Em Família – Clara e Marina em análise

Para alegria de muitos, a novela Em Família acabou. Longe de mim querer defender a continuação da trama quero-pegar-o-ex-da-minha-mãe de Laerte-Luiza-Helena, mas perdemos com o fim as únicas personagens lésbicas com maior visibilidade da TV brasileira.

Clara e Marina

Confesso que não sabia se iria fazer um post sobre Clara e Marina. O casal não me empolgou tanto quanto deveria e não gerou tanto alarde quanto o Félix e Niko de Amor à Vida. Decidi dar uma olhada nas personagens da próxima novela Império para ver se, risos, haveria mais alguma lésbica aparecendo nos próximos meses. Não… só personagens gays, já que claramente é impossível conseguirmos gays e lésbicas em uma única história que não seja Glee. Melhor eu aproveitar e falar antes que passemos mais 9 anos sem representação em novela brasileira, não é mesmo?

Na primeira fase da história das duas, temos uma Marina-sonho-de-consumo-lésbico: predadora, rica, linda, bem-sucedida e fotógrafa. A princesa lésbica pronta para resgatar a gata borralheira hetero da sua vidinha hetero sem graça.

Clara e Marina 02

“Nossa, que cara de hetero. Vou atacar, não espero – é bem essa que eu quero.”

Não há nenhuma novidade nessa trama Straight-meets-Lesbian. Já vimos igual em Imagine Me and You, The World Unseen, When The Night Is Falling, Kyss Mig, Elena Undone, Yes or No, Room in Rome, A Perfect Ending, The L Word e… você entendeu. Mas até esse ponto eu não estava implicando com a falta de criatividade na história, afinal, ela iria durar meses e certamente não é concebível arrastar uma trama dessas por tanto tempo.

Sabe de Nada, Inocente

O que realmente me incomodava nessa primeira fase era colocar o Cadu como um incompetente pobre irresponsável que mal dava atenção para a mulher. Tivemos várias cenas com Clara reclamando do marido… inclusive a primeira cena em que a Clara adulta aparece.

Essa era a jogada para introduzir a Marina na vida da Clara e ter uma boa aceitação. Cadu deixava o carro sem manutenção? Marina pagava uma festa de aniversário. Cadu era desempregado? Marina era uma fotógrafa reconhecida internacionalmente (porque é tãããão fácil ser “reconhecido internacionalmente” em novelas). Cadu não pagava a conta de luz? Marina chamava Clara para ir para Angra dos Reis.

Clara e Marina

“Então, eu tô precisando de um empréstimo para abrir meu restaurante. Como garantia fidejussória da operação eu coloco minha esposa.”

Qual o problema disso? Restava a dúvida se Clara estava apaixonada pela Marina ou pela vida que Marina poderia dar para ela. Em nível de história eu acho isso de não deixar a trama tão mastigadinha ótimo. Porém a idéia seria mostrar que Clara está apaixonada pela Marina, né? Não deixar as pessoas ignorantes pensarem “se ela tivesse um macho provedor em casa, ela não precisava ir atrás da power lesbian”. E como separar Marina de vida-de-Marina?

Pai de Marina

“Papai vai ter que cortar a mesada…”

Na real, acho bem brochante que essa vida de bon vivant da Marina seja bancada pelo papis. Sabe, isso destoa da imagem de lésbica predadora ideal dos meus sonhos que deveria ser independente, mais velha, responsável e com trabalho rentável. Mas, é claro, se você analisar a vida de lésbicas reais de 18 a 30 anos, verá que a maioria é bem dependente dos pais. Então, ponto no quesito realidade.

Mas também nem tudo são críticas. Eu adorei, por exemplo, as investidas super diretas da Marina nessa primeira fase da história. E a Clara só escapando pela tangente em ótimas atuações da diva Giovanna Antonelli. Veja esse exemplo:

Clara e Marina

Ai, me dá uma oportunidade, Marina, sua linda!

Aliás, a visita delas a Angra foi o ponto alto da Marina predadora. Outra cena ótima é Marina 1- se oferecendo para ajeitar o cabelo de Clara, 2- perguntando se Clara assistiu Flores Raras (e dessa vez nem foi merchan da Globo não, isso é técnica lésbica reconhecida e real) e 3- se aproveitando de qualquer frase ambígua de Clara.

Clara e Marina

Eu sempre me divirto com lésbicas predadoras e suas técnicas, mas também era divertido ver a Clara fingindo que não entendia as indiretas e soltando comentários sempre ignorados sobre o seu casamento com o Cadu. E quando ela dava alguma trela para Marina era algo tipo:

Clara e Marina

Sério, não fui eu que inventei esse comentário. Perfume tipo masculino porque obviamente lésbicas são constantemente associadas ao masculino, já que vivemos em uma socidade altamente sexista e binária que impede lésbicas de serem seu próprio feminino e…

Woman smiling

“LOL! Just kidding! A maioria das lésbicas realmente prefere perfumes “mais masculinos” aos adocicados femininos.”

E é basicamente assim que terminamos a primeira fase do casal: Marina gata predadora perdendo a mesada, Clara ora dando bola, ora falando do maridão.

Na segunda fase, temos uma mudança na história das duas porque o Cadu, que antes era imprestável, foi sorteado na lista de dramas médicos do Manoel Carlos e passou a prestar para atrapalhar o plot lésbico da novela.

Cadu

“Vocês sapatões são as culpadas pela arritmia do meu coração. Malditas lésbicas! Maldita Dilma! Maldito PT!”

Clara assumiu que gostava de Marina e quase tivemos um beijo das duas, mas ela recuou muito e só ficou “blablabla Cadu blablabla meu marido e seu coração quase explodindo blablabla meu filho blablabla meu casamento“.

Clara e Marina

Um pouco de lezploitation para manter a audiência.

E enquanto tivemos um quase beijo lésbico, as cenas heteros rolavam soltas:

Clara e Cadu

Sexo hetero é permitido.

E como Marina fica nessa fase?

(  ) Vai pedir conselhos e desabafar no seu blog lésbico preferido;

(  ) Vai para o Simão carioca tomar 5 killers e ficar bem louca vassourando geral;

(  ) Grita “NEXT”, afinal estamos falando Tainá Müller e ela não precisaria ir no Simão carioca tomar 5 killers bem louca para pegar outra mulher.

(  ) Dança louca bêbada ao som de Jota Quest Skank (!) na sala da sua casa (!!) com a única outra lésbica da trama (!!!), que por um acaso é sua ex (!!!!), para esquecer a Clara, como fez antes.

(  ) Corre atrás da Luiza, que demonstrou tendências homossexuais, e, não somente cumpre a cota LGBT do folhetim, mas resolve o triângulo amoroso principal.

(X) Entra em uma crise criativa, para de trabalhar e fica esperando depressiva e passivamente a hetero lembrar que ela existe.

Clara e Marina

“Lembra de mim, por favor, Clara, mesmo que eu não seja mais a mulher confiante, predadora, rica, bem-sucedida por quem você se apaixonou.”

O mundo pode ser muito cruel com quem está em decadência (eu sei, Lady Gaga sabe) e a personagem de Marina perde em charme, apelo, dignidade. Tanto isso é verdade, que eu passei a me interessar muito mais pela história da Juliana e Jairo. Mas quem se beneficia com a queda da Marina é a Vanessinha Vanessa.

A Vanessa é a grande sacada do drama lésbico. É ela quem dá história para Marina não ser só uma lésbica perdida no mundo cujo único objetivo é servir de coadjuvante para a história da hetero.

Em Familia - Vanessa

“Eu só estou aqui tendo que correr atrás de você para existir algum motivo para o Manoel Carlos fazer cenas em que você aparece enquanto a hetero fica sofrendo com o drama do marido.”

E Vanessa sempre falou algumas possibilidades que dariam outros rumos para a história. Uma, que me agradou muito, é que Marina fosse largar Clara quando conseguisse conquistá-la. Outra, que não me agradou nem um pouco, é que Marina na verdade gostaria de pegar não somente Clara, mas o Cadu junto.

Em Familia - Vanessa e Marina

Além disso, ela é responsável pela raras cenas com alguma piada engraçada, já que Marina não funciona bem saindo do papel de predadora para alguém com senso de humor.

Em Familia - Vanessa e Marina

Mas nem Vanessa foi capaz de salvar essa fase e tivemos que esperar o Cadu fazer a cirurgia, arrumar affairs com outras duas mulheres, pedir o divórcio (não, não foi a Clara quem pediu) e mais uns dias de respeito se passarem para termos, na terceira fase, um pouco de pegação lésbica:

Amanda e MeganOops, não é essa imagem…

Bitch Slap

Nem essa…

Black Swan

Também não é essa…

Clarina

Aêê!! Primeiro beijo lésbico em novelas da Globo!

E o melhor comentário:

Comentário

Lembrando que o primeiro beijo lésbico em novelas foi no SBT em Amor e Revolução e o(s) primeiro(s) beijo(s) lésbico(s) na TV brasileira foi da diva pegadora, nossa saudosa Hebe:

Hebe selinho

Algumas pessoas na minha timeline alegam que Hebe tinha mais pegada que Clara e Marina.

E detalhe é que o beijo da Clara e Marina aconteceu depois do pedido de casamento. Manoel Carlos super deve ter pesquisado em The L Word e visto que lésbicas têm uma tendência a se envolver rapidamente e assumir logo relacionamentos, mas na vida real isso só acontece depois de alguns beijos e sexo.

Internet

“Mentiiiira, sua invejosa fubazenta, eu mesma estou em um relacionamento sério com o amor da minha vida que mora em outra região do Brasil. A gente ainda não se beijou, mas sabemos que vamos casar em 2015!”

Mas ainda faltava alguns dias para a novela acabar e eu me perguntei “e agora? o que elas vão ficar fazendo nesse tempo?” (não, sexo não era uma opção). Bem, a resposta é ficar fazendo média com o filho da Clara para passar uma mensagem de amor e aceitação para a “família brasileira” (conceito que obviamente não engloba famílias homossexuais). Também tivemos uma cena de demonstração de homofobia em um restaurante.

Tudo muito previsível e, perdoe, chato. Claro que é importante lutarmos por uma sociedade que nos aceite, que nos respeite, mas não deixa de ser chato ter que nivelar nossa rara visibilidade por baixo. Ao invés de podermos ver personagens lésbicas complexas com histórias complexas, temos que ser light para pessoas de mentalidade atrasada poderem nos tolerar. Sendo que quem não acompanha o progresso tem mais é que ser atropelado por ele.

Mas voltando a história, Manoel Carlos, para nossa alegria, converte a Flavinha Flávia (que, se não me engano, tinha um namorado no início da novela) para não-hetero e faz ela se interessar por algum motivo obscuro pela Vanessa.

Em Familia - Flavinha e Vanessa

Lembrando que a Marina falou algumas vezes também que não estava concorrendo com o Cadu pelo coração de Clara. Yay! Mais uma lésbica/bissexual sem amor próprio na novela!

Quanto a Clara e Marina, só restou se tornarem irmãs gêmeas (mesma unha, mesma roupa, mesmo cabelo), casarem e fazer planos de adoção de uma menina. Final bem preguiçoso, mas pelo menos com um beijo mais apaixonado, mérito exclusivo da Giovanna Antonelli porque claramente Tainá Müller não sabia o que fazer.

Clara e Marina

 

Clara e Marina

 

Ah, não acabou aí a novela. Ainda tivemos cenas de Clara e Marina aproveitando a noite de núpcias.

Lesbians

 

Ah! Até parece que lésbicas fazem sexo… As atrizes e o diretor ficaram mais perdidos para fazer uma cena de sexo lésbico do que as atrizes e  o diretor de Azul É A Cor Mais Quente.

Em Familia - Clara e Marina Nupcias 01

“Acho que primeiro você vem aqui…”

Em Familia - Clara e Marina Nupcias

“… ai eu sinto seus braços…”

Em Familia - Clara e Marina Nupcias

“Ih, Marina, acho que ainda não chegay lá… No paraíso lésbico prometido, sabe?”

Em Familia - Clara e Marina Nupcias

“Calma! Coloque sua cabeça assim que vai dar certo!”

Em Familia - Clara e Marina Nupcias

“Aaahh! Agora entendi!”

 

 

Compartilhe com a irmandade!Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
Esta entrada foi publicada em Mídia e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

42 respostas para Em Família – Clara e Marina em análise

  1. Thaís disse:

    HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHA
    OBRIGADA, EU ESTAVA PRECISANDO DE UM POST ASSIM SOBRE A NOVELA
    tenho ctz que o q escreveu, condiz com o q mtas pensam.
    http://www.youtube.com/watch?v=NMy0lH5lOpU gostava mais dessas lesbas, mais ousadas
    http://www.youtube.com/watch?v=TjN4FSruPCg

  2. Thaís disse:

    http://www.youtube.com/watch?v=jUabxJXMfbo MELHOR COMENTÁRIO SOBRE CHEIRO DE COURO

  3. Z. disse:

    Na verdade, apesar de assistir e torcer por #clarina, não gostei da abordagem que deram pra formação do casal. Precisar colocar uma lesbica predadora “atrapalhando” um casamento foi triste. Acaba reforçando a idéia de que sapatoes estão ai pra atrapalhar a vida de casais heteros.
    Acho que deveria ser leve e do jeito que normalmente acontece: se conhece alguém solteira, fica, namora e casa. Em 60 dias. Hahaha.

    • Jac disse:

      Mas aí entra aquela questão de que temos que ficar cheia de dedos (cof) para escolher o tipo de trama mais aceitável para a massa de público. Não podemos abordar uma história de alguém até então hetero se descobrindo lésbica/bissexual (o que é super real e comum) se ela já estiver em um relacionamento hetero (o que é super comum tbm).

      As pesssoas que devem entender que a Clara, no caso, estava buscando sua felicidade e tinha todo o direito de fazer isso. Casamento só deve ser mantido se é o que traz felicidade.

      • Ma disse:

        Verdade, sabemos que tem mulheres que acabam se casando por MEDO de assumir sua homossexualidade e outras que preferem deletar de suas mentes que se sentem atraídas por outras mulheres e não se ACEITAM. E vivem amarguradas por nunca ter sentindo o verdadeiro amor isso e triste.

  4. Letícia disse:

    Concordo com você em muitas coisas. É um saco todo esse esforço e cautela para que a trama seja aceita pelo público, e aquela cena da noite de núpcias foi ridícula. Parafraseando a Samara Não a do Poço, A globo fica passando essas noites de núpcias toscas, depois a família brasileira fica pensando que sapatão é assexuada.
    Por outro lado (sou otimista), gostei bastante de a novela ter mostrado o dia-a-dia de um casal lésbico, do preconceito, de como lidar com familiares e conhecidos, etc. Também achei interessante eles terem mostrado a maturidade e a aceitação rápida do filho da clara, o ivan.

    Para mim o principal foi o quanto essas cenas fizeram refletir e o quanto elas educaram as pessoas.

    • Marina disse:

      Sabe de nada, inocente! rsrsrsrsrs
      A Globo nunca esteve preocupada em dignificar algo…é só audiencia e lucro…simples assim!

  5. c. disse:

    eita jac, me ganhou nos killers do simão (adoro!) mas me perdeu na piadinha com a lady gaga…

  6. Sr Ezaltina disse:

    Kkkkkkkkkkk
    O final,vc narrou exatamente como foi kkkk perfeito

  7. Ma disse:

    A Tainá Miller e linda e o olhar também, referente a novela achei que faltou um algo mais, porém compreendo o autor vivemos em um mundo muito preconceituoso as novelas podem abordar traição, bigamia agora amor lésbico não, sociedade hipócritas.

  8. letticia disse:

    seu senso de humor é uma maravilha! Gostei muito do texto.

  9. amanda disse:

    Jac frequenta o Simão? Bom saber… Amei o texto.

  10. Vanesa disse:

    Si me pude reír, muy bueno tu post, tienes razón en muchas cosas, todavía me explico como pudieron abordar esa trama así, tenia para muchísimo más y sin ser exagerados, en algunos capítulos no tenia sentido ni la actitud de Clara (aunque era de esperarse por como se iba a desarrollar su personaje) pero de Marina que empezó a mil por hora y después se quedo en ese “compás de espera” por clara (Notese que esta linea la dice en la novela)

    • Rockeirinha disse:

      Ah, terei que comentar isso…. Se vc leu o post em português e entendeu, pq tu no comientas em português tbm mulher????

      • Jac disse:

        Aiiiin, sério, não seja assim. Achei super legal alguém que não fale português ter comentado (mostrando inclusive que clarina alcançou algum sucesso internacional).

        Mas explicando, uma coisa é seu conhecimento para leitura e outra é para escrita. Eu, por exemplo, consigo ler basicamente qualquer texto em inglês, mas não escrevo no mesmo nível. Você também provavelmente entendeu tudo o que ela falou, mas foi tentar escrever um trecho em espanhol e saiu um “comientas”. Então, né? hahahaha

  11. luisa disse:

    Viva Flavia e Vanessa!!!!!!!!!!!!! Fantasiei a novela inteira com a Luisa Moraes e no final, do nada, ela investe firme na outra (sim, ela tinha um namorado).
    Compensou todo o tempo perdido assistindo a história chata da fotografa lá

    • luisa disse:

      Ah, esse beijo demorou TANTO que minha mãe comentou outro dia “será que mulheres assim se beijam?”.
      Depois dessa noite de nupcias, quem dirá tranzar

  12. Marina disse:

    Eu fico me perguntando para que e por que a preocupação, a meu ver excessiva, que “minorias sexuais”, tem com exposição. Será que é necessário para sermos felizes que fique se propagando o tempo todo, martelando nossos direitos?
    Sou feliz desde que me assumi ( e foi bem novinha, viu?) e nunca tive necessidade de ver coisas em filmes, novelas ou seja lá o que for para entender que minha opção é minha opção, propriedade com direitos e deveres meus, sem me preocupar muito com essa quase fixação que a maioria das minorias tem com visibilidade.
    Não sou ingênua para acreditar que um casal de lésbicas ou gays em novelas é para dar visibilidade ou coisa e tal e sim sei que é só para despertar polêmicas e garantir mais audiência.Não existe uma preocupação, pelo menos aqui no Brasil, dessas emissoras de fazer um trabalho que dignifique ou que mostre uma realidade.É só vontade de audiência e lucro, nada mais!
    Gostei do post…engraçado…descolado…mas totalmente desnecessário!

    • Priscila disse:

      Entende tão bem sua situação que se refere a ela como “opção”. Pelo amor de Deus, não, não é opção.

      • Marina disse:

        Para mim foi opção sim, pois durante um tempo eu fui bi, mas em certo momento me descobri mais feliz e completa em relacionamentos homo. Optei em ser lésbica embora não tenha aderido a um estereótipo masculinizado pois sou mulher e tenho admiração, tesão e afinidades com mulheres tão femininas quanto eu.

  13. Blog Lesbico disse:

    Eu sou sua fã Jac, entro aqui todo dia pra ver quando é atualizado! Você escreve muito bem e seu senso de humor é sensacional…
    =*

  14. Biah disse:

    eu assistia todo dia a novela por que tinha esperanças de rolar um sexo selvagem lesbico e só aparecia a porra do Laerte tendo ataque de ciúmes digno de uma pseudo-adolescente quando esta de TPM

  15. Rockeirinha disse:

    Viu, faz um post comentando sua opinião sobre a excelente atuação do Pedro Malta/michel teló no filme azul é a cor mais quente

  16. Miih disse:

    Por Favor Jac, se me mata de rir desse jeito
    Ai fiquei morrendo de vontade de assistir de novo Lip Servic e
    Marina super predadora e malmente encosta na Clara na hora do beijo
    Adorei o post mas quase morri com a parte “Aaahh! Agora entendi!”
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk creindospai só novela da globo mesmo

  17. Barbara disse:

    Nossa… Que saudades eu estava dos seus posts!

    Não acompanhei a novela (me julgue), mas ouvi falar demais… E a maioria dos comentários não foram bons. Todas as gurias diziam que era morno demais (ou frio). Enfim. Fraco. Até o casal de Mulheres Apaixonadas foi mais real. Inclusive, sdds delas.

    Não desapareça! Precisamos de ti!

    • Noe disse:

      Também não vi a novela é mta enrolação!
      Sorte que temos a Jac pra fazer esse tipo de post.
      Hahahaha! Ótimo

  18. Noe disse:

    Disse tudo aqui: “Mentiiiira, sua invejosa fubazenta, eu mesma estou em um relacionamento sério com o amor da minha vida que mora em outra região do Brasil. A gente ainda não se beijou, mas sabemos que vamos casar em 2015!” AHAHAHA morri

  19. Bárbara disse:

    Confesso que às vezes entro aqui pra ver se tem post novo. Quando não tem, leio os comentários.

    Volte, Jac! 🙁

  20. flavia disse:

    OLá,

    Voltando a serie OITNB e esperando ansiosa pela 3 temporada.
    Sou só eu ou mais alguém que a Taylor Shilling olha de forma diferente para Laura prepon nos eventos?

    bj!

  21. Lei de Gaga disse:

    Já assistiu o seriado Person of Interest?
    Tem duas personagens que tão sempre num tete-a-tete: Shaw – Sarah Shahi e Root – uma super hacker linda que ficou com lágrimas nos olhos quando não pôde conhecer The Machine.

  22. luana cohen disse:

    kkkkkkk, amei tudoo.

  23. Jessica disse:

    Acabou mesmo o blog… Que saudade de postagens assim…

  24. Normanda disse:

    Rachei de rir!!! Estou assumindo p mim mesma minha primeira paixão por uma mulher… sofrendo na net em buscar de autocompreensão e aceitação… tinha nojo ao ver duas mulheres juntas e agora só penso muito na “minha menina”. Loucura total… 🙁

  25. EMILY disse:

    Que saudade de atualização

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *