpretação dada pelos auto-proclamados representantes de deus.
      3- Se o inferno é o lugar para onde vão todas as lésbicas, é para lá que eu quero ir!

      • Thais disse:

        Jac…isso foi sarcasmo. Sou lésbica, casada e atéia, logo não acredito em nada disso. Citei o filme porque é um bom filme, desculpe-me se não me dei a entender. Adoro seu blog, entro sempre para ver os posts novos. Beijos.

        • Jac disse:

          Ah, desculpe!

          Você começa a ouvir tantos absurdos por aí sendo ditos como verdade que perde totalmente a sensibilidade para ironias ahahahhhaha

          • Priscila disse:

            Eu li que o que ela falou foi sarcasmo, mas eu tava pensando, eu sou lésbica e sou cristã primitiva, não tenho problemas com religião… x)

  13. Luciana disse:

    Cadê o filme Gia aí?

  14. juh disse:

    adorei o post e as indicações, mas tá faltando um pouco mais de pegação (bancar a tarada) haha ansiosa pelas próximas dicas já

  15. Bethinha disse:

    Eu também conheci a Jill Bennet com esse filme “And Then Came Lola”… animou um sábado deprê da minha vida, hahaha \o/
    Ela é linda e o fato de ser lésbica out and proud, como vc diz, é super demais!! E concordo a respeito do cartaz… nada a ver mesmo.

    Ah, falando em Ana Paula Arósio, acredito que você já tenha visto “Como Esquecer”, né? Espero que apareça logo por aqui.

    E “Thelma & Louise”, realmente, é um filme 10!

  16. Priscila disse:

    ” O filme tem Jill Bennett no elenco, não precisa de mais nada”. kkkkkkk, chorei de tanto rir. xD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *