Projeto Filmes Lésbicos – 007

Dando continuidade ao meu projeto megalomaníaco de ver todos os filmes lésbicos do mundo, mais um post! Dessa vez incluindo o filme com uma das frases mais incríveis que um dia eu pretendo usar em uma DR:

Rent - Maureen

Só falta mulheres em roupa emborrachada dando em cima de mim… e uma namorada com ciúmes disso.

Filme: Reaching For The Moon – Flores Raras

Gênero: Até-Que-A-História-Não-É-Clichê; Até-Que-O-Filme-É-Bom;

Sinopse by Jac: Filme contando a história de Lota de Macedo e Elizabeth Bishop.

Opinião: Em uma época em que minha vida profissional se tornou tão importante para mim, o principal atrativo para eu assistir a Flores Raras era o naipe das duas envolvidas. Lota de Macedo é a idealizadora do Aterro do Flamengo e Elizabeth Bishop é a vencedora de um fucking Pulitzer. E não estamos falando de uma época em que mulheres tinham as mesmas oportunidades que homens (digo, lá pelos anos de 2040, 2050), mas dos anos 50 e 60.

(Sim, elas se pegavam!)

Mas este filme me surpreendeu positivamente. Eu amo histórias baseadas em fatos reais porque acredito que há histórias que nem o roteirista mais brilhante poderia criar, como é o caso de Flores Raras.

Começamos o filme com uma situação muito constrangedora. Lota é extremamente arrogante, prepotente, chata, crítica, estúpida e grosseira. Eu que estava fácil, fácil de me apaixonar graças à casa maravilhosa e super bem decorada com quadro da Tarsila, perdi todo o encanto e fiquei tão recuada quanto a Elizabeth (Miranda Otto, a Éowyn de Senhor dos Anéis).

Flores Raras

Como cariocas são irritantes quando querem corrigir a fala alheia!

A sorte da Lota é que não tinha tinder naquela época!

Mas a estupidez de Lota é tragável quando você tem uma história tão interessante e tão real. Não há em Flores Raras hetero ingênua sendo atacada por lésbicas, não há descoberta de sexualidade, não há drama para sair do armário: ou seja, a história é completamente diferente dos outros 200 filmes lésbicos.

Sério, eu fico muito contente de ver um filme que retrate o que na real é a maior parte de fonte de drama lésbico: lésbicas e suas interações dentro da própria comunidade.

Lea Michele Emotional

Há três mulheres que sabem muito bem o que querem e que foram ligadas de uma forma tão realista e tradicional no mundo lésbico. Elizabeth era amiga com interesses de Mary e foi visitá-la. Na viagem, aproveitou para pegar a mulher da amiga. Gente, essa história totalmente poderia ser o assunto da semana no meu Whats!

Flores Raras

“Miga, você não sabe quem a Elizabeth anda pegando. Lembra a Lota? Aquela brasileira namorada da Mary? Então…’

Quanto à pegação, não espere muito do filme. Eu achei ele bem ousado por estar lidando com a mémoria de pessoas reais, em filme de época e sendo brasileiro, mas não está a par de produções americanas nesse quesito.

Entratanto, a cena em que a Elizabeth joga a Lota na parede merecer menção honrosa! É como descobrir que sua amiga passivona tomou a iniciativa com aquela sapa que se pagava de ativa.

Flores Raras

Olha só quem é a nova ativona do pedaço! Pega meu zap, Beth!

Final: Filme baseado em fatos reais não tem como fugir muito do final real, não é mesmo? Caso você ainda não saiba o que aconteceu, veja o filme antes de jogar na Wikipedia.

Nota do Filme: 9
Nota do Romance Lésbico: 8
Nota da Lezploitation: 4

Filme: Rent – Os Boêmios

Rent

Gênero: Musical; Até-Que-A-História-Não-É-Clichê;

Sinopse by Jac: Várias pessoas vivendo seus relacionamentos “enquanto tentam pagar o aluguel”.

Opinião: Esse deve ser o único musical do qual eu devo falar aqui. Ironicamente, não há muitos personagens homo e bissexuais no gênero mais gay de cinema. Fora Rent, temos homens se envolvendo em Cabaret e temos a inesquecível Mama Morton (amo!) em Chicago – só, pelo que conheço. Por isso, Rent tem um lugar de destaque nos musicais com seus dois (dooois!) casais não heterossexuais.

O primeiro, formado por Collins e Angel, tem uma história pra lá de preguiçosa. AIDS? De novo? Não tenho tanto conhecimento sobre a cultura gay ou sobre a dimensão real da doença entre gays americanos nos anos 80, mas me parece muito batida a história gays feat. AIDS – pelo menos no cinema mainstream. Tenho certeza que há muitas outras histórias interessantes a serem contadas sobre homens gays.

Rent

Pelo menos, eles ficaram com o número mais fofo do musical.

Já o lado sapatônico do filme teve mais sorte. O plot de Maureen e Joanne é de fato mais inovador. Maureen é bissexual e flerta compulsivamente. E aí está uma grande sacada do filme para não cair no clichê da bissexual piriguete: Maureen só flerta com mulheres durante o filme. Assim, essas duas características da personagem não viram causa e consequência (piriguete por ser bissexual, bissexual por ser piriguete).

Rent

E detalhe para o método repetido de Maureen flertar sempre pegando em brincos ou colares. Boa dica!

E nós temos dois números musicais ótimos sobre o casal. O primeiro é Tango Maureen cantado pela Joanne com o ex-namorado da Maureen. Gosto especialmente quando ele diz que é dificil dançar para trás (posição tipicamente feminina) e Joanne responde toda sapatona feminista “você deveria tentar de salto”.

Rent

<3

O segundo é Take Me or Leave Me. Essa sim é cantada por Joanne e Maureen, a única música lésbica de um musical. Glee fez o favor de estragar ela transformando uma DR em duelo de divas heteros e sequer respeitando a ordem lógica imposta pela letra. Então, se você conhece a música por Glee, dê uma nova chance para ela em um número digno.

Rent

Se um musical minha vida fosse, eu já teria cantado umas 50 vezes essa música. Eu como Joanne, claro.

E temos que dar um crédito aqui. Se Maureen é a bissexual pega geral, pelo menos Joanne é uma personagem que foge de esteriótipos típicos para mulheres negras. Ela é uma advogada de sucesso, centrada, metódica, querendo um relacionamento sério, sem maiores relações com meios artísticos e com característica mais conservadoras.

Rent

Não tem sarau aqui não!

Ao mesmo tempo, Joanne é forte e determinada o suficiente para não cair na ladainha da Maureen. É assim que acontece com Take Me or Leave Me, que é basicamente a música em que Maureen diz que ela tem valor, mas Joanne responde que ela também tem seu valor.

Quem sabe um dia a gente evolua tanto que veremos uma história em que a bissexual quer o relacionamento sério e tendo que correr atrás da lésbica de espírito livre pegadora, né?

Black Mirror - San Junipero

Hm, não foi dessa vez…

O problema é que há pouquissímo tempo para desenvolver o casal, já que 70% do filme é sobre o casal hetero chato e o solteiro hetero chato. Então, infelizmente, o filme acaba sendo… chato.

Final:
Desastroso, para dizer o mínimo. Basicamente, o casal gay acaba porque um deles morre para que o casal hetero (também soropositivo) entenda a importância do amor e de ficarem juntos. Já pensou que loucura se fosse o contrário?

Aí nisso, as questões do casal lésbico ficam de lado e meio que se resolvem por conta.

Rent - Maureen e Joanne

Nota do Filme: 8
Nota do Romance Lésbico: 6
Nota da Lezploitation: 1

///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\

Filme: Below Her Mouth

Below Her Mouth Poster
Gênero: Straight-Meets-Lesbian; Você-Já-Viu-Isso-Antes; Você-Só-Assiste-Por-Ser-Lésbico; Lésbica-Psicótica-Atormentando-Hetero-Ingênua;

Sinopse by Jac: Uma lésbica com dificuldades de se relacionar encontra uma hetero casada e se apaixona.

Opinião:
Que filme horroroso! Below Her Mouth começa com a apresentação da protagonista Dallas que é basicamente uma pessoa inalcaçavel (preguiça!) que não quer se envolver com ninguém (preguiça!!), mas que mesmo assim não se controla e passa o rodo em geral (preguiça!!!). E o filme nos dá essas informações da maneira mais escrachada possível, fazendo Dallas ser ~extremamente~ grosseira com a parceira dela.

Como eu posso simpatizar com uma protagonista assim?

Below Her Mouth

“Ah, sua ex te liga pra pegar suas coisas e você diz que não se importa e que ela pode jogar fora? Nossa, como a senhora é fodona! Bad ass, hein? Ninguém conquista esse seu coraçãozinho!”

Aí estabelecemos que a Dallas só quer sexo casual, certo? O que ela faz quando vai em uma festa na cena seguinte? Começa a correr atrás da hetero que entrou na balada lésbica sem deixar a guria em paz. Sério, a Shane Loira não sai do pé da hetero. Se eu me comportasse assim numa balada aqui, já teriam pedido prum segurança me tirar da casa.

E eu estou numa fase muito orgulho lésbico, né? Não esse orgulho lésbico externo genérico de youtuber sobre como somos oprimidos pelos heteros, mas orgulho interno da comunidade. Aí o que esse maldito filme faz, como tantos outros? A protagonista lésbica basicamente considera as lésbicas ao redor dela como não desejáveis (a ex, a bartender gata, as mulheres da balada, as mulheres da festa na casa dela) enquanto vai lá se rastejar pela hetero casada com um homem.

Below Her Mouth

“Ué, você não era a fodona que transava e ia embora? Por que tá toda grude desse jeito agora?”

Aí você pensa, se a Dallas era quem não se envolvia sentimentalmente com ninguém, o desafio deveria ser a hetero fazer a lésbica se apaixonar por ela não? E sério, o que a hetero fez de diferente para a Dallas se apaixonar? Nada, né? Não precisa, ela é hetero. Automaticamente desejável. Não precisou nem deixar de ser uma pillow princess (o que seria um diferencial da ex da Dallas).

E aí do nada Dallas sai de um estado de “sou fodona, transo e vou embora” para “fim de semana fofo de nhenhenhe”.

Below Her Mouth

Achei isso aqui super inapropriado, mas bem que queria fazer.

Mas bem, acho que pelo trailer do filme, que fez relativo sucesso, ninguém estava esperando um roteiro imprevisível ou ao menos de qualidade. O filme tem uma clara intenção de se promover pelas cenas de sexo dele, consideravelmente explícitas.

O que eu achei? Olha, não me empolguei nem um pouco com elas. Talvez não tenha desligado o cérebro o suficiente. E estou também cansada do esteriótipo de Shane de “como todo mundo, nunca sou passiva”. Que conveniente para a hetero…

Inclusive achei extremamente tosco a Dallas sair para um primeiro encontro já vestida com um strap-on. Sério, alguém já fez uma coisa dessas ou saiu com alguma mulher armada assim? Deixe nos comentários, que eu ~realmente~ estou curiosa!

Below Her Mouth

“Querida, não era nem pra ter posto pra início de conversa…”

Final:
Não tem nada de surpreendente no filme! Mas parece que até o pessoal da produção estava cansado e falou “pula aí essa parte da hetero terminando o relacionamento e indo atrás da lésbica. Já vamos gravar logo elas felizes juntas e pronto.”

Nota do Filme: 3
Nota do Romance Lésbico: 3
Nota da Lezploitation: 5

///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\

Filme: Jenny’s Wedding – Casamento de Verdade

Jennys Wedding Poster

Gênero: Você-Só-Assiste-Por-Ser-Lésbico;

Sinopse by Jac: Jenny quer se casar com sua namorada, mas precisa contar pros pais que é sapatão.

Opinião:
Filme bonitinho, fofinho e nem um pouco surpreendente. Se você assitiu o trailer já sabe toda a história que vai acontecer. Jenny vai se assumir, a família vai levar um tempo pra processar a situação e é isso.

Pelo menos precisamos dar um crédito que pelo menos o foco do filme é um pouco diferente do clássico romance lésbico. Aqui o foco é Jenny e sua família e a relação dela com a Kitty fica para segundo plano. O que na real é bom porque desde o trailer dá pra perceper que esse é o casal lésbico mais insosso que eu já existiu em um filme.

Faça o teste. Tente imaginar essas duas fazendo sexo:

Jennys Wedding

Elas dariam dois selinhos, iam ficar com sono porque nenhuma fez nada e iam acabar dormindo de conchinha. Gente, não é só colocar duas mulheres bonitas padrãozinho assim. Cadê o diretor de elenco desse filme? Ninguém testou a química entre elas antes não?

Enfim, fora esse casal picolé de xuxu, todo o restante do filme é okay. Se você é novinha não assumida para a família, recomendo assistir porque num geral a Jenny tem alguns posicionamentos que acho dignos para referência. Por exemplo, ela não abre mão da sua identidade e vida para agradar os pais e tem alguns discursos realmente empoderadores.

Jennys Wedding

Também gostei que eu pude identificar várias fases de saídas de armário reais como:

  • A fase de se distanciar da família
  • A fase de ficar muito alegre e aliviada depois de se assumir mesmo que os pais estejam péssimos
  • A fase de estar com raiva por os pais não estarem lidando bem com a situação.
  • A fase que os pais precisam para perceber que a felicidade da filha vale mais do que a opinião dos vizinhos.
  • A fase de perceber que as pessoas não são tão horríveis quanto a gente imagina.

Aliás, que diálogo maravilhoso que a Jenny tem com seu irmão, né? Só quem passou por essa fase tão dolorosa de se assumir é que sabe a importância de ter uma pessoa da família ou amigo que te aceita sendo lésbica.

E serve como tapa na cara para essas pessoas que não se assumem por achar que ninguém no universo vai aceitar o absuuuurdo que é ser lésbica. (Estou falando com você mesma, querida)

Jennys Wedding

Arrasou! Rei! Homão da porra! Avisa que é tiro! Pisa menos que tá pouco! Risos.

Final: Não tem NADA de surpreendente.

Nota do Filme: 6
Nota do Romance Lésbico: 1
Nota da Lezploitation: 0

///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\///\\\

FacebookTwitterInstagram

Compartilhe com a irmandade!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email
Esta entrada foi publicada em Mídia e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

26 respostas para Projeto Filmes Lésbicos – 007

  1. Lucinara disse:

    Concordo 100% com todos os seus argumentos Jac. Bellow her mouth foi um tempo perdido que não volta mais na minha vida.. além de toda trama desnecessária pra causa, ainda tinha uns diálogos de 6 série. Me poupe!! Kkk

  2. Priscilla Santos disse:

    “Inclusive achei extremamente tosco a Dallas sair para um primeiro encontro já vestida com um strap-on. Sério, alguém já fez uma coisa dessas” kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    e realmente, que casal SEM GRAÇAAAAAA esse casamento da Jenny!

    Sinto muita falta de novidades e mais variedades sobre filmes lésbicos…

  3. AnonD disse:

    Adorei os reviews dos filmes! Quando fui assistir below her mouth sabia que seria ruim, tô cansada desse tipo da Dallas meio Shane/Kristen Stewart, foi meio que um pornô leve com “enredo”. Sobre o strap-on, acho ousado demais de primeira kkkk. E aquela cena da hétero se tocando na banheira? Fora da realidade né.

    No Jenny’s Wedding elas não tem química nenhuma. Zero. Nothing. Coisa mais sem graça! Escolhi não assistir pq seria frustrante. Do que adianta ter uma atriz de nome pra chamar público, se o casal não convence?

    Jac continue escrevendo, não nos abandone! Suas brasileiras estão sedentas por conteúdo lésbico e o seu blog é o melhor de todos.

    • Jac disse:

      Sobre a cena da hetero na banheira especificamente eu só pensei quão desconforatável devia ser aquilo ahahah Ela tava com o peso todo do corpo nas bordas da banheira, tipo apoiada com a parte de trás do joelho. Nada de momento relax pra curtir outras coisas ahahahhahaha

  4. Lou disse:

    Sobre Below Her Mouth, é só uma cópia canadense do filme sueco Kyss Mig (também lançado com os nomes de “Kiss Me” e “With Every Heartbeat”). Quando eu falo “cópia”, nota-se até por algumas paisagens, locações parecidas, referências até o talo! Porém, mesmo com todo esse dilema da lésbica se apaixonando pela hétero e talz, a versão sueca da Dallas consegue ser cativante, não é nem de longe essa sapa foda alfa. Pra quem já viu BHM, aconselho ver Kyss Mig e tirar suas conclusões.

    • Jac disse:

      Sério mesmo que Below Her Mouth foi inspirado em Kyss Mig? Porque fez tãããoo errado… A cena de sexo em Kyss Mig é mil vezes menos explícita, mas mil vezes mais sexy (revisito de vez em quando ahahahah)

  5. Julia disse:

    Oi Jac, conheci seu blog esses dias e estou adorando ler os posts e comentarios, super divertidos! Já li todos os seus conselhos mas preciso muito de uma opiniao pessoal sua sobre uma história minha…prometo que nao vou incomodar mais pedindo conselhos, é que preciso muito de uma luz de alguem mais experiente..

    Tenho 28 anos e estou noiva de um homem maravilhoso! Mas em meu coração há algo que nao consigo esquecer..e assim tudo começou:

    Quando tinha 15 anos conheci Amanda que entrou na minha sala e ficamos amigas…nunca senti que fui sua best friend mas ela sempre vinha aqui em casa…um belo dia que ela veio mandou indiretas (que na época nao pesquei, até entao nao via ela como algo mais) e acabou me pedindo um beijo, depois falou que estava com medo da gente ficar sem graça eu falei que queria pq aquilo despertou e minha vontade e nos beijamos! O ruim é q o beijo nao encaixou, mal sabia beijar direito naquela época…ou seja nao foi bom!

    Depois disso, andando comigo na rua, do nada Amanda vira e fala que nao era lesbica, que me beijou, mas gostava de homem! Tipo do nada…será q ela achou q eu estava apaixonada nela? coisa que na época ainda nao! rs

    A questao é que ela quis contar isso pra outra amiga nossa, a Carol…ficamos com a Carol na casa dela e novamente meu beijo na Amanda foi ruim, porem na Carol foi otimo…Carol começou a vir na minha casa e a gente ficava, um dia peguei no peito dela e nem sei pq fiz aquilo, pq nem pensava em sexo com ela e com mulher nenhuma ….o fato é q ela contou isso pra Amanda depois, Amanda pediu pra eu me afastar delas e me chamou de lésbica, é mole? Sendo q eu nem comecei tudo isso..em outra ocasião Amanda disse que se arrependeu de dizer isso. O fato é que fiquei com fama de lesbica no grupinho sem ser de fato…detalhe que no fim do ano Amanda colocou no status do orkut que era bi. Ficou com uma outra colega nossa num churrasco na frente da galera mas ela nao ficava com a menina em off, parece q qria chamar atenção…mas sempre namorou só meninos.

    Eu fazia umas coisas que nem eu mesma entendia, em uma das vezes que Amanda veio na minha casa nao ficamos nem nada mas pedi pra tocar no seios dela pq ela tava me mostrando que ela tava sentindo dor, juro q eu falei na inocencia mesmo, ai ela disse não. Ficou super esquisito, eu sempre passando a impressão errada!

    Resumindo : depois desse rolo todo, eu, Amanda e Carol voltamos a nos falar, mas nunca mais foi a mesma coisa, …Amanda se aproximou mais de Carol, eram tipo best friends e eu tinha muito ciumes que a Amanda gostava mais da Carol que de mim (obs: no futuro até moraram juntas em SP na época da faculdade por pouco tempo e sempre fiquei com a pulga na orelha se elas se pegavam ainda mesmo ambas tendo namorado!)…enfim, depois disso foram muitas brigas de colegial, bobeiras , até que me afastei de vez da Carol , mas com Amanda conversava mais fora do colégio, pq na escola Amanda era grudada com Carol.

    Amanda mudou de colegio e passei a frequentar a casa dela novamente, nessa época ela ja estava namorando um menino…comecei a sentir ciumes do namorado dela, naquela época com 16/17 anos comecei a surtar por imaginar que estava apaixonada por Amanda, negava pra mim mesma, hj sei que era paixão.

    O tempo passou, Amanda mudou de cidade, ficou solteira novamente e eu ia visitá-la de vez em quando, quando ia ficava o fds…nao deixamos de ser amigas, apesar de algumas magoas que tinha dela! Em uma dessas visitas começou a rolar algo novamente: deitadas na cama ela começou a passar a mao nas minhas pernas, depois parou, e nisso nao falamos nada! Depois no outro dia na cozinha me puxou pra perto e eu a abracei, mas se eu tivesse encarado talvez teria rolado um beijo, nao sei…naquela época ja tinha me dado conta q estava apaixonada, porém ela sempre falava de meninos, sempre tava afim de alguém, era dificl entender, então guardava tudo pra mim e sofria com isso, tinha medo de me declarar e ela falar pros outros, se afastar de mim…

    Nisso passou o tempo ela mudou de cidade novamente e me convidou para ir na sua casa e novamente eu fui visita-la, pq apesar de tudo sempre gostei da compania dela, nos divertiamos. Sempre ia e ficava o fds…em um desses dias ela me mostrou um bilhete antigo nosso de colegio que eu fiquei totalmente surpresa por ela ter guardado , no bilhete eu dizia que eu qria pegar ela e ela respondendo entao vem, uma coisa assim…mas tudo na brincadeira, ela zoava assim com outras pessoas também, não dava pra saber se ela estava falando serio. Fiquei tao sem graça de ler aquilo na frente dela, fiquei muda sem reação! Li e devolvi o bilhete e mudei de assunto.. ela sempre guardou cartas antigas e bilhetes de outras pessoas eu acho, então pensei, o meu é mais um no meio desse bolo! kkkkkkk fiquei surpresa é por ela ter guardado um com esse tipo de conversa kkkkk

    O tempo passou e ela começou a namorar um garoto novamente e eu ia visita-la de vez em quando, teve um dia que começamos a ver cisne negro e o namorado dela tava na sala, ela estava com o pé na minha perna e até tirou quando passou a cena lesbica do filme! Os sinais que ela dava eram muito confusos…

    Bom depois ela terminou com esse menino, ficou com outros e eu ainda apaixonada…chamei ela pra ir pra casa da minha irma comigo passear, as vezes insistia pra ela ir, acredito que eu corria mais atras dela na nossa amizade, mas sinto q ela gostava de mim independente de qualquer coisa! Bom ja fomos pra casa da minha irma algumas vezes, em uma dessas vezes dormimos em camas separadas pq ela quis (ainda namorava), na outra vez que fomos (ja estava solteira) dormimos juntas no colchão e ai começou novamente a confusão na minha cabeça! Ela passava a mao nas minha costas a noite, chegava perto do meu peito e parava, eu retribuia e ponto, ficava por isso mesmo, no outro dia fingiamos que nada tinha acontecido! Em um outro momento passei a mao nas pernas dela…ela deixava e ficava quieta, depois conversava comigo sobre garotos, maquiagem e nunca tocamos no assunto!

    Teve um dia que eu comecei a acariciar o cabelo dela e ela retribuiu, nisso eu fui pra cima dela (unica vez que tive coragem depois de tanto tempo), ela começou a gritar e eu pergutei pq? Ela toda sem graça disse que eu apertei ela sem querer, deu uma desculpa e depois ficamos de maos dadas na cama..o curioso é no resto do dia ela ficava me abraçando..afff até minha irmã comentou q achava q a gente tava virando lesbica nesse dia pq ela me abraçou no shopping.

    Depois em outra conversa eu disse, nossa depois q a gente faz uma viagem junto e se separa da uma saudade né? Ai ela disse, eu sinto isso quando me separo do meu namorado..dnisso ela começou a falar sobre viagens e ela falou de uma fazenda, eu falei q qria conhecer e ela disse q era um lugar romantico e q nao iria comigo e sim com o namorado, não sabia q o lugar era romantico, nao falei na intenção de nada! Eram tantos foras e ao mesmo tempo tantos indicios…

    Outra vez fomos pra casa da minha irmã passar o fds e dessa vez eu é que estava namorando um rapaz q ela mesma me apresentou que incentivou e que viria a ser meu noivo hj! Esse fds minha familia inteira, inclusive meu namorado, foi pra um show pq ja tinham comprado ingresso antes e tava esgotado e nós duas fomos sozinhas pra uma balada…lá na balada ela perguntou se eu teria coragem de trair meu namorado e eu disse “nao sei” . Depois ela disse duas vezes para fingirmos q eramos namoradas e eu fiquei sem reação e com vergonha pois a boate tava lotada! Falei q precisava beber pra fingir (até parece, era minha deixa pra ter pedido um beijo) porém ela se interessou por um menino e ficou com ele lá, não tocando mais no assunto. A impressão que eu tinha é q ela queria tentar algo comigo mais em público, não sei se era pra chmar atenção, sei la…

    Ela voltou pra cidade dela, começou a namorar, e eu segui namorando e gostando cada vez mais do meu boy..saimos depois de casal algumas vezes, e em uma dessas vezes surgiu o assunto de sexo entr mulheres, o namorado dela falou algo sobre colar velcro e ela disse olhando pra mim que sentia nojo disso na frente dos meninos, fica a duvida se ela disse isso pq estava na frente dos meninos…aiaiaiaiaiai

    Enfim, ficou tudo muito longo, são muitas coisas que vivemos, nem tem como contar tudo, tentei lembrar das coisas mais marcantes de sinais que ocorreram da parte minha e dela! Afinal tudo isso foi acontecendo e os anos passando..

    Ela teve uma filha com esse rapaz e foi morar com ele e eu fiquei noiva ano passado, hoje estamos com 28 anos.

    O fato é q eu ia visita-la quando estava gravida, ela que me chamou, porém quando fui marcar de ir pelo whats, ela trocou o numero e eu perdi contato…passaram 4 anos desde entao, nao fui atras dela, fiquei com raiva! Nem fui visitar quando ela teve o bebe..

    Ano passado minha mae entrou na loja dela sem querer (ela tem uma loja) e ela ficou super feliz de ver minha mae, pediu meu whats, falou pra eu ir la conhecer a filha dela e q estava com saudades. Respondi que iria e até hj nao fui, fiquei chateada real por ela ter trocado o numero e nao ter falado nada como se eu nao importasse pra ela.

    Nao conversamos mais pelo whats, parece que nao temos mais assunto, passou um tempo ela me add no instagram, curte umas fotos minhas, eu curto algumas delas, comentei em uma foto saudades, ela disse também, depois eu postei uma foto com meu noivo, ela disse casal mara e ficou por isso mesmo.

    Minha mae foi na loja dela pela segunda vez e ela disse pra minha mae me falar q ela queria ser convidada pro meu casamento! E eu vou convidar…mas imagina ver ela depois de 4 anos e com essa história toda?..

    Meninas a questão é a seguinte: eu ainda penso nela, hj tenho maturidade pra me aceitar como bi, nao tenho interesse em outra menina e amo meu noivo. Porém fiquei com esse “e se” eterno….até hj nao sei se ela quis realmente ficar comigo naquelas vezes, se só tava me zoando……..

    O que vcs fariam gente? Conversaria sobre tudo que passou ou enterraria a historia? Sei que ela nao vai largar o marido, mas até hj eu tinha vontade de beijar ela pela ultima vez e mostrar de fato que meu beijo melhorou rs queria ter uma unica noite de amor com ela, pelo menos uma unica vez! Acho que eu merecia depois de tudo! Sei que ela nao largaria a familia dela e eu tambem nao quero magoar meu noivo, meu casamento ja esta marcado! A questão não é largar ninguém, mas é uma experiencia que eu nao vivi por completo entende? ;(

    DESCULPA, EU SEI QUE A HISTÓRIA FICOU LONGA!

    O que fazer gente? Sinto saudades da amizade, de tudo… mas tenho medo de me aproximar e voltar os desejos mais fortes novamente, nunca esqueci nossa história..

    E vcs? Assumiriam tudo pra ela ou deixava tudo isso que foi vivido no ar?

    • Jac disse:

      Cara, você tem 28 anos e tá sofrendo por história de adolescência. Já não tem mais idade pra isso não. Isso é muito gritante de que você não viveu coisas realmente siginificativas depois dela e ainda se importa e lembra o dia que ela passou a mão na sua perna. Largue mão disso, vai viver outras coisas.

      Você diz que é bi e e que ama o coitado do noivo, mas pelo visto estar com ele não supera nem uma paixãozinha de adolescência. E ainda te impede de viver tudo o que você quer. Eu largaria o noivo (é um favor que você faz pra ele, porque é certeza que no futuro você vai fazer a linha “bi casada com homem, mas querendo abrir o relacionamento pra transar com uma mulher”) e ia viver, ia ficar com um monte de gente e aprender a separar gente relevante e gente irrelevante.

      Larga essa história. Já foi. Foi coisa de adolescente, agora ela tá casada, com filho. Supere e seja você a pessoa que tá construindo seu futuro ao invés de ficar grudada choramingando pela amiguinha da escola.

      • Julia disse:

        Obrigada por responder Jac,

        Eu sei que parece ridiculo eu ficar presa nisso mas não sei explicar o sentimento que tenho por ela, realmente nao tenho vontade de sair ficando com outras mulheres, essa vontade de experimentar sexo etc foi só com ela…

        Sabe quando vc é afim daquela garota em especifico? Nao to afim de sair por ai pegando mulher, queria pegar ela entende?

        Vc acha que em algum momento ela já foi afim de mim nessas coisas que eu te contei? Ou vc acha que eu fiz papel de TROUXA total na época?

        Por tudo que te contei vc acha que ela ja gostou de mim?

        De qualquer modo sinto saudades da amizade dela também…e ela também disse que sente saudades, mas sei la…

        Já sofri muito por conta de tudo isso…

      • Julia disse:

        E esqueci de comentar Jac, é q história foi acontecendo ao longo dos anos, é que eu nao fui colocando a idade, mas quando ela pediu pra fingir q a gente era namorada a gente ja tinha 25 anos….

        E em relação ao meu noivo eu realmente gosto dele, são 5 anos juntos mto dificil deixa-lo…é que o meu sentimento por ela é diferente, nao queria sentir isso…;(

        • Camila Paixão disse:

          Julia, é melhor sofrer por ter feito do que sofrer pelo “e se tivesse feito”. Eu acho que ela gostava do fato de ser desejada por você, mas também não descarto a hipótese de que ela tinha vontade de fazer algo e faltava a coragem. Se eu fosse você voltaria a falar com ela e falaria como se sentiu esses anos todos. A verdade e sinceridade são libertadoras, você já viveu anos com esse sentimento e não passou, tá na hora de botar ele pra fora.

        • Dani disse:

          Ei Júlia, espero realmente que você supere essa situação.
          É uma vida inteira girando em torno de uma pessoa que, com todo respeito, parece ser extremamente tóxica… até seu noivo gira em torno dessa menina. Ele não é o seu noivo… é o cara que a Amanda te apresentou (é como se ela tivesse a sua rédea nas mãos dela – é o cara que ela te permitiu ficar).
          Pelo que você falou, não me parece que essa menina gostou de você em nenhum minuto. Me parece que ela se diverte pra caramba vendo sua cara de sofrimento toda vez que ela “tira o doce da sua mão…”.
          Espero realmente que você simplesmente supere essa Amanda (que na minha opinião é só uma figura representativa de uma possibilidade de vida homossexual, mas que não seria 1/10 do que você passou sua vida projetando) e que algum dia consiga colocá-la no lugar que ela merece na sua vida, ou seja, no passado.
          Vai ser feliz! Se for com o noivo, ótimo, mas se der, dá uma vividinha antes de casar né? Sai da rédea da Amanda um pouco e vai descobrir o que você quer pra sua vida, porque ela é só sua!
          Felicidade pra você!! 🙂

  6. Fernanda Gomes disse:

    Nossa serio Jac, concordo com você em todos os argumentos. Achei que só eu não tinha curtido esse Below Her Mouth. Que bom que não!
    Você bem que podia comentar também os casais de novelas/series. Tipo, tento acompanhar todos os casais Lés que sujem. E logico torcendo para que não morram. Atualmente meu casalzinho favorito é Barcedes da tele serie perdona nuestros pecados. São umas fofas mas acho que o fim será trágico. Rezo que não.
    Você Costuma ler livros Lés? Pois também podia entrar nos topicos. rsrsrs (Eu sei que é muita exigência, ainda mais agora que você reviveu o site aos poucos.)
    Mas é que gostaria de ter com quem conversar sobres alguns livros LGBT’s que leio. E li um tão lindo e fofo, que até hoje sinto falta de não ter com quer compartilhar no meu circulo de leitura. (acho que fugi do tema rsrsrs)
    Enfim, beijos e continue com o ótimo trabalho.

    • Nikky disse:

      Oi Fernanda Gomes,boa noite. Eu li que vc gostar ia de ter com quem comentar sobre suas leituras LGBT, bom leio sempre livros lésbicos, adoraria comentar com você e ouvir as suas indicações, e dissertações sobre o assunto. Se quiser conversar a respeito me passa um email.
      Um abraço.
      nikky_saint@hotmail.com

  7. Roberta disse:

    Bom dia Jac, tudo bem?

    Preciso muito de sua opiniao pq é uma lesbica experiente e eu não to sabendo lidar com a lésbica que me envolvi.

    Estou extremamente angustiada….bom estoou noiva de um homem mas sempre tive curiosidade de saber como era fazer com uma mulher…enfim, entrei em um app lésbico e comecei a conversar com uma menina, ela me pediu o whats e a conversa fluiu…desde sempre fui sincera com ela que eu qria experimentar somente..

    Mas ai ficamos um mes mais ou menos conversando pelo whats, ela super compreensiva…um amor comigo! Marcamos de encontrar nesse ultimo feriado.
    A gente conversava o dia inteiro, ela ia dormir nao me dava boa noite e no outro dia continuava a conversa da onde paramos.

    Porém na ultima terça feira tivemos um leve desentendimento, dei boa noite e ela tbem e ficou por isso….na quarta puxei papo a noite, ela foi dormir e nao continuou a conversa, na quinta a noite eu me declarei ela disse que tbem tava envolvida, combinamos mehor nosso encontro, porém ela nao continou a conversa na sexta…

    Ai na sexta a tarde fui falar com ela do nosso encontro, ela vizualizou e nao me respondeu, ai perguntei se ela nao ia me responder, ela me disse que tava ocupada e depois me chamava…nisso eu explodi e falei que ela nao puxava mais assunto comigo q ela nao qria me ver e bla bla bla….ela disse que era coisa da minha cabeça e disse que ela não me enrola pra dar respostas, só responde de outra maneira…(ai eu entendi que o fato dela nao ta conversado mais direito é pq nao qria mais)

    Eu sempre perguntei se ela tava conversando com outras meninas ou saindo com alguem ela me dizia que nao, mas eu perguntava nao pra cobrar ela, mas pra ficar ciente de tudo…..no sabado depois que eu estressei com ela na sexta ela me posta um print de uma conversa com uma menina no stories do whats, pra q fazer isso?…ou seja, ela foi desleal comigo pq quando perguntava se ela tava falando com alguem ela negava.

    O fato é que to gostando dela Jac, e qria q minha primeira vez com uma mulher fosse com ela! O que faço??? Vc acha q ela me fez de boba, que ela perdeu o interesse por causa dessa outra menina?

    To desesperada!!

    Adoro seu blog, se puder me ajudar ficaria feliz pq nao to entendedo ela!

    • Jac disse:

      Duas coisas:

      1- “bom estoou noiva de um homem”
      2- “sempre fui sincera com ela que eu qria experimentar somente”

      Eu sei que você não se importa com o que ela quer (afinal, “heteros” nunca se importam com os sentimentos das lésbicas), mas provavelmente não é só sexo casual – senão já teria acontecido entre vocês e vida que segue. Então talvez ela esteja sei lá… procurando alguém com as mesmas intenções dela de ter um relacionamento de verdade ao invés de só uma transa. É coisas da vida, você quer transar com mulher sem abrir mão do noivo? Beleza. Mas não espere que ela sacrifique a vida amorosa e os planos de futuro dela por você não.

      Se você quer saber o que tá acontecendo, faça o grande esforço de perguntar o que ela quer nesse momento. Se é uma transa com alguém que SÓ QUER EXPERIMENTAR (vc mesma disse) ou se é um relacionamento mais duradouro e sério. Porque se for o último, você não pode oferecer isso pra ela, então deixe de ser um embuste =)

      Dica de leitura: http://flexoeslesbicas.com.br/2017/10/26/drama-lesbico-episodio-07-a-hetero-casada/

      • Roberta disse:

        Sabe Jac, voltei aqui pra te responder só pra vc saber o que ela aprontou comigo e que nem toda lésbica é vitima ok?

        Depois de tudo que te contei fui falar pra ela o que sentia (e que nao era mentira)….falei que me envovi mais do que esperava e q se ela sentia o mesmo por mim a gente daria um jeito…

        Ela me respondeu toda bonitinha falando que sentiu falta de falar comigo, mais do que ela imaginava e que nao brincou qdo disse que nao qria só minha amizade!

        Eu parecia que estava no céu, sério, gostei mesmo dela! Dai tentei pedir outra foto dela só pra confirmar q ela nao era fake…ela me enrolou me enrolou nao passou e parou de falar comigo novamente…

        Vai eu trouxa novamente perguntar pra ela se ela era fake (com coisa que ela me falaria se fosse…) diz ela que nao, q só nao me passava foto por medo…dai eu perguntei, que diferença faz já que tem foto sua aqui no whats, no app…enfim…deyalhe q ela me passou um video do sobrinho dela e tava com medo de passar uma foto? Enfimm, acabou confessando que tinha uma coisa que não havia me falado, que tinha namorada, mas q estava em crise e ela foi pro EUA dar um tempo…

        Falei que ela podia ter me contado que eu nunca iria julgar ela pela minha situação…bom mais uma vez disse que precisava só de uma prova q ela era real ja q estava envolvida e que se ela quissesse eu daria todas as provas q eu era real…ela me disse que ia chegar no hotel e me ligar por video, agora vc acha que ela me ligou? NÃOOOO!!! CAGOU PRA MIM!!! E parou de me responder novamente…

        Sai pra beber de tal mal que eu tava e deixei uma mensagem final falando q ela brincou comigo e q se nao quissesse era só ter me falado que eu nao ia insistir, pergutei o q tinha feito pra merecer aquilo…

        Ela só me respondeu que tava enchendo o saco de ficar me dando explicação, q eu nao tinha feito nada, q ela nao tava bem e que ela qria só resolver isso.

        Eu nem respondi mais e faz mais de 10 dias que nao nos falamos…

        AGORA ME DIZ JAC, QUEM ENGANOU QUEM?

        E comecei a juntar as peças…ela deu pra trás na semna q a gente ia se encontrar, nao me passava foto, nao fazia nada do q combinava comigo! Provavelmente ela pode até ser fake…

        Ela acabou cmigo!!! To mal até hj e não posso contar pra ninguém…

        Então Jac nem sempre a lesbica é a vitima ok? Sei q vc ja pode ter sofrido por alguma menina hetero, mas eu nunca sacanei ela e o q ganhei em troca?

        Enfim acho q ela nao estava afim de mim ou era fake…

        O que acha??

        Bom fica ai o outro lado da moeda pra vc ver que nem tudo é o que parece…

        • Jac disse:

          hahahaha ai deus… Okay, as DUAS estão erradas nesse caso.

          Não sei se a guria é fake ou só não quer passar foto porque ela tem medo que de alguma forma você chegue na namorada e conte (o que é um risco baixíssimo uma vez que você tem noivo). Mas se ela é fake ou não, essa guria não vale muita coisa de qualquer forma. Deixe essa história pra lá, encerrada mesmo.

          Mas não sei se você percebeu, mas você se apaixonou por uma mulher. Porque foram semanas (meses?) de conversinha e nhenhenhe pra no final não ter NADA. Toda lésbica (bi) passa por isso alguma vez na vida. Mas a questão aqui é que acho que você não está tão preparada assim para casar com seu noivo e provavelmente você deveria tomar outros rumos na sua vida amorosa. Porque existe uma alta chance de você ainda querer “experimentar” e nunca você vai estar plenamente disponível para a pessoa e não será um bom partido.

      • Roberta disse:

        Ah e desculpa os erros de portugues, escrevi correndo..

  8. Star disse:

    Olá, primeira vez no blog.

    Sobre filmes, eu já assistir alguns: Bloomington com aquela professora maravilhosa e sexy, nossa aquela professora🤤🤤🤤.

    O bellow her mouth achei muito pesado e vulgar.

    Carol, achei muito sutil.

    Imagine eu e vc, achei super engraçado.

    Aimee e Jaguar, também é lindo principalmente porque foi real.

    GOSTARIA DE SABER: ELENA UNDONE FOI BASEADO EM FATOS REAIS?
    Eu li na legenda e alguns lugares mencionam que foi baseado em uma história real, vc conhece a verdadeira história?
    Fiquei curiosa pois curti o filme e de certa forma é uma tapa na cara religião.

    SERIA LEGAL FALAR SOBRE FILMES LÉSBICO SOBRE HISTÓRIAS REAIS.
    😚😚😚😚😚😚

    • Jac disse:

      Sim, acho que vulgar descreve bem Bellow Her Mouth ahahhaha

      Olha, pelo que li sobre o filme, Elena Undone é baseado na história real da Nicole Conn (a diretora/escritora/etc) com a Marina Rice Bader (Conn foi a primeira namorada dela – hoje em dia elas não estão mais juntas, mas continuam a parceria profissional no cinema).

      E não sei se você leu nesse post mesmo sobre Flores Raras, mas é um ÓTIMO exemplo de filme lésbico com história real! Ele junta história lésbica real + profissionais fantásticas + Brasil + drama lésbico ahahha

  9. Star disse:

    Jac vc já assistiu desobediência?

    Assistir esses dias e gostei bastante mas é um pouco pesado.

  10. Mariana disse:

    Below her mouth foi péssimo, mas eu tô é precisando de mais ativonas bem caminhoneiras me representando, eu tenho a impressão de que quase não tem esse tipo de representatividade, normalmente os casais são de duas mulheres mais heteronormativas e relativas
    Sobre o strap, bem sem noção mesmo, a menos que eu vá sair com uma menina que eu sei que curte e que tenha previamente pedido, nada de ir pra primeiro encontro com um strap-on de 30cm, né
    Eu ainda quero ver uma power lesbian pouco feminina que não seja uma pegadora perseguidora de héteros
    Uma Shane menos galinha seria ótimo pra variar pras stone dykes aqui.

  11. Cris disse:

    Primeira vez no blog, já assisti Flores Raras e curti bastante, por ser uma história baseada em fatos reais e pelo ano que aconteceu. Agora Elena Undone eu considero um dos melhores que assisti até hoje, nessa linha de fatos reais. Alguém curte séries? Eu me diverti muito com Eu, tu e ela. Apesar de não ser bi.

  12. Tati Beckman disse:

    Olá, Jac

    Minha primeira vez no blog e eu super curtir os seus comentários sobre os filmes citados. Ontem assistir “O perfume da memória” e eu super amei, gostaria de saber sua opiniao sobre esse filme caso o tenha assistido.

    • Jac disse:

      Incrivelmente eu assisti sim ahahha Não lembro muito da história, mas lembro das minhas impressões que foram basicamente:
      -No começo do filme: Não suportei a narração do Oswaldo Montenegro. Que inferno toda hora ele praticamente fazendo um merchan próprio ali. E não achei assim as atuações tão boas
      -No meio pro final: Chegou uma hora que elas estavam lá sentadas conversando e tal que se formou uma tensão sexual muito boa. E ela durou muito tempo – o que pra mim é sempre bom. Sequer lembro se elas beijaram ou não ou o que aconteceu, mas lembro de ter ficado bem ansiosa ahahahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *